Luiz da Silva Lemos conquistou liberdade após 48 dias preso. (Foto: Luiz Almenara/odiario)

Depois de passar 48 dias preso suspeito de ter matado e estuprado a dona de casa Isabel dos Santos, de 51 anos, em Sarandi, na região norte do Paraná, em 9 de setembro, Luiz da Silva Lemos, de 41 anos, foi liberado da cadeia pública nessa quarta-feira (1º). A Justiça autorizou a liberação dele após Francisco Wellington Pereira da Silva, de 28 anos, preso em Ponta Grossa, confessar o crime um dia antes.

Luiz era o principal suspeito do crime, pois, segundo a Polícia Civil (PC), ele teria tentando forçar um relacionamento com Isabel e se mudado para Osasco (SP) no dia em que ela foi morta dentro de casa, no Jardim Ouro Verde. No entanto, em depoimento, o suspeito negou a autoria. Foi expedido um mandado de prisão temporária (30 dias) e, quando o prazo venceu, a prisão foi prorrogada por mais 30 dias.

Na época da prisão, foi coletado sangue de Luiz para exame de confrontação genética com material (sêmen) colhido da vítima e encaminhado para Curitiba para análise, mas até o momento o resultado não saiu.

A PC continuou investigando o caso e descobriu outro suspeito. Francisco Wellington Pereira da Silva, que estava preso em Ponta Grossa desde o início de outubro, era morador de Sarandi e confessou, em depoimento, que matou e estuprou a mulher. Com base no depoimento, Luiz Lemos foi solto.

Com informações de odiario

>> Deixe sua opinião