Vanderlei será indiciado por homicídio culposo

G1 Paraná
O motorista do caminhão envolvido no acidente que matou duas pessoas na BR-277, entre elas o bombeiro Dreikon Barbosa Valério, de 29 anos, prestou depoimento na delegacia de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, nesta quinta-feira (2).

O motorista Vanderlei Pereira, de 45 anos, não quis gravar entrevistas. O advogado afirmou que o motorista não teve culpa pelo acidente e que fugiu porque estava em estado de choque.

“No dia do fato ocorrido, com o choque da batida, ele se evadiu (…) ele explicou que foi por total desespero”, disse o advogado responsável pela defesa do motorista, Carlos Bittencourt.

Ainda conforme o advogado, no momento da batida, o motorista voltava de uma festa, mas garantiu que ele não havia bebido.

A delegada Araci Carmen Vargas afirmou que o motorista deve ser indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e por fugir do local do acidente. “A partir do momento em que ele abandona a cena do crime, a cena do fato, o acidente de trânsito, não importa se as vítimas estavam mortas e não havia o que fazer. Eu, como cidadã comum, não tenho que fazer este tipo de análise”, disse a delegada.

O advogado do motorista afirmou que a moto pilotada pelo bombeiro estava acima do limite de velocidade. A delegada ressaltou que esta informação não diminui a responsabilidade do caminhoneiro.

“Ele (a vítima) pagou com a própria vida. Então não existe justificativa para um que tire a responsabilidade de outro”, disse.

ACIDENTE
O acidente aconteceu na madrugada de 17 de julho, em Foz do Iguaçu. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a moto que o bombeiro pilotava bateu contra o caminhão dirigido por Vanderlei.

Dreikon e a passageira da moto, Andressa Pamela Kozievitch, de 25 anos, morreram no local. O caminhoneiro fugiu, segundo a PRF.

NOTÍCIA RELACIONADA

Casal morre em grave acidente entre moto e furgão

>> Deixe sua opinião