A universitária de 24 anos, que matou o ciclista Gláucio da Silva, de 43 anos, continuará presa em Curitiba. De acordo com decisão, a jovem teve a prisão preventiva decretada na tarde desta terça-feira (10). A audiência de custódia aconteceu por volta das 16h30 e o juiz Rubens dos Santos Junior converteu o flagrante para prisão preventiva.

Ainda no domingo, a universitária foi autuada por homicídio na Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran). Orientada por um advogado, ela não falou nada durante depoimento aos investigadores de plantão.

O delegado Vinicius Carvalho, da Dedetran, confirmou à Banda B que, apesar da condutora não fazer o bafômetro, foi feito um termo de constatação por embriaguez ao volante. O delegado optou em não revelar o nome da motorista alegando que a jovem não tem antecedentes e é ré primária.

Logo após o acidente, a universitária confessou ao cabo Edenilson, da Polícia Militar (PM), que havia bebido durante uma balada e dormido ao volante na região do bairro Orleans, em Curitiba, quando atingiu o ciclista que vinha pelo acostamento da pista sentido Campo Largo.

NOTÍCIA RELACIONADA

Motorista com sinais de embriaguez mata ciclista em Curitiba

>> Deixe sua opinião