Ligue-se a nós

Notícias

Com o país em luto, Paranaguá faz carnaval neste sábado

Em meio a protestos nas redes sociais, carnaval fora de época é realizado há três meses da data oficial do evento no país

Publicado

no

PARANAGUÁ, PR
Diário do Estado

A Prefeitura de Paranaguá deve manter o cronograma da programação do “carnaval fora de época” previsto para acontecer na cidade durante este sábado (03) e neste domingo (04). O evento será realizado a modo de tentar explicar o investimento de R$ 300 mil na Associação das Escolas de Samba de Paranaguá (Aesp) para a produção do carnaval em fevereiro deste ano, que acabou adiado por conta da epidemia de dengue que assolou a cidade e matou 29 pessoas.

Mas a festa que acontecerá na tradicional Avenida Maximiano da Fonseca não vem angariando apoio da população da cidade, indignada com o evento, logo na semana em que várias cidades brasileiras se enlutam por conta da tragédia com o time Chapecoense, que chocou o país. Já para outros, o contraste apontado é a insatisfação geral com o estado da centenária Estação Ferroviária, palco de muitos carnavais no passado, mas que hoje está em ruínas, inclusive com risco de desabamento.

Estação de Paranaguá sempre foi palco das comemorações do tradicional carnaval da cidade. Na imagem, estação em 2000 - Foto: Arquivo / Diário do Estado

Estação de Paranaguá sempre foi palco das comemorações do tradicional carnaval da cidade. Na imagem, estação em 2000 – Foto: Arquivo / Diário do Estado

O carnaval fora de época vai contar com a participação dos desfiles das escolas de samba, porém sem fantasias em todos os membros. As agremiações irão entrar na avenida vestindo camisetas (abadás), casal de mestre sala e porta bandeiras, e apenas uma ala fantasiada. Vale ressaltar ainda que o valor de R$ 300 mil repassados em 2015 pela Prefeitura, eram especialmente para que as alegorias fossem compradas em São Paulo, segundo informação publicada pela própria assessoria.

Kersten vê com ânimo

O prefeito Edison Kersten (PMDB) vê o evento com animação. Segundo ele, a movimentação na rua deve impulsionar o comércio local e gerar empregos temporários em momento de crise econômica. É também a oportunidade para que o público se prepare para o carnaval de 2017 que é organizado para daqui há três meses.

Deixe seu comentário!

Notícias

Paranaguá resgata 136 anos de história com reinauguração da Estação Ferroviária

Prédio foi totalmente restaurado após 10 anos de abandono.

Publicado

no

Por

Fotos: PMP

Esta sexta-feira (5) vai entrar para a história de Paranaguá como o dia da reinauguração da Estação Ferroviária. A cerimônia aconteceu às 12h, sem a presença do público, mas somente de algumas poucas autoridades e profissionais de imprensa para fazer o devido registro, por conta da pandemia do coronavírus.

Mesmo assim, aos presentes foram impostas rígidas regras de distanciamento social e obrigatoriedade do uso de máscaras e álcool em gel.

Secretários municipais e vereadores também acompanharam presencialmente, assim como representantes da Caixa Econômica Federal. O projeto para restauro foi desenvolvido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Natural (Iphan), órgão do governo federal, e repassado ao município.

A restauração completa teve custo de R$ 2,2 milhões, sendo R$ 435 mil de recursos próprios da Prefeitura de Paranaguá e R$ 1,7 milhão do governo federal. O prédio foi restaurado tendo sido respeitadas as características do projeto original, de acordo com o secretário municipal de Obras Públicas, Sílvio César Loyola.“Foi um trabalho minucioso, como o restauro das portas e janelas originais. Só não foram mantidas questões que atualmente não cabem mais. Em mais de 100 anos as técnicas construtivas evoluíram bastante”, disse o secretário.

Houve necessidade de realizar adaptações para facilitar o acesso de pessoas com dificuldades de locomoção, com rampas e banheiros acessíveis.

“Quando o prédio foi construído não havia ainda essa preocupação com inclusão. Para os dias de hoje isso é uma necessidade indiscutível e por isso foi incluído no projeto”, completou Sílvio Loyola.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes, compareceu à cerimônia representando o governador Ratinho Júnior. Ele disse que a reinauguração é um “momento importante” e que o Governo do Estado está tendo “um olhar diferenciado para o litoral, em especial para Paranaguá”.

“O Governo do Estado tem certeza que o crescimento do litoral e de Paranaguá são de vital importância para o Brasil”, comentou o secretário Márcio, que defendeu ainda equilíbrio entre a atividade econômica e a questão ambiental.

O restante do trabalho realizado pela equipe da empresa contratada para fazer o restauro seguiu os traços originais. Incluiu ainda a reabertura de um dos arcos fechados numa intervenção anterior.
Houve restauração completa da bilheteria central e do biombo de anteparo visual da entrada dos banheiros, que haviam sido danificados pela ação de vândalos durante os anos em que o prédio ficou abandonado e pela queda do telhado.

Ao longo deste período de abandono da Estação Ferroviária o telhado desabou, o assoalho foi todo retirado, as paredes corriam risco de desmoronar e tinham sido pichadas por pessoas em situação de rua e usuários de drogas que habitavam o espaço.

“A Estação Ferroviária sempre foi nossa porta de entrada para turistas vindos de trem para a cidade. Ela sempre teve uma enorme importância para nosso turismo e infelizmente chegou ao ponto de ser abandonada pelas autoridades e correr o risco de desabar inteira. Felizmente hoje estamos tendo a alegria de fazer essa reinauguração”, comemorou o secretário municipal de Cultura e Turismo, Harrison Camargo.
MUSEU
Todo o acervo com peças que remontam ao período em que a Estação Ferroviária foi construída, bem como a estrada de ferro, está em exposição no prédio. Trata-se de um museu com objetos originais.
A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo será a responsável pela administração e manutenção do espaço. Ainda não foi definida a destinação do espaço e a disponibilização para o público em geral.
HISTÓRIA
Documentos históricos mostram que a estrutura da Estação Ferroviária incluía o espaço onde atualmente está instalada a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (ao lado), inaugurada em 1884.

A Princesa Isabel veio a Paranaguá para acompanhar a inauguração do trecho da Estrada de Ferro e desembarcou com sua comitiva no local. O prédio atual passou por alterações em 1922.
Todas as intervenções realizadas na restauração de 2020 tiveram anuência dos órgãos de proteção do patrimônio cultural.

Da PMP
Continuar Lendo

Notícias

Paraná tem 273 municípios com registro de Covid-19; Litoral mais três casos.

Estado tem 6.437 casos confirmados e 227 óbitos.

Publicado

no

Por

A Secretaria de Estado da Saúde informou, nesta sexta-feira (5), mais 533 confirmações e 13 óbitos pelo novo coronavírus no Paraná.

O informe epidemiológico mostra que o número acumulado de pessoas infectadas é de 6.437 e que 227 morreram em decorrência da doença.

Há registro da Covid-19 em 273 municípios do Estado, e em 81 ocorreu ao menos um óbito.

A quantidade de casos e de óbitos é a maior divulgada em um só dia desde que o monitoramento registrou o primeiro diagnóstico, em 11 de março.

O secretário de Saúde, Beto Preto, reforçou a necessidade de manter o distanciamento físico.

“Nossos números crescem rapidamente. E pelo que estudamos das projeções, tendo em vista o que já ocorreu em outros locais, vamos ter aumento de casos. Nos preocupa muito as pessoas nas ruas porque um organismo pode reagir bem à doença, mas outro não. E se muitos precisarem de UTIs, sabemos que não haverá para todos”.

ÓBITOS Todas as 13 pessoas que foram a óbito estavam internadas. As mortes ocorreram entre 1º e 5 de junho. Foram sete mulheres e seis homens, com idades que variam entre 34 e 90 anos.

No dia 1º de junho ocorreram dois óbitos: uma mulher de 45 anos, que residia em Campina Grande do Sul; e um homem, de 74 anos, de Piraquara.

Na terça-feira (2) faleceu uma mulher de 70 anos, que morava em Cambé.

Quarta-feira (3), seis pessoas morreram. Três mulheres: residente de Cornélio Procópio, tinha 90 anos; moradora de Curitiba, tinha 50 anos; e uma que morava em Toledo, de 34 anos. Um dos homens residia em Bela Vista do Paraíso, tinha 66 anos; outro morava em Cascavel, 73 anos; e um que faleceu, de 71 anos, que morava em Ibiporã.

Quinta-feira (4), três pessoas faleceram: duas mulheres e um homem. Uma residia em Curitiba e tinha 85 anos e a outra morava em Londrina e tinha 89 anos; o homem era morador de Rolândia e tinha 78 anos.

Nesta sexta-feira (5) um morador de Maringá foi a óbito. O homem tinha 74 anos.

Litoral registrou mais três casos – O Litoral do Paraná aparece no boletim da Sesa com mais três confirmações: 2 em Morretes e 1 em Matinhos. Agora, a região soma 132 casos confirmados e 6 óbitos – 4 em Paranaguá, 1 em Guaratuba e 1 em Guaraqueçaba.

Paranaguá 71; Guaratuba 27; Pontal do Paraná 10; Morretes 9; Matinhos 8; Antonina 6; Guaraqueçaba 1.

MUNICÍPIOS – 273 cidades paranaenses têm ao menos um caso confirmado pela Covid-19. Em 81 municípios há registro de óbitos pela doença.

Casos novos e municípios:

86 casos confirmados – Curitiba;
71 casos confirmados – Cascavel;
49 casos confirmados – Londrina;
22 casos confirmados – Toledo;
21 casos confirmados – Cornélio Procópio;
18 casos confirmados – Pinhais;
17 casos confirmados – Piraquara;
13 casos confirmados – Maringá;
12 casos confirmados – Cianorte e Ponta Grossa;
10 casos confirmados – Colombo e Campina Grande do Sul;
9 casos confirmados – São José dos Pinhais;
6 casos confirmados – Foz do Jordão; Fazenda Rio Grande; Nova Fátima;
5 casos confirmados – Araucária; Santa Mariana; Quatro Barras; Campo Largo; Santa Terezinha de Itaipu; Cruzeiro do Oeste; Uraí; Abatiá;
4 casos confirmados – Ribeirão do Pinhal; Rolândia; São Tomé; Terra Boa; Almirante Tamandaré; Indianópolis;
3 casos confirmados – Bituruna; Tuneiras do Oeste; Tijucas do Sul; Campo Bonito; Mandirituba; Andirá; Cambé; Assis Chateaubriand; Apucarana; Santa Amélia; Santa Cecília do Pavão; Japurá;
2 casos confirmados – Santo Antônio da Platina; Francisco Beltrão; Pitanga; Araruna; Guarapuava; Salgado Filho; Diamante do Sul; Morretes; Siqueira Campos; Agudos do Sul; Terra Rica; Palotina; Imbaú; Joaquim Távora;
1 caso confirmado – Tibagi; Marialva; Santa Inês; Campina da Lagoa; Matinhos; Pinhão; Três Barras do Paraná; Piraí do Sul; Alvorada do Sul; Ibaiti; Sapopema; Coronel Domingos Soares; Braganey; Planalto; Palmas; Antônio Olinto; Bela Vista do Paraíso; Porto Barreiro; Enéas Marques; Irati; Quitandinha; Céu Azul; Rancho Alegre; Sertaneja; Reserva; Telêmaco Borba; Itaúna do Sul; Assaí; Japirá; Paiçandu; Cruzmaltina; Tomazina; Salto do Itararé; Congonhinhas; Bandeirantes; Leópolis; Lindoeste.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Sesa registrou 12 casos novos de residentes de fora. São 87 pessoas que moram em outros estados e foram atendidas por aqui. Seis pessoas foram a óbito.

314 ESTÃO INTERNADOS NO PARANÁ – Estão internados nesta sexta-feira (5) 314 pacientes com o diagnóstico confirmado para Covid-19. Destes, 230 estão em leitos SUS (85 em UTI e 145 em leitos enfermaria) e 84 em leitos da rede hospitalar privada (33 em UTI e 51 em leitos enfermaria).

LEITOS SUS COVID – O Paraná tem 1.947 leitos exclusivos Covid-19, que atendem pacientes com suspeita ou com diagnóstico já confirmado da doença. A taxa média de ocupação dos leitos está em 34%. Em leitos adultos: 658 UTI, 304 ocupados (46%) e 1.182 enfermaria, 354 ocupados (30%).

EM LEITOS PEDIÁTRICOS: 37 UTI, 9 ocupados (24%) e 70 enfermaria, 3 ocupados (4%).
A quantidade de leitos pode variar porque além dos leitos em unidades próprias do Estado, a Sesa contrata diretamente leitos em unidades hospitalares filantrópicas e privadas para atendimento a pacientes Covid-19 quando necessário.

VEJA O BOLETIM DA SESA
Continuar Lendo

Notícias

Porto de Paranaguá dobra embarques de soja

Sistema paranaense de embarque de granéis é único no Brasil.

Publicado

no

Por

Fotos: Portos do Paraná

As exportações do complexo soja pelo Corredor de Exportação do porto de Paranaguá mais que dobraram em maio. Foram 2,4 milhões de toneladas embarcadas, duas vezes o carregado no mesmo mês de 2019 (1,2 milhão).

O resultado confirma o bom desempenho do complexo (grão e farelo), que ultrapassou a marca de 2 milhões de toneladas exportadas, pelo terceiro mês consecutivo, em 2020.

O volume carregado nos cinco primeiros meses do ano já soma 9,6 milhões de toneladas: 33% mais que o embarcado no mesmo período do ano anterior.

“Apesar da crise do coronavírus, o mercado se manteve muito forte. O dólar valorizado favoreceu as exportações e o tempo seco garantiu o ritmo de embarques”, explica o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

A empresa pública investiu em medidas de cuidado com a saúde dos trabalhadores e manteve os serviços. “Foi essencial dar segurança para os portuários e caminhoneiros. No campo, os produtores tiveram a certeza que a safra seria escoada com a eficiência de sempre e toda a cadeia de negócios foi preservada”, completa.

SOJA – Este ano, os três berços do Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá só registraram embarque de milho em janeiro. De fevereiro até maio, a soja dominou as movimentações.

Especificamente o produto em grão teve um crescimento de quase 70%, na comparação entre os cinco primeiros meses de 2019 e 2020. Subiu de 4,29 milhões para 7,28 milhões de toneladas.

Só em maio, foram exportadas cerca de 1,95 milhão de toneladas. Volume que é 248% maior que as 561.284 toneladas de soja em grão carregadas pelo complexo no mesmo mês do ano anterior.

O farelo de soja também teve crescimento. Neste ano, foram 2 milhões de toneladas exportadas, ante 1,8 milhão nos primeiros cinco meses de 2019. Considerando apenas o embarque mensal, maio de 2020 teve crescimento de 76%, com 496.360 toneladas embarcadas.
DIFERENCIAL – O sistema paranaense de embarque de granéis é único no Brasil. A carga pode ser embarcada simultaneamente nos três berços de atracação exclusivos e é possível que um mesmo navio receba mercadorias de diferentes produtores, inclusive dos pequenos.

Atualmente, nove terminais privados ou arrendados operam no Corredor: AGTL Cargill, Centro Sul, Cimbesul, Coamo, Cotriguaçu, Interalli, Louis Dreyfus e Rocha. Juntos, eles somam 1,025 milhão de tonelada de capacidade global.

Além disso, a empresa pública Portos do Paraná mantém um silo vertical, com capacidade estática de 100 mil toneladas, e quatro silos horizontais, com capacidade total de 60 mil toneladas. Por eles, operam Céu Azul, Grano Logística, Gransol, Marcon, Sulmare, Tibagi e Transgolf, que trabalham com diversos exportadores menores.

SUCESSO – Para o chefe da Divisão de Silos do Porto de Paranaguá, Gilmar Francener, os números de movimentação indicam o sucesso do trabalho que é desenvolvido em conjunto, pela iniciativa pública e privada.

“O objetivo de todos é ampliar a eficiência e a produtividade, que garantem bons negócios. Os números de 2020 indicam um novo paradigma para os embarques do Corredor de Exportação. Nos últimos três meses, as movimentações todas foram superiores a 2,4 milhões de toneladas”, comenta.
MENOS TEMPO DE ESPERA – Em maio de 2019, 22 navios atracaram nos berços do Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá. Neste ano foram 39. O número só foi possível, porque o tempo de espera das embarcações reduziu e a produtividade dos berços aumentou.

O tempo que um navio levou para carregar caiu de uma média de 2,9 dias para 2,2 dias. Já o volume movimentado saltou de 801 toneladas/hora para 1.138 toneladas/hora.

SILOS PÚBLICOS – Juntos os silos públicos (vertical e horizontais) carregaram, este ano, volume 103% maior que em 2019. São 1,4 milhão de toneladas exportadas em 2020, contra 694,9 mil toneladas no ano passado.

Da Portos do Paraná
Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.