O delegado da Polícia Federal (PF) Mário César Leal Júnior disse em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (25) que vai acionar as autoridades paraguaias na tentativa de localizar a família do menino de um ano encontrado há 15 dias em uma rua de Cascavel, no oeste do Paraná. A criança está sob os cuidados do Conselho Tutelar e passa bem.

“Nós vamos fazer isso através de um grupo que reúne as autoridades policiais do Brasil, Paraguai e Argentina. É um canal mais ágil de cooperação policial. Eu vou encaminhar as informações que nós temos, solicitar algumas diligências e esperar o resultado que vem das autoridades de lá”, explicou. Ele informou ainda que a Interpol também será acionada.

O cônsul do Paraguai em Foz do Iguaçu, Jorge Antonio Coscia, chegou à tarde a Cascavel para acompanhar as investigações. Ele comentou que há indícios de que outras duas crianças encontradas na casa da suspeita também sejam paraguaias e podem ter sido traficadas.

Na terça (24), a mulher suspeita de intermediar a adoção ilegal do menino, Maria Conceição Queiroz, foi presa após prestar depoimento. O conteúdo do depoimento será mantido em sigilo até o fim das investigações, segundo o delegado.

Ela nega todas as acusações, e o advogado dela, Felipe Veloso, disse que só vai se manifestar após ter acesso aos autos.

ADOÇÃO ILEGAL

Segundo a delegada do Núcleo de Proteção de Crianças e Adolescentes Vítimas de Crimes (Nucria), Raissa Vargas Scariot, um casal de Cascavel pagou um valor inicial de R$ 700 à suspeita para ter o menino, mas desistiu quando não consegiu a documentação necessária. “Eles disseram não saber que a adoção era ilegal e que devolveram a criança ao perceber que a situação era irregular”, comentou.

Maria Conceição foi autuada em flagrante por tráfico internacional de crianças porque na casa dela havia uma menina, de nove anos, que não tinha documentação. No local havia ainda outra garota que não teve a idade identificada. As duas também estão sob os cuidados do Conselho Tutelar.

O delegado da PF destacou que recebeu a informação de que outras crianças estariam envolvidas no caso, mas que por enquanto são informações preliminares. “Os fatos ainda vão ser todos apurados e, assim que possível vamos informar tudo”, completou o delegado da PF.

Até a manhã desta quarta, a suspeita estava detida na delegacia central em Cascavel. Ela deve ser transferida para a Cadeia Pública de Corbélia entre esta quarta e quinta-feira (26).

Antes da transferência, segundo o delegado, ela vai passar por uma audiência de custódia.

Com informações do G1 

>> Deixe sua opinião