Ligue-se a nós

Brasil

Mega-Sena tem prêmio estimado de R$ 48 milhões no próximo sorteio

APOSTAS PODERÃO SER FEITAS ATÉ AS 19H

Publicado

no

Agora Litoral
Nenhuma aposta acertou o prêmio principal da Mega-Sena no sorteio realizado nesse sábado (15). As dezenas sorteadas foram: 08 – 38 – 44 – 50 – 56 – 60.

Com isso, o prêmio acumulou. De acordo com a Caixa, a estimativa para próximo sorteio, que será realizado na terça-feira (18), é um prêmio principal de R$ 48 milhões para quem acertar as seis dezenas.

A Quina teve 72 apostas vencedoras, e cada uma vai receber R$ 46.944,97. A quadra vai pagar R$ 885,33 a cada uma das 5.454 apostas ganhadoras.

As apostas para o Mega-Sena poderão ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país e também no portal Loterias Online da Caixa. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Da Agência Brasil
Anúncio
Clique para comentar

Deixe um comentário!

Brasil

Bolsonaro promete ‘tirar peso do governo sobre quem trabalha e produz’

DIZ TAMBÉM QUE VAI RESTABELECER A ORDEM NO PAÍS

Publicado

no

Por

Do G1

O presidente Jair Bolsonaro prometeu nesta terça-feira (1º), ao discursar no parlatório do Palácio do Planalto após receber a faixa presidencial do agora ex-presidente Michel Temer, “tirar o peso do governo sobre quem trabalha e produz” e “restabelecer a ordem” no país.

Depois de garantir que o governo dele implementará as reformas necessárias para o Brasil avançar, Bolsonaro afirmou que agora tem o desafio de “enfrentar os efeitos da crise econômica”, o “desemprego recorde”, a “ideologização” das crianças, o “desvirtuamento dos direitos humanos” e a “desconstrução da família”.

“Vamos propor e implementar as reformas necessárias. Vamos ampliar infraestrutura, desburocratizar, simplificar, tirar a desconfiança e o peso do governo sobre quem trabalha e quem produz”, discursou o novo presidente aos apoiadores que lotavam a Praça dos Três Poderes para acompanhar o pronunciamento.

Jair Bolsonaro chegando para a solenidade de posse. (Fabio Rodrigues Pozzebom/Ag Brasil)

Ao longo do discurso de oito minutos, Bolsonaro também afirmou que, com a posse dele, o Brasil “começou a se livrar do socialismo” e disse que é “urgente acabar com a ideologia que defende bandidos e criminaliza policiais”.

“É com humildade e honra que me dirijo a todos vocês como presidente do Brasil. E me coloco diante de toda a nação, neste dia, como o dia em que o povo começou a se libertar do socialismo, da inversão de valores, do gigantismo estatal e do politicamente correto” (Jair Bolsonaro)

Ao final do discurso, ele abriu, com o auxílio do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, uma bandeira do Brasil e citou um dos cânticos que marcaram protestos contra o governo Dilma Rousseff.

“Essa é a nossa bandeira [a do Brasil, verde e amarela], que jamais será vermelha”, enfatizou, sob aplausos de apoiadores que estavam na Praça dos Três Poderes.

Em outro trecho do discurso, Bolsonaro voltou a agradecer a Deus por ter sobrevivido ao atentado à faca durante a campanha eleitoral e aos eleitores que o elegeram presidente da República.

Ele ressaltou, mais uma vez, que a eleição presidencial deu “voz” a quem não era ouvido e que o desejo expresso nas ruas e nas urnas foi de “mudança”.

O novo chefe do Executivo destacou que foi eleito “com a campanha mais barata da história” e disse que vai combater o que classificou de “ideologias nefastas” que tentam “dividir os brasileiros”.

“Não podemos deixar que ideologias nefastas venham a dividir os brasileiros, ideologias que destroem nossos valores e tradições, que destroem as nossas famílias, alicerce da nossa sociedade”, declarou.

O presidente ressaltou que o governo dele pretende priorizar a educação básica, que ele classificou como uma das formas de reduzir a desigualdade social, e voltou a dizer que a relação do Brasil com outros países não se guiará pelo viés ideológico.

No período de transição, Bolsonaro pediu ao Itamaraty para desconvidar os representantes de Cuba e da Venezuela para a cerimônia de posse.

Posse teve beijo apaixonado da primeira-dama Michelle Bolsonaro no Presidente. (Marcelo Camargo/Ag. Brasil)

NO CONGRESSO
O discurso no parlatório do Palácio do Planalto foi o segundo do dia do novo presidente da República. Mais cedo, durante a cerimônia de posse no plenário da Câmara dos Deputados, Bolsonaro discursou ao longo de nove minutos.

Na primeira fala como presidente empossado, ao falar sobre os desafios do novo governo na área econômica, ele propôs um “pacto nacional” entre a sociedade e os poderes da República.

Continuar Lendo

Brasil

Morre aos 70 anos o cantor e compositor Belchior

Belchior marcou seu nome na MPB em mais de 40 anos de carreira

Publicado

no

Belchior foi um dos ícones mais enigmáticos da música popular no Brasil

Paranaguá, PR
Agora Litoral

O cantor e compositor cearense Belchior, de 70 anos, morreu na noite deste sábado (29) em Santa Cruz do Sul (RS). A família não divulgou a causa da morte. O corpo deve ser trazido para o Ceará, onde ocorrerá o sepultamento na cidade de Sobral, onde o artista nasceu.

O Governo do Estado do Ceará confirmou a morte e decretou luto oficial de três dias. “Recebi com profundo pesar a notícia da morte do cantor e compositor cearense Belchior” disse em nota o governador Camilo Santana. “O povo cearense enaltece sua história, agradece imensamente por tudo que fez e pelo legado que deixa para a arte do nosso Ceará e do Brasil”.

O traslado do corpo será feito pelo Governo do Ceará, que aguarda liberação das autoridades gaúchas. O horário ainda não foi confirmado, mas a expectativa é que o corpo seja levado ainda neste domingo (30).
Nascido em 26 de outubro de 1946, Belchior foi um dos ícones mais enigmáticos da música popular no Brasil, com mais de 40 anos de carreira. Teve o primeiro sucesso nos anos 70 ao lado do também cearense Fagner, com a faixa “Mucuripe”. Com o disco “Alucinação” (1976), lançou clássicos como as faixas “Apenas um rapaz latino-americano”, “Velha roupa colorida” e “Como nossos pais”, essa última que se tornou conhecida na voz da cantora Elis Regina.

Em 2007, a família reclamou do sumiço do artista, que abandonou a carreira; e nem mesmo seu produtor musical conseguia contato. Belchior morou em hotéis e, em um deles, chegou a deixar um carro no estacionamento ao desaparecer. A partir daí, foram surgindo boatos a respeito do paradeiro do cantor.

Belchior chegou a ser procurado pela polícia em 2012 devido a uma dívida, à época, de R$ 30 mil em um hotel na cidade de Artigas, no Uruguai, por seis meses de diárias. No fim daquele ano, em meio à polêmica, foi visto em Porto Alegre, mas não quis gravar entrevista.

Continuar Lendo

Brasil

Morre o cantor Jerry Adriani

Aos 70 anos, ídolo da Jovem Guarda lutava contra um câncer

Publicado

no

Por

Jerry Adriani era considerado o mais rockeiro da Jovem Guarda e iniciou a carreira cantando em italiano

Paranaguá, PR
Agora Litoral

O cantor Jerry Adriani, um dos ídolos da Jovem Guarda, faleceu neste domingo (23) depois de enfrentar um câncer. Ele estava internado no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Jerry havia sofrido uma trombose nas pernas em março e feito uma bateria de exames que resultou no diagnóstico de câncer. Ele tinha 70 anos.

Na certidão de nascimento, ele se chamava Jair Alves de Souza e nasceu no dia 29 de janeiro de 1947, no bairro do Brás, em São Paulo. Seu primeiro disco foi “Italianíssimo”, no qual cantava músicas em italiano. O nome Jerry Adriani foi incorporado à sua carreira. Em 1965, ele começar a gravar músicas em português.

Jerry se foi no ano em que passaria todas as suas histórias a limpo. Ajudado pelo amigo, o pesquisador Marcelo Fróes, ele previa uma biografia de muitos causos e o lançamento de um disco cantando músicas de Raul Seixas. Estava feliz, dava entrevistas vibrantes e abria o coração para falar do passado.

Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.