Madrasta de Isabella Nardoni vai para regime semiaberto

ELA E O PAI DA MENINA FORAM CONDENADOS PELO ASSASSINATO DA MENOR

Anna Jatobá e Alexandre Nardoni foram condenados por jogar Isabella do sexto andar do prédio onde moravam

Agora Litoral
A Justiça de São Paulo concedeu nesta segunda-feira (17) a progressão de regime para Anna Carolina Trotta Jatobá, de 33 anos, condenada em 2010 a mais de 26 anos de prisão pela participação no assassinato de sua enteada, Isabella Nardoni, de 5 anos.

Anna Jatobá, que hoje cumpre pena em regime fechado no Complexo Prisional de Tremembé, vai para o semiaberto. Ela poderá trabalhar fora da prisão e retornar ao presídio durante a noite, além de ter autorização para sair em datas especiais, como Dia das Mães, Natal e Ano Novo.

A decisão é da juíza Sueli Armani, da Vara de Execuções Criminais de Taubaté, e atende a pedido da defesa do casal Nardoni, para quem a ex-estudante de direito atingiu o tempo necessário para conseguir a progressão, tem bom comportamento na prisão e nunca teve outra condenação na vida.

CONDENAÇÃO

A madrasta de Isabella foi condenada, em júri popular, a 26 anos e oito meses de prisão por homicídio triplamente qualificado, cometido contra menor de 14 anos.

O pai da menina, o bacharel em direito Alexandre Nardoni, de 39 anos, também está preso e, assim como Anna Jatobá, nega ter cometido o crime. Ele foi condenado inicialmente a 31 anos, um mês e 10 dias de prisão, mas depois teve a pena reduzida para 30 anos, dois meses e 20 dias.

O casal foi condenado ainda a oito meses em regime semiaberto por fraude processual (por ter alterado a cena do crime). Os jurados entenderam que a menina foi asfixiada e jogada do sexto andar do prédio onde eles moravam.

Forma como teria ocorrido a morte de Isabella Nardoni abalou o país

>> Deixe sua opinião