Ligue-se a nós

Notícias

Novo decreto estabelece normas para reabertura do comércio em Paranaguá

Norma entra em vigor na próxima segunda-feira (13).

Publicado

no

O prefeito Marcelo Roque anunciou, em live pelo facebook, nesta segunda-feira (6), as novas regras para reabertura das atividades comercais consideradas não essenciais em Paranaguá, no Litoral do Paraná.

Segundo ele, a entrada em vigor do decreto nº 1.940 ocorrerá apenas na segunda-feira (13), o que dará tempo para que as empresas se adequem às especificações contidas na norma.

Marcelo Roque justificou a adoção das medidas – incluindo a obrigatoriedade de uso de máscaras por funcionários e colaboradores de lojas e a proibição de crianças até 12 anos de frequentar os estabelecimentos comerciais – devido ao grande número de mortes ocorridas em países de primeiro mundo, como os Estados Unidos, por exemplo, e considerando as recomendações atuais da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde.

Pelo decreto, que entra em vigor na próxima segunda-feira (13), fica mantida a prática do distanciamento social, como forma de evitar a transmissão comunitária da Covid-19 e proporcionar o achatamento da curva de proliferação do vírus no município de Paranaguá.
ISOLAMENTO
Deverão, obrigatoriamente, permanecer em isolamento social (em casa):
I – pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos;
II – crianças (0 a 12 anos);
III – imunossuprimidos, independente da idade;
IV – portadores de doenças crônicas;
V – gestantes e lactantes.
MÁSCARAS
O novo decreto estabelece também, a partir de quarta-feira (8), o uso massivo de máscaras, para evitar a transmissão comunitária da COVID-19:
I – para embarque no transporte público coletivo e acesso ao terminal;
II – para uso de táxi ou transporte compartilhado de passageiros;
III – para acesso aos estabelecimentos considerados como essenciais (supermercados, mercados, farmácias, entre outros);
IV – para acesso aos estabelecimentos comerciais;
V – para o desempenho das atividades em repartições públicas e privadas.
O decreto permite a utilização de máscaras de pano (tecido algodão),
confeccionadas manualmente, conforme especificada no Anexo I do Decreto.
SERVIÇOS ESSENCIAIS
Podem permanecer em atividade (abertas) as empresas de serviços essenciais, listadas no Anexo II (veja a íntegra do decreto abaixo), devendo, sob sua responsabilidade:
I – fornecer máscaras e álcool em gel ou álcool 70% para todos os funcionários;
II – disponibilizar álcool em gel ou álcool 70% para todos os clientes ao acessarem as lojas e os guichês/caixas;
III – controlar a lotação:
a) de 01(uma) pessoa a cada 02(dois) metros quadrados do estabelecimento, considerando o número de funcionários e clientes;
b) organizar filas com distanciamento de 02(dois) metros entre as pessoas;
c) controlar o acesso de entrada;
d) controlar o acesso de apenas 1 (um) representante por família (mercados, supermercados e farmácias);
e) manter a quantidade máxima de 10 (dez) pessoas por guichê/caixa em funcionamento (mercados, supermercados e farmácias).
IV – manter a higienização interna e externa dos estabelecimentos com limpeza permanente;
V – adotar, sempre que possível, aplicativos para entregas a domicílio (delivery).
MONITORAMENTO DE SINAIS
Ainda de acordo com o decreto 1.940, as empresas que exercem atividades essenciais deverão adotar o monitoramento diário de sinais e sintomas da Covid-19, conforme planilha constante no Anexo IV do Decreto (ver íntegra do decreto abaixo).
ALIMENTOS
O parágrafo 3 do decreto estipula que, em nenhuma hipótese, os estabelecimentos essenciais de gêneros alimentícios e congêneres (exceto restaurantes e lanchonetes) poderão servir clientes no salão ou praças de alimentação, somente sendo possível adotar o sistema de retirada em balcão ou entregas em domicílio (delivery).

Fica vedada a abertura de mercearias, mercados, supermercados e hipermercados aos domingos.

Restaurantes e lanchonetes poderão atender ao público, a partir do dia 13 de abril, de segunda a sexta-feira, incluindo feriados, no máximo até às 20h (vinte horas), cumprindo obrigatoriamente com os seguintes requisitos, sob pena de fechamento compulsório:
I – lotação de 50% (cinqüenta por cento) da capacidade do local;
II – reduzir número de mesas e manter distanciamento mínimo de 03(três) metros entre cada mesa;
III – suspender a utilização do sistema de buffet (self service), adotando práticas de servir aos clientes sem estes terem acesso aos utensílios de uso coletivo e filas;
IV – fornecer máscaras e álcool em gel ou álcool 70% para todos os funcionários;
V – determinar o uso pelos funcionários de tocas e máscaras no manuseio de alimentos e utensílios;
VI – fornecer álcool em gel ou álcool 70% para todos os usuários na entrada e caixas;
VII – higienizar copos, pratos e talheres da maneira correta, inclusive com a utilização de álcool 70%;
VIII – os empregados que manipularem itens sujos, como restos de alimentos sempre deverão fazer uso de luvas;
IX – dispor de detergentes e papel toalha nas pias;
X – higienizar os sanitários constantemente e dispor de sabonete líquido, papel toalha e lixeiras.

Esses estabelecimentos deverão, obrigatoriamente, adotar o monitoramento diário de sinais e sintomas dos colaboradores/empregados, conforme planilha constante no Anexo IV do Decreto 1.941.

Restaurantes e lanchonetes poderão trabalhar, nos sábados e domingos, com entregas a domicílio (delivery) e retirada no balcão (drive thru), observando todas as regras de higiene e etiqueta determinadas pela Organização Mundial da Saúde.

O Art. 6º do novo decreto mantém o fechamento de bares, determinado no art. 11 do Decreto 1.922/2020, sendo autorizado somente a entrega de alimentos a domicílio (delivery), retirada no balcão (drive-thru), observando todas as regras de higiene e etiqueta determinadas pela Organização Mundial da Saúde e Ministério da Saúde.

SERVIÇOS NÃO ESSENCIAIS

Os estabelecimentos comerciais (aqueles serviços que não são considerados como essenciais) poderão retornar suas atividades de atendimento ao público, de forma escalonada/intercalada, a partir do dia 13 de abril de 2020, atendendo as seguintes regras:
I – fornecer máscaras para funcionários e álcool em gel ou álcool 70%, desde 13 de abril de 2020;
II – fornecer álcool em gel ou álcool 70% para clientes (ao entrar no estabelecimento e nos caixas);
III – controlar a lotação de 01(uma) pessoa a cada 03(três) metros quadrados, considerando o número de funcionários e clientes;
IV – manter os sanitários constantemente higienizados e dispor de sabonete líquido, papel toalha e lixeiras;
V – definir escalas para os funcionários, quando possível;
VI – adotar o monitoramento diário de sinais e sintomas dos colaboradores/empregados.

O horário de atendimento deverá iniciar às 9h (nove horas), podendo se estender até às 20h (vinte horas), independentemente da autorização constante em alvará.

O não cumprimento das medidas acima ensejará no fechamento compulsório do estabelecimento.
HORÁRIOS
Alguns estabelecimentos comerciais somente poderão abrir nos 02 (dois) dias constantes na tabela, devendo escolher apenas uma das atividades.

Fica permitido ao comércio em geral, varejista e atacadista a operar pelo sistema de entrega a domicilio (delivery) durante segunda a sábado, sendo imprescindível a adoção de medidas de prevenção e enfrentamento à Covid-19.
REGRAS PARA OS COMÉRCIOS
Todos os estabelecimentos comerciais deverão, obrigatoriamente:
I – Aumentar a freqüência de higienização das superfícies;
II – Aumentar a circulação de ar;
III – Disponibilizar, em locais acessíveis e visíveis, álcool gel 70% a todos os consumidores, empregados e colaboradores;
IV – Em caso de fila interna ou externa, os responsáveis pelos estabelecimentos deverão organizar, de forma que as pessoas permaneçam com 02(dois) metros de distância uma da outra, a fim de evitar o contágio por via aérea.
TABELA
A reabertura dos comércios deverá obedecer uma tabela:
INDÚSTRIAS
As indústrias deverão adotar as seguintes regras, além de outras determinadas pela Organização Mundial da Saúde e Ministério da Saúde:
I – fornecer máscaras e álcool em gel ou álcool 70% para seus colaboradores;
II – manter os sanitários constantemente higienizados e dispor de sabonete líquido, papel toalha e lixeiras;
III – definir escalas de trabalho para seus colaboradores, quando possível;
IV – monitorar diário de sinais e sintomas dos colaboradores/empregados, conforme planilha constante no Anexo IV.
BANCOS
O novo decreto estabelece que as instituições bancárias deverão limitar-se aos serviços de auto atendimento, devendo os referidos estabelecimentos manter a higienização permanente de todos os terminais.

Os bancos, excepcionalmente, poderão manter atendimento presencial de usuários que estejam sem cartão e/ou senha, especificamente para pagamentos de benefícios sociais e assistenciais, observando:
a) lotação máxima de 01(uma) pessoa a cada 03(três) metros quadrados;
b) organizar filas com distanciamento de 2 (dois) metros entre as pessoas.
POSTOS DE COMBUSTÍVEIS
Os postos de combustíveis localizados ao longo da BR-277 poderão funcionar todos os dias da semana, sem exceção, sendo que após o toque de recolher poderão atender somente caminhões.
EVENTOS
Permanecem suspensas as realizações de eventos públicos ou particulares, de qualquer natureza, bem como a concessão de licenças ou alvarás.
FISCALIZAÇÃO
A fiscalização das medidas determinadas por esse Decreto serão realizadas pelo PROCON, Defesa Civil, Vigilância Sanitária, Fiscalização Geral do Município, Agentes de Trânsito, Guarda Municipal, Policia Militar e Corpo de Bombeiros.

Todas as dúvidas referente as normas contidas nos Decretos Municipais de enfrentamento à Covid-19, serão respondidas, exclusivamente, pelos telefones (41) 3420-2806, (41) 3420-2807 ou através do sítio eletrônico da Prefeitura Municipal de Paranaguá: www.paranagua.pr.gov.br
TRANSPORTE COLETIVO
O transporte coletivo a partir do dia 13 de abril de 2020 deverá operar:
I – de segunda a sexta-feira e feriados, das 06 às 21 horas;
II – com suspensão integral aos sábados e domingos.

Permanece fechado o Terminal Rodoviário Intermunicipal de Paranaguá, sendo permitido apenas o embarque e desembarque de passageiros nas plataformas anexas do terminal Rodoviário, dos passageiros que comprovem labor na cidade de Paranaguá.
I – No momento do embarque e do desembarque será exigida a comprovação do labor na cidade de Paranaguá;
II – Não será permitido embarque e desembarque das pessoas para outro fim que não o descrito no caput deste artigo, bem como não será permitido o embarque e desembarque em outro local que não seja o descrito no caput deste artigo;

O disposto neste artigo se aplica também ao embarque e desembarque de passageiros nos trapiches do município, permanecendo vedada a visitação em todas as ilhas pertencentes ao Município de Paranaguá.
IDOSOS
Se houver algum idoso para atendimento, a este deverá dar-se preferência e proporcionar o menor espaço de tempo de permanência no local, a fim de evitar a exposição do mesmo.
Na eventualidade da necessidade da pessoa idosa (a partir de 60 anos), dirigir-se ao comércio, este deverá, obrigatoriamente, utilizar máscara de proteção.
CRIANÇAS
Fica terminantemente proibida a presença de crianças (0 a 12 anos) nos comércios, sob pena de responsabilização.
O Conselho Tutelar fiscalizará e tomará as medidas cabíveis em relação ao descumprimento das normas do decreto relacionadas às crianças.
As normas relacionadas a idosos e crianças passam a valer já na quarta-feira (8).
ESPAÇOS PÚBLICOS
Permanece proibida a utilização dos seguintes equipamentos públicos:
I – Parque;
II – Praças;
III – Quadras, campos e ginásio de esportes.

Permanece também proibida a aglomeração nas margens da baía e dos rios dentro do limite territorial do município de Paranaguá.

Permanece proibida a visitação à Ilha do Mel e demais Ilhas pertencentes ao Município de Paranaguá.

Permanecem proibidas as aglomerações de pessoas nas calçadas, logradouros públicos, terrenos baldios e praças do Município de Paranaguá.

Essa proibição estende-se ao consumo de bebidas alcoólicas em frente e ao entorno de residência e comércio em geral.

Por último, a prefeitura deixa bem clara que as determinações do Decreto 1.941 poderão ser revistas a qualquer tempo, tornando-se mais rígidas, de acordo com as recomendações da Vigilância Sanitária do Município, especializada em orientar e recomendar Medidas de

Enfrentamento à Pandemia ocasionada pela Covid-19 e/ou novas determinações do Governo Estadual e/ou Federal.
AULAS
Permanecem suspensas as atividades do magistério e as aulas nas Unidades de Ensino da Rede Pública Municipal, entre os dias 04/04/2020 até o dia 13/04/2020, podendo ser prorrogado, sem prejuízo da manutenção do calendário escolar.

CLIQUE AQUI para acessar a íntegra do Decreto.

CLIQUE AQUI para ver a íntegra do Anexo IV.

Deixe seu comentário!

Notícias

Saúde confirma mais 40 óbitos e 1.403 novos casos de Covid-19 no Paraná

Estado soma agora 170.118 casos e 4.275 mortos pela infecção.

Publicado

no

Por

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou nesta sexta-feira (25), 1.403 novos casos e 40 óbitos pela infecção causada pelo novo coronavírus. O Paraná soma agora 170.118 casos e 4.275 mortos em decorrência da doença.

INTERNADOS –  1.094 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados hoje. Há outros 857 pacientes internados, que aguardam resultados de exames.

ÓBITOS – A secretaria estadual informou também a morte de mais 40 pacientes. Todos estavam internados. São 19 mulheres e 21 homens, com idades que variam de 35 a 95 anos. Os óbitos ocorreram entre os dias 01 de julho a 25 de setembro.

Os pacientes que faleceram residiam em: Curitiba (10), Paranaguá (3), Clevelândia (2), Fazenda Rio Grande (2), Foz do Iguaçu (2), Maringá (2), Ponta Grossa (2), Toledo (2) e um caso em cada um dos seguintes municípios: Apucarana, Atalaia, Bandeirantes, Campo Mourão, Capitão Leônidas Marques, Cornélio Procópio, Francisco Beltrão, Guaratuba, Loanda, Pinhais, Rolândia, Santa Fé, São Miguel do Iguaçu, Sarandi, Três Barras do Paraná.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Sesa registra 1.814 casos de residentes de fora. Desses 43 foram a óbito.

NOTA DA REDAÇÃO: Pelo segundo dia consecutivo, a Secretaria estadual de Saúde não tem divulgado o boletim detalhado da Covid-19 no Paraná alegando problemas técnicos. Por isso a falta de atualização dos dados das cidades do Litoral do Paraná.

Da Sesa
Continuar Lendo

Notícias

Portos do Paraná incentiva a navegação de cabotagem

Nos portos de Paranaguá e Antonina, as taxas para a modalidade são até 50% menores.

Publicado

no

Por

A navegação de cabotagem, feita entre portos de um mesmo país, é importante para a economia nacional. Por isso, nos portos do Paraná, as taxas cobradas para esta modalidade são até 50% menores. Neste ano, cerca de 1,18 milhão de toneladas de cargas foram movimentadas pelo Porto de Paranaguá com destino a outros estados brasileiros.

O volume representa 3% do total movimentado nos portos paranaenses entre janeiro e agosto de 2020 (38,6 milhões de toneladas). O objetivo é aumentar a participação.

“Oferecemos descontos especiais em três tarifas. A dedução é uma forma de incentivar a cabotagem. Acreditamos que essa é uma alternativa logística importante, não apenas para reduzir os custos, mas também para desafogar os demais modais, principalmente o rodoviário”, afirma o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

As vantagens oferecidas pela empresa pública paranaense são nas tarifas Inframar (paga pelo armador pela utilização da infraestrutura de acesso e abrigo), Infraport (paga pelo operador portuário sobre a utilização da infraestrutura terrestre ou portuária) e Infracais (paga pelo armador para ocupação do cais de acostagem).

Os valores consideram a mercadoria e o tipo de embarcação, entre outras variáveis.

BR DO MAR – Outra maneira de incentivar a navegação de cabotagem é o apoio público ao Projeto de Lei 4199/2020, apresentado em agosto pelo Governo Federal. Tramitando no Congresso em regime de urgência, a proposta institui o Programa de Estímulo ao Transporte por Cabotagem – BR do Mar.

Segundo o Ministério da Infraestrutura, o objetivo é estabelecer novas condições para ampliação de frota dedicada.

“O projeto foi dividido em quatro eixos fundamentais para incentivar a cabotagem – frota, indústria naval, custos e portos. O programa trará menores custos logísticos através de maior oferta e a qualidade do transporte de cabotagem, ampliando em 40% a capacidade da frota marítima destinada à cabotagem nos próximos três anos”, divulga o órgão.

PRODUTOS – As mercadorias mais transportadas entre os Portos do Paraná e os demais portos brasileiros são os granéis líquidos e cargas conteinerizadas. No Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), a navegação de longo curso – para portos internacionais – representa 97%. Apesar da participação da cabotagem ser pequena, o transporte tem aumentado.

De janeiro a agosto, nessa modalidade, foram 193,5 mil toneladas de produtos movimentados em contêineres. O volume é 1% maior que o registrado no mesmo período de 2019 (191.806 toneladas).

“O aumento é reflexo de nossa atuação comercial sobre o modal e tem como base os segmentos alimentícios e congelados, para os quais os benefícios do serviço ficam cada vez mais evidentes”, explica o vice-diretor comercial do TCP, Thomas Lima.

Entre os principais produtos movimentados pelo modal estão os químicos, eletrodomésticos e produtos refrigerados. A linha de cabotagem que passa pelo terminal do Porto de Paranaguá é a “Braco”, que vai de Norte a Sul do País. Com escala semanal, o serviço atende os portos de Manaus (AM), Pecém (CE), Suape (PE), Santos (SP) e Paranaguá.

Segundo Lima, as principais vantagens da cabotagem são custo, cadência e segurança.

“O Brasil precisa descentralizar o transporte que hoje é, majoritariamente, realizado por caminhões e expandir para outros modais, como a cabotagem. Nesse sentido, a BR do Mar visa desburocratizar e regulamentar a atividade dos armadores na costa brasileira, abrindo esse mercado para novos players internacionais e incrementar a frota de navios no País”, destaca.

Da Agência Estadual de Notícias
Continuar Lendo

Notícias

FUNEAS contratará profissionais de saúde para o Hospital Regional do Litoral

Chamamento Público é para médicos, fisioterapeutas, enfermeiros e técnicos de enfermagem

Publicado

no

Por

A Fundação Estatal de Atenção em Saúde do Paraná–FUNEAS está lançando um Chamamento Público para o credenciamento de pessoas jurídicas, prestadoras de serviços assistenciais em saúde, para atender a demanda em razão da pandemia Covid-19.

O chamamento refere-se às unidades hospitalares que dispõe de alas específicas para o enfrentamento da pandemia Covid-19 – Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá, Hospital Regional do Sudoeste, em Francisco Beltrão, e Hospital Regional do Norte Pioneiro, em Santo Antônio da Platina.

Poderá participar do credenciamento toda pessoa jurídica que atenda aos requisitos previstos constantes no Edital de Credenciamento COVID-19 N°. 006/2020. O prazo de vigência do credenciamento é de até 12 meses, contado a partir da data de publicação no sítio eletrônico da Funeas (www.funeas.pr.gov.br), e posteriormente no Diário Oficial do Estado.

As categorias profissionais especializadas deste credenciamento são para as funções de médico, fisioterapeuta, enfermeiro e técnico de enfermagem. No total, serão investidos R$ 1,3 milhão mensais com as contratações, com recursos da Funeas.

A primeira Sessão Pública de abertura dos envelopes, para análise da documentação de habilitação e classificação, será feita na sede da Funeas, em Curitiba, no dia 02 de outubro de 2020, às 14h. Os interessados deverão apresentar toda a documentação necessária, conforme Edital.

O chamamento faz parte dos esforços do Governo do Estado do Paraná, através da Secretaria de Estado da Saúde–Sesa, e da Fundação Estatal de Atenção em Saúde do Paraná–Funeas, para que a assistência aos pacientes afetados pela Covid-19 não seja descontinuada, garantindo assim a qualidade e segurança aos usuários do SUS.

O diretor Presidente da Funeas, Marcello Machado, acredita que, com as contratações, as unidades hospitalares continuarão aptas para atender com segurança os pacientes que buscam atendimento destes profissionais.

“Desde o início da pandemia da COVID-19 a Funeas atendeu aos pedidos da Secretaria Estadual de Saúde e instalou mais leitos exclusivos para a Covid-19 e organizou os atendimentos de forma que atendam toda a demanda encaminhada pela regulação de leitos do Estado, com equipes de médicos e de enfermagem, equipamentos hospitalares adequados, ambientes propícios, seguros e equipamentos de proteção individual – EPI’s garantidos às suas equipes de trabalho”, finaliza.

Para ler o edital completo, CLIQUE AQUI
Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.