Ligue-se a nós

Notícias

UFPR Litoral realiza testagem em massa para a detecção de anticorpos contra a Covid-19

Objetivo é identificar pessoas que já foram infectadas pelo vírus, além de detectar respostas imunológicas à vacinação.

Publicado

no

O Laboratório de Microbiologia Molecular do Setor Litoral da Universidade Federal do Paraná (UFPR Litoral) está realizando campanhas de testagem em massa para a detecção de anticorpos contra o novo coronavírus. Os testes imunológicos, desenvolvidos pela equipe do Laboratório, têm o objetivo de identificar pessoas que já foram infectadas pelo vírus, além de detectar respostas imunológicas à vacinação.

O professor Luciano Fernandes Huergo, responsável por conduzir a pesquisa, explica que, para saber se as pessoas testadas apresentam anticorpos contra o coronavírus adquiridos pela vacinação, é utilizado o mesmo princípio do teste para detectar a infecção, apenas trocando a proteína viral investigada.

“Na nossa testagem, podemos colocar vários ‘pedaços’ diferentes do novo coronavírus para realizar a investigação dos anticorpos. Temos feito esse procedimento de duas formas. A primeira é baseada na proteína do nucleocapsídeo, que produzimos aqui no Setor Litoral. Com esse método, conseguimos identificar se há resposta à infecção, podendo haver reação cruzada com os anticorpos adquiridos depois da imunização pela Coronavac. Usamos o mesmo teste com a proteína spike, que nos é doada pelo Laboratório de Engenharia de Cultivo Celular da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nesse caso, além de conseguirmos detectar se houve infecção, também visualizamos possíveis respostas a todas as vacinas que estão disponíveis no país”, explica.

A linha de raciocínio seguida pelos pesquisadores é de que a pessoa que apresenta anticorpos contra a proteína spike e não desenvolveu a doença, mas foi vacinada, possivelmente gerou uma resposta imunológica em termos de ativação da produção de anticorpos por conta do imunizante.

“É difícil traçarmos um paralelo quanto ao anticorpo protetor ou neutralizante, porque nosso ensaio não vê isso diretamente, mas é uma forma indireta de confirmar que a vacina está gerando uma resposta que, presumivelmente, terá um efeito protetor”, revela Huergo.

Contudo, o professor ressalta que um resultado negativo de anticorpo após a imunização não significa que a vacina não teve efeito. “A vacina induz outras respostas do sistema imune, não apenas a produção de anticorpos”.Litoral
A equipe trabalha para levantar a incidência da Covid-19 na população do Litoral, por meio de parceria com as prefeituras. Cerca de mil amostras já foram analisadas na região e os dados estão sendo compilados a fim de obter um panorama da evolução da doença e da presença de anticorpos na população.

De acordo com o pesquisador, 8% das amostras coletadas no último trimestre de 2020 foram positivas. Os testes realizados no primeiro semestre de 2021 também apontaram 8% de casos de Covid-19, enquanto o segundo semestre já apresenta 12% de resultados positivos.

“Nas últimas 130 amostras coletadas em julho, fizemos testes duplos com o objetivo de verificar infecção e resposta à vacinação. Entre a cota analisada, 17% apresentaram resultado positivo para infecção e, ao todo, 33% foram positivas para infecção e vacinação”.

Como participar
Cerca de 100 vagas são abertas por semana e as coletas são realizadas no Campus do Setor Litoral, em Matinhos. Qualquer pessoa pode participar e não há exigência de que seja morador do litoral, desde que se disponibilize a estar no local na data e no horário indicados por conta própria. O cadastro pode ser realizado AQUI.

O teste é indicado para detectar infecções prévias pelo novo coronavírus, não havendo indicação para pessoas sintomáticas na fase aguda da doença. Melhores resultados são esperados com a coleta realizada 20 dias após o início dos sintomas.

Teste poderá diagnosticar outras doenças
Os criadores da tecnologia têm interesse em utilizá-la também para detecção de outras doenças. O próximo passo é usar a metodologia para investigar a dengue.

Uma oferta de transferência de tecnologia continua aberta para possíveis parcerias com o setor produtivo. Segundo o pesquisador, atualmente o teste tem destino exclusivo para pesquisas e não pode ser usado como diagnóstico oficial.

“Não temos condições de registrar um produto na Anvisa por questões financeiras e de infraestrutura. Porém, há a possibilidade de laboratórios de análises clínicas usarem o teste, caso seja realizada uma validação *in house da metodologia”.

*In house é um processo de validação de exames padronizados que tem como objetivo comprovar, por meio de testes, documentos e cálculos, se os exames utilizados em laboratórios estão exercendo suas funções conforme o esperado e de maneira segura.

Da Secom UFPR Litoral
Clique para comentar

Deixe seu comentário!

Notícias

Três apostas do Litoral acertam a quadra da Mega-Sena

Quina teve 37 ganhadores e cada um recebe R$ 59 mil.

Publicado

no

Por

Três apostas do Litoral do Paraná acertaram a quadra do concurso 2412 da Mega-Sena, realizado neste sábado (25), em São Paulo. Os jogos foram realizados em Guaraqueçaba (1), Matinhos (1) e Paranaguá (1). Cada aposta recebe R$ 949,97.Prêmio principal
O prêmio principal acumulou.

Os números sorteados foram: 09 – 16 – 34 – 36 – 49 – 60.

  • A quina teve 37 ganhadores, com prêmio médio de R$ 59.039,36.
  • A quadra teve 3.285 apostas ganhadoras e o prêmio médio para cada uma é de R$ 949,97.

Os detalhes do resultado foram divulgados pela Caixa na manhã deste domingo.

Próximo sorteio – O próximo concurso será na terça-feira (28), na Mega Semana da Primavera, com prêmio estimado em R$ 10 milhões.

Continuar Lendo

Notícias

Mega-Sena: Confira os números sorteados neste sábado

Caixa ainda não informou se há ganhadores ou se o prêmio acumulou.

Publicado

no

Por

O sorteio do concurso 2412 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (25), em São Paulo, teve como números sorteados: 09 – 16 – 34 – 36 – 49 – 60.

A Caixa ainda não informou se há ganhadores ou se o prêmio acumulou. O prêmio estimado é de R$ 7 milhões.

Continuar Lendo

Notícias

Turista que matou nativo na Ilha do Mel vai enfrentar o tribunal do júri

Sentença de pronúncia foi proferida nesta sexta-feira (24)

Publicado

no

Por

Ian Mattews é acusado de matar Nado Valentim

Ian Matthews Rosano Matiussi, acusado de matar Reinaldo Valentim, o Nado Valentim, na noite de 27 de dezembro de 2020, no local conhecido como “Mar de Fora”, na areia da praia em Encantadas, na Ilha do Mel, vai a julgamento popular.

A sentença de pronúncia foi proferida na sexta-feira (24/9) pelo Juiz de Direito Substituto Leonardo Marcelo Mounic Lago, após ficar convencido da materialidade do fato e da existência de indícios suficientes de autoria ou de participação de Ian no crime.

Na decisão, o magistrado considerou que o acusado está incurso no artigo 121, §2º, inciso IV, do Código Penal [matar alguém – à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido]. O homicídio também foi considerado pelo juiz Leonardo Lago como crime hediondo.

Posteriormente, após serem preenchidas todas as formalidades legais, a data para a realização do júri popular será anunciada. A decisão de pronúncia ainda pode ser objeto de recurso.

CLIQUE AQUI e veja a sentença de pronúncia

Justiça sendo feita, dizem familiares

Em entrevista ao Agora Litoral, familiares de Nado Valentim disseram ter ficado animados com a decisão judicial. “A condenação desse monstro não vai trazer o Nado de volta, mas é o primeiro passo para que a Justiça seja feita”, afirmou uma sobrinha da vítima.

RELEMBRE O CASO
Em 27 de dezembro de 2020, Nado Valentim foi morto – provavelmente com socos e chutes – por Ian Matheus, residente em Guarulhos-SP, que estava em uma excursão na Ilha do Mel.

SELVAGERIA: Morador da Ilha do Mel é espancado até a morte por turista

Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.