Com shows nacionais já divulgados, Paranaguá está sem resposta oficial se eles acontecerão ou não

Paranaguá, PR
Agora Litoral

A Prefeitura de Paranaguá, no litoral paranaense, não se manifestou até esta terça-feira (18) sobre a decisão judicial liminar favorável concedida ao Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (ECAD) na sexta-feira (14), que impede a realização de shows na cidade no período de 21 a 31 de julho.

Nesse período estão agendadas apresentações na Praça de Eventos de artistas de renome nacional como Eduardo Costa e Leonardo (com o Show Cabaré), dia 27; Thaeme e Thiago (28); e André Valadão (29).

Procurada pelo Agora Litoral, a Secretaria de Comunicação não respondeu aos questionamentos por telefone e recomendou que as perguntas relativas à liminar concedida ao ECAD fossem feitas por email. A mensagem foi encaminhada às 14h30 de hoje, mas até o fechamento desta matéria não enviou qualquer resposta.

Além de não se posicionar oficialmente sobre a proibição de shows, a Prefeitura de Paranaguá segue agindo como se não tivesse conhecimento da decisão judicial e anunciando também outros shows para o período em que deve se abster de realizá-los sob pena de multa diária de R$ 10 mil.

A Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes anunciou que a Feira das Nações, que inicia no dia 21, terá apresentações de bandas locais até o dia 23 e que para o dia 26 haverá um show voltado aos católicos com Álvaro e Daniel, além dos demais (a partir do dia 27) com artistas de renome nacional.

OPINIÕES DIVIDIDAS

Enquanto isso, a decisão judicial tem motivado discussões acaloradas em alguns grupos sociais na internet. Uns acham que a proibição dos espetáculos seja um “boicote” ao atual Prefeito e que “esse tal de ECAD nunca cobrou em anos anteriores e agora está inventando”.

Outros, que governos anteriores sempre pagaram o cobrado pelo ECAD e que o valor estipulado para ser repassado aos autores das músicas interpretadas nos shows (R$ 49.888,20) deve ser pago pela Prefeitura, “já que os direitos autorais estão previstos em lei e essa deve ser igual para todos”.

MORRO DO CRISTO

Extraoficialmente, há a possibilidade da empresa Centro de Eventos Morro do Cristo, que está doando todos os shows para a Prefeitura, pagar o tributo cobrado pelo ECAD, já que se responsabilizou, através de Termo de Cooperação firmado, a resolver todo e qualquer problema, inclusive financeiro, relacionado à doação.

NOTÍCIA RELACIONADA

Aniversário de Paranaguá pode ficar sem shows anunciados

>> Deixe sua opinião