Ligue-se a nós

Política

MP ajuíza ação contra presidente da Câmara de Vereadores de Matinhos

SÓ EM 2018 FORAM GASTOS R$ 435 MIL EM DIÁRIAS

Publicado

no

Agora Litoral
A 2ª Promotoria de Justiça de Matinhos, no Litoral paranaense, ajuizou nesta terça-feira (19), ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o presidente da Câmara Municipal, vereador Gerson da Silva Junior, o Dr. Gerson. A razão foi o pagamento excessivo de diárias em 2017 e 2018, contrariando recomendação administrativa emitida pelo Ministério Público do Paraná para que houvesse controle dos gastos com diárias.

De acordo com a ação, apenas em 2018, foram gastos quase R$ 435 mil em diárias – valor muito além do dispendido por Câmaras de Vereadores de municípios de porte aproximado, como Guaíra e Assis Chateaubriand. Além disso, afirma o documento, “vereadores e servidores da Câmara Municipal de Matinhos não fazem a prestação de contas quando do retorno das viagens, embolsando integralmente o montante das diárias”, um dos motivos que explicam “os gastos exorbitantes do Poder Legislativo com diárias”.

Na análise do mérito da ação, o MPPR requer a condenação do vereador Gerson às sanções da Lei de Improbidade, como perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, ressarcimento dos danos aos cofres públicos e pagamento de multa e de danos morais coletivos.

Liminarmente, pede que seja decretado o bloqueio de bens do presidente da Câmara Municipal de Matinhos em R$ 400 mil, para garantia de pagamento da multa em caso de condenação.

Anúncio
1 Comentário

Deixe um comentário!

Política

Paranaguá terá novo vereador quarta-feira

JOÃO MENDES ASSUME NO LUGAR DE MARCUS ROQUE

Publicado

no

Por

Agora Litoral
A cidade de Paranaguá terá novo vereador nesta quarta-feira (27). João Mendes Filho, do MDB, assume, na Câmara Municipal, às 19 horas, no lugar de Marquinhos Roque (PODEMOS), cassado por infidelidade partidária.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou, na noite de segunda-feira (25), a perda do mandato de Marquinhos, que ocupava o cargo de presidente da Câmara de Vereadores.

A Justiça Eleitoral entendeu que a migração de Marquinhos Roque, do MDB para o PODEMOS, ocorreu sem justa causa, e que não havia nenhuma das hipóteses legais que autorizariam a troca de partido.

Marquinhos Roque perdeu o mandato

EXPERIÊNCIA
João Mendes Filho é servidor municipal há 37 anos. Ingressou no serviço público aos 17 anos, quando ainda era permitido, na função de contínuo (office-boy). Com o tempo exerceu diversos cargos até chegar à condição de secretário municipal de Administração, em duas gestões do ex-prefeito Mario Roque.

Em 2008, elegeu-se vereador, com 855 votos, para a legislatura 2009/2012. Na última eleição obteve 326 votos e ficou como primeiro suplente do MDB.

Com a saída de Marquinhos Roque do MDB ingressou com ação de infidelidade partidária, em 18 de maio de 2018, conquistando definitivamente o cargo após decisão do ministro Edson Fachin, do Tribunal Superior Eleitoral, na segunda-feira, 25 de março.

MANDATO
Em entrevista ao Agora Litoral, João Mendes Filho disse que vai exercer o cargo “em defesa da cidade de Paranaguá”, através de projetos que possam atrair empresas e gerar empregos. Igualmente, prometeu lutar pelos funcionários públicos.

Perguntado sobre qual deveria ser sua postura na Câmara Municipal, afirmou que votará conforme sua consciência. “Os projetos do Executivo que eu considerar de interesse da comunidade terão meu voto”, adiantou.

Continuar Lendo

Política

Marcelo faz balanço de dois anos e reafirma compromissos de campanha

PREFEITO DE PARANAGUÁ ABRIU ANO LEGISLATIVO

Publicado

no

Por

Agora Litoral
Na abertura do Ano Legislativo, na segunda-feira (4), o prefeito Marcelo Roque lembrou aos vereadores de Paranaguá algumas ações já promovidas pela prefeitura e afirmou que 2019 é o “ano chave” da sua administração, quando “muitos sonhos planejados em 2017 sairão do papel”. Ele também reafirmou compromissos feitos durante a campanha eleitoral.

Em seu discurso, o prefeito reforçou ainda as principais medidas adotadas no início da gestão, que, segundo ele, eram “necessárias para tirar a cidade da situação em que se encontrava”. Marcelo Roque enalteceu a arrecadação do Município através do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) que, em 2018 superou o arrecadado em 2017. “Com isso, pudemos investir ainda mais em saúde, educação e segurança”, comentou.

O prefeito de Paranaguá pontuou as principais ações e investimentos realizados nos dois primeiros anos do seu governo.

ESTAÇÃO FERROVIÁRIA
“Tudo tem seu devido tempo”, disse ele, ao comentar sobre a estação ferroviária. “Em breve, ela será devolvida aos parnanguaras”, afirmou.

Marcelo recordou que, em 2017, a Prefeitura iniciou a reforma do cartão postal, mas esta foi abandonada pela empresa, que será penalizada. O prefeito anunciou que uma nova licitação para o término da obra da estação ferroviária está prestes a acontecer.

INFRAESTRUTURA URBANA
Segundo o prefeito, durante 2017 e 2018, a administração já bateu recorde de extensão de asfalto, se comparada a outras gestões. “São mais de 42 KM por toda Paranaguá. Quando você sai de casa, se depara com uma rua mais iluminada e segura. Quando você pega seu carro, sua moto, ou até embarca no ônibus, cruza pelos investimentos promovidos pela Prefeitura”, ressaltou.

De acordo com ele, os serviços de infraestrutura urbana têm diminuído os problemas da população, que conta com drenagem, meio-fio e calçamento. Marcelo Roque salientou que até o final da sua gestão Paranaguá estará com 100% de iluminação em LED. “Se em dois anos já fizemos 42 KM, sabemos que somos capazes de fazer muito mais”, destacou.

ILHA DOS VALADARES
O prefeito Marcelo Roque recordou que a última reforma na Passarela da Ilha dos Valadares foi realizada em 2001, quando era diretor de obras na gestão do ex-prefeito Mário Roque. Lembrou também que, na semana passada, a Prefeitura entregou a primeira fase da reforma da passarela que passou por serviços subaquáticos. “Naquele dia, anunciei a ampliação da passarela em mais 2 metros, com o intuito de oferecer mais segurança aos que a utilizam”, ressaltou.

SAÚDE
“Hoje temos uma administração muito mais próxima da população, com uma saúde muito melhor do que encontramos”, disse o prefeito ao começar a falar sobre as ações de saúde. “No início de 2017, a Prefeitura estava doente, com uma saúde caótica. No entanto, em dois anos, foram realizados quatro testes seletivos para contratar mais funcionários para atender toda a demanda. Hoje, o programa Estratégia Saúde da Família abrange 85% da população, contra os 19% do início da gestão”.

Além disso, a aquisição de 23 novos veículos (entre vans, micro-ônibus e automóveis) foi destacada pelo prefeito na sessão inaugural do ano legislativo parnanguara. “Contamos com mais de 40 médicos atuando nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). A UBS da Ilha dos Valadares é 24h, e mais cinco UBS’s funcionam em horário estendido na cidade. Outras três unidades estão em construção – no Porto Seguro, Leblon e Ilha dos Valadares – além de uma, na Ilha do Mel, em Encantadas”, mencionou o prefeito.

Sobre a dengue e a febre-amarela, Marcelo Roque disse que a Prefeitura está no controle e no combate aos mosquitos transmissores. “Não podemos relaxar; a preocupação deve ser de todos nós”, declarou.

Sobre as reformas e manutenções nas Unidades de Saúde, o prefeito destacou que todas as unidades foram submetidas a obras para resolver problemas estruturais. O antigo prédio abandonado do CME é exemplo. Ele foi reformado e entregue à população, e hoje abriga a sede da Secretaria Municipal de Saúde e Prevenção (Semsap).

ERASTO GAERTNER EM PARANAGUÁ
No antigo prédio do CME é que será instalada uma unidade do Hospital de Oncologia Erasto Gaertner. “Hoje, 4 de fevereiro, é dia mundial de combate ao câncer, e relembro que já recebemos o CNPJ de funcionamento da unidade. O paciente não precisará mais ir até Curitiba. Só quem vive ou viveu isso sabe a importância que esse serviço terá em Paranaguá”, disse.

EDUCAÇÃO EXEMPLO
Outros estados do Brasil têm se baseado na educação municipal de Paranaguá, segundo o prefeito Marcelo Roque. Ele destacou o trabalho desempenhado pelos profissionais do magistério e lembrou do concurso público realizado na educação que contratou centenas de novos profissionais.

Entre 2017 e 2018, espaços abandonados foram reativados e revitalizados, além de novos terem sido inaugurados. É o caso do CMAE que atende professores e alunos em acompanhamentos com especialistas.

“Viramos matéria no Jornal Nacional quando retiramos do papel, depois de seis anos, o CMEI Denise Alboit, que se encontrava abandonado e com prazos extrapolados”, comentou o prefeito. A entrega do novo CMEI ajudou no desenvolvimento do bairro Jardim Iguaçu, junto ao novo asfalto, drenagem, infraestrutura e a chegada do Céu das Artes.

Além disso, Marcelo Roque afirmou que a Prefeitura honrou com todos os pagamentos dos profissionais da educação, já no início de 2019, os retroativos das elevações de nível e piso nacional com reajuste de 4,17%. Mais de 1.900 professores da Rede Municipal de Ensino foram beneficiados com a medida. “Estamos em dia com a educação, na contramão da economia do país e começando 2019 com o pé direito”, ressaltou o prefeito.

MEIO AMBIENTE
“A Secretaria de Meio Ambiente também tem feito a diferença”, destacou o prefeito aos representantes do povo na Câmara Municipal. Lembrou que os lixões a céu aberto foram substituídos pelas Praças de Bolso na cidade e que o atendimento veterinário itinerante e gratuito percorre todos os bairros em sua gestão. O prefeito de Paranaguá anunciou uma nova licitação que deixará a cidade mais limpa e abrangerá mais localidades com equipamentos exclusivos, inclusive nas Ilhas.

CELEIRO DE CAMPEÕES
Marcelo Roque enalteceu Paranaguá e disse que a Cidade Mãe do Paraná é um orgulho e que muita gente ‘veste a camisa da nossa cidade’. Ele observou também a implantação do Bolsa Atleta que tem beneficiado os profissionais do esporte. “Incentivamos e apoiamos os nossos atletas em suas carreiras”, acrescentou.

O prefeito contou que Paranaguá foi escolhida para sediar o Campeonato Sul-Americano de Karatê de 2020. “Disputamos com a cidade de Piumhi, em Minas Gerais, e ganhamos por 10×0. Não queremos apenas que o visitante saia daqui encantado com a nossa terra. Queremos muito mais do que isso. Queremos que eventos como esses tragam benefícios reais para os moradores”, comentou.

SEGURANÇA
“A Guarda Municipal está equipada”, afirmou Marcelo Roque. Falou das novas viaturas, coletes balísticos, pistolas e motocicletas. e também dos investimentos na capacitação da corporação com a implantação da Academia da Guarda e cursos. “Destaque para a Guarda Ambiental, Ronda Ostensiva, Departamento de Trânsito e a recentemente inaugurada Patrulha Maria da Penha que, com menos de uma semana de existência, já está atuando na defesa de direitos da mulher parnanguaras”, frisou o prefeito.

CULTURA E TURISMO
A Prefeitura criou a Festa do Caranguejo e o Amor de Natal, atraindo turistas com a chegada do verão. “Além disso, estamos fomentando ações culturais como é o caso do Mais Verão na Ilha do Mel, que conta com atividades recreativas e artísticas”, disse.

“Depois do anúncio de que o Robalos Rebeldes não faria mais o Paranaguá Motos, abraçamos o evento e o tornaremos uma festa municipal. Não vamos deixar que a tradição se perca”, acrescentou Marcelo Roque. Salientou ainda que o Município apoia e incentiva os mais de 29 eventos do Calendário Oficial anualmente.

TARIFA JUSTA
Marcelo Roque lembrou da intervenção decretada, em outubro de 2018, na empresa prestadora de serviço de água e esgoto em Paranaguá. Ele também recordou de alguns fatos determinantes como: a falta de justificativa para os valores cobrados atualmente na tarifa, os níveis de perda no abastecimento de água e a utilização do sistema de coleta de esgoto de maneira unitária. “Tudo isso foi baseado em um estudo técnico e encaminhado também ao Ministério Público”, defendeu o prefeito.

“Eu vou até o final dessa disputa pelo bem da população parnanguara, por uma tarifa justa e por um serviço de qualidade”, prometeu Marcelo Roque.

Primeira sessão do ano estava lotada

PROJETOS QUE SAIRÃO DO PAPEL
Na abertura do Ano Legislativo na Câmara Municipal de Paranaguá, Marcelo Roque também lembrou dos compromissos ainda assumidos em campanha (da própria Estação Ferroviária, Subprefeituras, Centro do Idoso, e a revitalização da Praça Mario Roque) e disse que tudo se realizará com o tempo.

“Foi uma longa caminhada até aqui e quero reafirmar a minha dedicação para os próximos dois anos de gestão a serviço da nossa cidade”, afirmou.

Por último, disse que deseja continuar “uma relação de trabalho, harmonia e respeito” com os vereadores. “Tenho a convicção de que compartilhamos objetivos comuns para o bem de Paranaguá”, disse, ao se referir à importante união dos poderes em prol da população.

Prefeito de Paranaguá falou aos vereadores e à população presente

Continuar Lendo

Política

Marcelo Roque sem fricote e sem frescura

PREFEITO DE PARANAGUÁ RESPONDE SOBRE TUDO

Publicado

no

Agora Litoral – ENTREVISTA

Perto de completar dois anos à frente da maior cidade do Litoral do Paraná, o prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, aceitou conceder uma entrevista exclusiva pela primeira vez ao Agora Litoral.
Nossa exigência: perguntar de tudo. A única dele: não falar de assuntos pessoais. A entrevista foi gravada no dia 26 de novembro, em seu gabinete.
Marcelo Roque falou sobre a redução da tarifa de água, das promessas de campanha ainda não realizadas, do relacionamento com o Legislativo, dos problemas da cidade, das críticas que recebe e de vários outros temas.

Agora Litoral: Prefeito, permita começar descontraidamente: o seu governo é sem fricote e sem frescura?

Marcelo Roque: Sem frescura nenhuma! Com dois anos de idade perdi minha mãe. Imagine um pai cuidando de seis crianças… As coisas tinham que ser práticas e objetivas. Amor não faltou, mas nossa vida era muito simples. Simplicidade que fez com que o povo de Paranaguá se identificasse com a família Roque ao longo de todos esses anos. Foi assim que eu aprendi. A minha gestão é baseada nos mesmos pilares de simplicidade com que meu pai viveu: ouvindo o povo.

AL: Qual o seu balanço depois desses quase dois anos à frente da Prefeitura?

MR: Quando me propus a ser prefeito dessa cidade, em 2016, sabia que boa parte do esforço da nossa equipe seria para corrigir os erros do passado. Já avançamos em vários problemas, principalmente na Saúde, quando, por exemplo, diminuímos o tempo de atendimento da UPA.

Também avançamos com a pavimentação, drenagem e padronização de calçadas em vários bairros. Quando chegamos em um bairro novo, os moradores dos bairros ao redor já começam a reivindicar nas redes sociais. Todos querem sair da lama e pisar no asfalto, e a gente sempre pede paciência. Ainda existe muito para ser feito, mas ainda temos dois longos anos de trabalho e tenho certeza de que serão dois anos de muito progresso.

AL: Uma das áreas mais carentes de Paranaguá sempre foi a Saúde. Como ela está hoje?

MR: É importante a gente lembrar da situação caótica em que a Saúde se encontrava. Faltava gestão, fiscalização e humanidade. Em dois anos conseguimos realizar quatro testes seletivos para contratação de pessoal, aumentando o Saúde da Família de 19% para 85%.

Também contratamos uma empresa para suprir os plantões médicos. Hoje temos mais de 40 médicos atuando nas Unidades Básicas de Saúde e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Investimos R$ 2,6 milhões e adquirimos 23 novos veículos.

Implantamos o horário estendido nas unidades básicas de Alexandra, Vila Garcia, Serraria do Rocha, Vila Divinéia, Gabriel de Lara e Serraria do Rocha, além da Ilha dos Valadares, que agora é 24h.

Outras três unidades estão em construção: no Porto Seguro, no Leblon, mais uma na Ilha dos Valadares e outra em Encantadas, na Ilha do Mel.

O controle dos focos de dengue também está sendo uma marca desta administração, embora ainda temos muito a avançar na conscientização.

Todas as unidades básicas de saúde passaram por manutenção completa, resolvendo problemas estruturais antigos desde o telhado, pintura, piso, forro, parte elétrica e hidráulica, dentre outras benfeitorias.

Resgatamos o antigo CME daquela vergonha que se encontrava. Um verdadeiro criadouro de dengue no coração da cidade. Hoje abriga a Secretaria Municipal de Saúde, e futuramente as instalações da unidade avançada do Hospital Erasto Gaertner.  As licitações para compra do mobiliário e de equipamentos estão adiantadas. O paciente de câncer não precisará mais ir a Curitiba ou em municípios da região metropolitana para fazer quimioterapia ou consultas. Só quem vive ou viveu isso sabe a importância que esse serviço vai ter.

AL: E a saída dos médicos cubanos?

MR: Com o anúncio do término do convênio com o governo brasileiro e o retorno dos médicos para Cuba já tomamos as providências para que a empresa contratada possa suprir os plantões e faça as devidas reposições, pois atualmente a situação é mais confortável e não há falta de profissionais no quadro. Somos muito gratos por todo esse tempo de dedicação dos médicos cubanos à população parnanguara.

AL: Para governar, é necessário um bom relacionamento com a Câmara. Como é esse relacionamento?

MR: A Câmara tem trabalhado em prol da população, entendendo as nossas demandas e propondo melhorias e projetos de relevância para toda a sociedade.

AL: Como o senhor define a oposição no Legislativo?

MR: Perdida, orquestrada por um uma TV falida, sempre pensando na próxima eleição. Eles se colocam contra propostas que beneficiam a população por puro desprazer político-partidário, por não gostarem da cor dos meus olhos. Até agora, em dois anos, não vi nenhuma grande ação positiva por parte dos que se dizem oposição, mas ainda tenho esperança de que essa mesma oposição dedique mais tempo para trabalhar em prol da população.

AL: Prefeito, vamos colocar um pouco mais de sal e pimenta na nossa conversa. Pode ser?

MR: Sim, claro.

AL: O senhor falou dos avanços na cidade, mas algumas coisas não saíram do papel, como a Estação Ferroviária, por exemplo. O que houve?

MR: Se você vai reformar a sala da sua casa, acerta o valor com o profissional e no meio da obra ele diz que vai precisar de mais dinheiro você continua a obra? Pior ainda: se ele diz que troca a janela por um valor x e depois de um tempo ele pede o dobro?

A Estação é minha promessa de campanha; nossos técnicos e fiscais da prefeitura não concordaram com as exigências que a empresa fez no meio da obra e só pagamos o que foi acordado. Do contrário seríamos todos lesados.

Ainda assim a parte mais complexa, que era o telhado, já foi concluída. A estação está com mais de 50% da obra concluída. Outra licitação está em andamento para finalizarmos e termos o nosso cartão-postal de volta o quanto antes.

AL: Outra pedra no sapato do parnanguara é a tarifa de água e esgoto, que o senhor, na campanha eleitoral, prometeu resolver e, inclusive, até interviu na empresa responsável por esse serviço, mas nada mudou até agora. Há alguma expectativa favorável para a redução na conta de água e esgoto?

MR: Não é novidade pra ninguém que decretamos a intervenção na empresa; estamos falando isso desde outubro. Três situações foram determinantes para que isso acontecesse naquele momento: a falta de justificativa para os valores cobrados atualmente na tarifa, os níveis de perda no abastecimento de água e a utilização do sistema de coleta de esgoto de maneira unitária que, em casos de enchente, faz com que o esgoto volte.

Tudo isso foi baseado em um estudo técnico e encaminhado também ao Ministério Público. A fiscalização está muito mais fundamentada. A cobrança de esgoto no Valadares e em outros bairros ainda não foi autorizada. No Valadares se cobrava esgoto sem ter a Estação de Tratamento funcionando. Também preciso destacar o episódio de flagrante das fezes calcificadas, lançadas no Rio Itiberê e mostradas pela RPC e outras mídias de nível estadual.

AL: A intervenção não foi até o ponto que a Prefeitura queria. O senhor vai desistir dessa luta?

MR: Não! Eu vou até o final dessa disputa judicial pelo bem da população parnanguara, por uma tarifa justa, por um serviço de qualidade.

AL: Há pouco tempo um ponto de parada de ônibus caiu em cima de uma pessoa na Avenida Roque Vernalha. Qual o motivo de muitos deles estarem em tão péssimas condições? O que está sendo feito para solucionar esse problema que atinge milhares de pessoas?

MR: Licitações com preços altíssimos e materiais de péssima qualidade sem contemplar a manutenção. Mais um vício do passado que está sendo corrigido. Quando esse episódio aconteceu estávamos finalizando a fase interna da licitação dos novos pontos. Quando se assume gestão não se pode resolver tudo ao mesmo tempo. Alguns problemas demoram mais pela complexidade técnica de encontrar fornecedores e orçamentos de preço justo. A equipe que trabalha nas licitações dos pontos de ônibus é a mesma que, em breve, vai licitar a nossa balsa municipal e acabar com outro problema histórico.

AL: A balsa municipal para o Valadares então será realidade?

MR: Com certeza. Os moradores da Ilha não merecem pagar tão caro por esse serviço.

AL: O senhor tem sido bombardeado, desde o início do mandato, pela televisão local. Na sua opinião, qual o real motivo das críticas tão ácidas ao seu governo?

MR: Isso tá até chato… A própria população está saturada e já percebeu que a intenção desta emissora é tão somente atacar a mim, minha gestão e minha família. É lamentável que já contamos hoje exatamente dois anos e 2 meses passados da eleição e eles ainda não digeriram a derrota.

AL: Como assim?

MR: Ora, todo mundo sabe que a TV almeja conquistar a prefeitura. Resta saber pra que… A perseguição aumenta a cada dia porque não recebem verba municipal alguma. Alguns veículos de comunicação estavam acostumados a receber dinheiro dos cofres públicos em troca de elogios à administração, mesmo esta sendo um caos. E esse tipo de acordo ilegal eu não admito na minha gestão. Essa situação está sendo investigada, e quem for condenado vai ter que devolver dinheiro para o Município.

AL: Devolver dinheiro? Por quê?

MR: Alguns veículos de comunicação foram condenados administrativamente por recebimento de valores dos cofres públicos sem que conseguissem comprovar a execução dos serviços. Por tal motivo, o Município ingressou com medida judicial contra esses veículos de comunicação visando receber e restituir aos cofres públicos os valores que receberam indevidamente.

AL: Ainda sobre a TV local… Atualmente ela está repercutindo a ideia de indícios de direcionamento e superfaturamento na licitação para a contratação de empresa que deve fazer a coleta de lixo em Paranaguá. Por que o valor de referência saltou para R$ 28 milhões, mais alto até que Cascavel e Maringá?

MR: Paranaguá tem dimensões e cenários diferentes desses que você citou. Temos ilhas e regiões afastadas, que até então não são contempladas nas licitações anteriores. Com isso já descartamos a comparação com essas cidades.

AL: Mas aumentou o valor da licitação…

MR: O valor inicial da licitação aumentou em virtude de vários fatores, como a necessidade de ampliação dos serviços, aumento da quantidade de lixo coletado e em lugares que até então não é feito pela empresa que presta o serviço atualmente.

As licitações de serviços diferenciados foram feitas separadamente em outras gestões. Nesta gestão, foram realizados inúmeros estudos técnicos para que todos os serviços pudessem integrar um só processo, o que efetivamente facilitará a fiscalização bem como haverá uma significativa economia aos cofres públicos.

As últimas licitações, que abrangiam a limpeza pública do município totalizaram mais de R$ 26 milhões. Os técnicos do município efetuaram todos os levantamentos, estudos e diagnósticos para apurar a real necessidade e solução para a limpeza da cidade, agrupando todos os contratos anteriores, chegando ao valor de R$ 28 milhões por conta da ampliação de serviços, da quantidade coletada e das áreas incluídas. Mesmo assim esse valor ainda pode diminuir por conta da disputa durante a concorrência pública.

AL: Dê um exemplo prático da melhoria desse serviço…

MR: Um exemplo? Ilha dos Valadares e Alexandra serão atendidas por um caminhão cada; são regiões que antes não eram contempladas. Aliás, o número de equipamentos de limpeza é bem maior também em comparação à licitação anterior.

A licitação anterior possuía vários vícios, não sendo um modelo ideal de comparação para esta que estamos fazendo, inclusive me admira que alguns veículos de comunicação não tenham fiscalizado na época…

AL: A nova licitação incluirá as comunidades marítimas?

MR: Sim, a nova licitação também inclui serviços nas comunidades marítimas e regiões mais isoladas como comunidade de Amparo, Piaçaguera, Ponta do Ubá, Europinha, Eufrasina, São Miguel, Ilha da Cotinga e Ilha do Teixeira. Todos esses argumentos e ainda a necessidade de se acabar com a dengue de vez no município nos dão total segurança de que este processo é transparente, econômico e eficiente.

AL: Sabe-se que não dá pra fazer tudo em quatro anos, mas o senhor pretende cumprir algumas promessas de campanha, como a revitalização do Aeroparque, por exemplo?

MR: Com a nova iluminação do Aeroparque acredito que já avançamos bastante, principalmente em segurança. O playground é um sucesso entre as crianças e, em breve, atenderemos as crianças especiais. Mais qualidade de vida e o direito de brincar que toda criança tem, mas não pára por aí, tudo isso vai ficar ainda mais bonito quando dermos cara nova para o Aeroparque.

AL: E a praça que leva o nome do seu pai que o senhor prometeu revitalizar?

MR: Igualmente daremos cara nova para a Praça Mário Roque, que também é compromisso de campanha. Falando em compromisso de campanha, também faremos as subprefeituras. Nós assumimos o desafio de consertar os erros do passado e colocar a cidade no eixo, mas não esquecemos dos nossos compromissos de campanha e ainda temos muito chão pela frente.

AL: Prefeito, teríamos muitas outras perguntas, mas vamos deixar para uma outra oportunidade. Queremos agradecer pela entrevista e deixar um espaço para as suas considerações finais e um recado à população de Paranaguá…

MR: Fechamos o ano com chave de ouro e com a notícia de que nossas contas municipais referentes ao exercício de 2017 foram aprovadas por unanimidade pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná.

Faz mais de cinco anos que o Município não tem as contas aprovadas. Isso significa que atendemos a todos os preceitos legais, o que demonstra uma gestão de qualidade.

Eu só tenho a agradecer a compreensão e apoio de toda a população. Todos os dias quando acordo eu peço que Deus me proteja, me dê saúde e principalmente sabedoria para entender, perceber e resolver os problemas da população. Eu levo esses problemas para casa todos os dias, mas foi uma escolha que eu fiz. Então só tenho a agradecer à minha família pela paciência e o amor que recebo. Gostaria de agradecer pela oportunidade de falar sobre os avanços da nossa Paranaguá e desejar um bom final de ano a todos, e que 2019 seja muito melhor do que já foi 2018.

Marcelo Roque recebeu o Agora Litoral em seu gabinete no Palácio São José

Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.