Ligue-se a nós

Polícia

PM prende suspeitos após assaltos em sequência em Antonina

Na ação, uma mulher também foi detida por envolvimento em outro crime que teria sido praticado pela dupla.

Publicado

no

Uma sequência de delitos na cidade de Antonina levou policiais militares do 9º Batalhão a prender, na tarde de terça-feira, 14, Victor Hugo Rudek, de 23 anos, e Alan Michel de Oliveira Camargo, de 27. Na ação foram recuperados objetos subtraídos das vítimas e uma mulher também foi detida por envolvimento em outro crime que teria sido praticado pela dupla.

A ação policial teve início ainda noite de segunda-feira (13/9), quando uma equipe policial realizava patrulhamento pelo centro da cidade e, por volta das 21h30, na Rua Doutor Mello, se deparou com uma aglomeração de pessoas. Na abordagem, foi apurado pelos militares que se tratava de um assalto em uma residência, tendo como vítima uma mulher de 77 e sua filha de 55.

A idosa relatou que dois homens haviam invadido sua casa, um deles portando de arma de fogo, e subtraíram uma televisão e outros objetos, além das chaves de um automóvel VW Gol. No entanto, no momento da fuga, os criminosos acabaram arrancando o portão do imóvel, que se encontrava trancado e, em seguida, bateram o carro em uma parede, causado muito estrago no veículo, que acabou sendo abandonado com objetos do roubo.

Logo em seguida, os policiais foram informados que os mesmos suspeitos teriam realizado outro assalto, desta vez em um bar que fica distante 100 metros da residência invadida. Do comércio, os criminosos teriam levado a chave de um carro, além do aparelho celular do proprietário, de 55 anos.

Devido a repercussão do caso na cidade e as imagens de câmeras de monitoramento que registraram a ação dos bandidos, os policiais militares deram sequência as diligências até localizarem os suspeitos dos delitos.

Já por volta das 17h30 da terça-feira (14), na Rua Mestre Adriano, no centro da cidade, eles abordaram Victor, que estava com roupas que com as mesmas características das usadas por um dos assaltantes que aparece nas imagens registradas por câmeras de monitoramento. Com ele os militares localizaram três relógios femininos e uma quantia em dinheiro.Dando sequência às diligências, os policiais acabaram encontrando Alan, o qual foi abordado na Avenida Thiago Peixoto, bairro Batel, na companhia da namorada, de 38 anos. O rapaz também estava com roupas parecidas a do outro suspeito que aparece nas filmagens dos assaltos, além de estar sujo de lama. Na abordagem do casal os militares encontraram mais dinheiro, além de um relógio e dois celulares, mas não foi apreendida nenhuma arma.

Em seguida, os três suspeitos foram conduzidos para o plantão da 7ª Delegacia Regional de Polícia (DRP), sendo os dois homens reconhecidos pela autoria dos assaltos e apontado Alan como o indivíduo que estava portando a arma de fogo, a qual não foi encontrada. Os relógios que estavam com eles também foram identificados pelas vítimas.

Victor e Alan, que já contam com outras passagens pela polícia, teriam, posteriormente, confessado a autoria dos assaltos e acabaram autuados em flagrante pelo crime de roubo agravado e, posteriormente, foram recolhidos ao setor de carceragem à disposição da Justiça.

Durante a prisão, os dois homens ainda teriam sido identificados, através de imagens de câmeras de segurança, pela tentativa de arrombamento de uma residência ocorrida no dia 10. Na ocasião, os assaltantes estavam acompanhados de uma mulher, a qual há suspeita que seria a namorada de Alan. Os três têm endereço em Curitiba e Região Metropolitana.

Clique para comentar

Deixe seu comentário!

Polícia

Rapaz de Paranaguá é executado em Curitiba com mais de 40 tiros

Ele havia sido preso sábado e solto segunda, após audiência de custódia

Publicado

no

Por

Foto: Daniela Sevieri/RIC Record TV Curitiba

Rhuan Victor Costa Pereira, de 23 anos, morador no bairro Jardim Esperança, em Paranaguá, foi assassinado a tiros na tarde desta terça-feira (19/10) na Vila das Torres, em Curitiba.

Ele havia sido preso na noite de sábado, junto com outro rapaz, com pistolas e munições, próximo ao local onde foi executado, mas solto segunda-feira (18) logo após a audiência de custódia.Foto: Anderson Martins/Band TV

Além de Rhuan Victor, um adolescente não identificado também morreu e outras três pessoas ficaram feridas. A polícia acredita que Rhuan era o alvo, porque a maioria dos tiros (cerca de 40) foram disparados contra ele.

Os outros jovens teriam sido atingidos porque estariam junto com o parnanguara, que faria parte de uma facção criminosa que disputa território com grupos rivais.

NOTÍCIA RELACIONADA

Rapaz de Paranaguá é preso em Curitiba com pistola e 31 munições

Continuar Lendo

Polícia

ONDA DE VIOLÊNCIA EM PARANAGUÁ: Rapaz é morto a tiros na Vila Garcia

Vítima teria sido atingida por cerca de 40 disparos

Publicado

no

Por

Foi no final da noite de segunda-feira

Jhonatan Alexandre de Araújo, de 25 anos, foi morto a tiros, no final da noite de segunda-feira (18/10), na Vila Garcia, em Paranaguá. Ele foi executado na Rua Aurélio Romualdo Moro, em frente à escola municipal professor João Rocha dos Santos, por indivíduos que estavam em um automóvel Renault Logan, de cor prata.

Após o assassinato de Jhonatan, que foi surpreendido quando andava de bicicleta pela via, o Logan foi incendiado em uma estrada do interior. Populares disseram à Polícia Militar que, após incendiarem o carro, os criminosos soltaram foguetes – não se sabe se para comemorar o feito ou para avisar comparsas para resgatá-los.A maioria dos cerca de 40 tiros teriam atingido o tórax de Jhonatan, que era conhecido por Natan. Segundo um familiar, o rapaz teria envolvimento com o tráfico de drogas.O assassinato de Jhonatan Alexandre de Araújo foi o 65º registrado em Paranaguá este ano. A maior cidade do Litoral do Paraná enfrenta uma onda de violência sem precedentes.

ANTECEDENTES CRIMINAIS
Jhonatan Alexandre de Araújo tem passagem pela Policia Militar. Em março de 2019 ele foi manchete no Agora Litoral, junto com outro homem, após entrar em uma residência, amarrarem e agredirem a vítima.

Homem é amarrado e agredido durante assalto na Vila dos Comerciários

Continuar Lendo

Polícia

MATINHOS: Suspeito de tráfico é encontrado escondido embaixo de cama

Ele havia fugido de uma abordagem da PM no Rio da Onça.

Publicado

no

Por

Vitor Henrique da Silva Cruz, de 20 anos, foi preso pela Polícia Militar, na manhã de sábado (16/10), acusado de tráfico de drogas na cidade de Matinhos. Na ação foram apreendidas porções de maconha e cocaína, além de dinheiro.Tudo começou por volta das 10 horas, quando uma equipe policial estava em patrulhamento pela região do Rio da Onça e, ao chegar em um local conhecido como “Beco da Vera” e denunciado por ser ponto de tráfico e uso de drogas, na Rua Padre Joaquim Braz Damaceno, avistou o rapaz agachado atrás de um veículo, na companhia de um ciclista.

A dupla, ao perceber a aproximação da viatura, demonstrou nervosismo e, em seguida, o homem que estava montado na bicicleta saiu do local rapidamente, não sendo possível abordá-lo. Vitor foi em direção a uma residência na mesma rua e, na fuga, deixou cair um invólucro plástico contendo seis porções de maconha.

ESCONDERIJO – De imediato, os policiais foram até o imóvel onde o rapaz se encontrava e, durante a busca domiciliar, encontraram ele escondido embaixo de uma cama box.

Em seguida, Vitor informou que em um terreno baldio ao lado da casa, embaixo de uma pedra, haveria mais entorpecentes, além de dinheiro. Seguindo as informações do rapaz, os policiais encontraram um invólucro contendo mais sete porções de maconha e outro com 15 buchas de cocaína. Junto com as drogas foi encontrada a quantia de R$ 70 em notas e moedas.

COMEÇOU CEDO NO TRÁFICO
Segundo a ocorrência, durante a abordagem o jovem relatou aos militares que estava envolvido com o tráfico de drogas desde o ano de 2015.

Vitor Henrique da Silva Cruz acabou encaminhado ao plantão da Delegacia Cidadã de Matinhos, junto com tudo que foi apreendido, para que fossem tomadas as providências necessárias.

Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.