Ligue-se a nós

Notícias

Câmara retira da pauta Projeto que altera lei da Paranaguá Previdência

Assinatura de 12 vereadores garantiu Regime de Urgência Especial

Publicado

no

Foto: Arquivo

Paranaguá, PR
Agora Litoral

A Câmara Municipal de Paranaguá adiou a votação, que seria nesta quinta-feira (09), da Mensagem 03/2017, enviada pela Prefeitura, que altera o texto da Lei Complementar 53/2006 para que o cargo de Diretor-Presidente da Paranaguá Previdência seja exercido por Cargo em Comissão, de livre nomeação do prefeito Marcelo Roque.

Pela lei em vigor, o cargo máximo da entidade – que é responsável pela aposentadoria e pensões dos servidores do Município – somente poderá ser preenchido por servidor efetivo de carreira da Prefeitura, da Câmara Municipal, suas Autarquias e Fundações.

Ao nomear José Simplício Maranhão Neto (que não é servidor de carreira) para o cargo, o Prefeito de Paranaguá infringiu a Lei 53/2006, o que motivou a abertura de um procedimento investigatório criminal do Ministério Público de Paranaguá no dia 1º deste mês contra a decisão de Marcelo Roque.

Através de uma Recomendação Administrativa encaminhada ao Prefeito na segunda-feira (06), o promotor Leonardo Dumke Busatto recomendou que o Prefeito exonerasse o irmão do vice-prefeito Arnaldo Maranhão e do vereador Luiz Maranhão do cargo de Diretor-Presidente da Paranaguá Previdência.

Como o prazo dado pelo Promotor se esgotaria no próximo dia 16, a polêmica Mensagem 03/2017 entrou em pauta em Regime de Urgência Especial, onde é necessária a assinatura de doze vereadores para tal. O Prefeito conseguiu doze assinaturas e a Mensagem que altera a Lei 53/2006 seria votada nesta quinta-feira, mas foi retirada de pauta pelo presidente Marquinhos Roque sem explicações.

A retirada de pauta do anteprojeto de lei frustrou membros da imprensa e frequentadores das sessões da Câmara. Provavelmente a Mensagem volte à pauta na próxima terça-feira (14).

(Atualizada às 19h26)

Clique para comentar

Deixe seu comentário!

Notícias

Três apostas do Litoral acertam a quadra da Mega-Sena

Quina teve 37 ganhadores e cada um recebe R$ 59 mil.

Publicado

no

Por

Três apostas do Litoral do Paraná acertaram a quadra do concurso 2412 da Mega-Sena, realizado neste sábado (25), em São Paulo. Os jogos foram realizados em Guaraqueçaba (1), Matinhos (1) e Paranaguá (1). Cada aposta recebe R$ 949,97.Prêmio principal
O prêmio principal acumulou.

Os números sorteados foram: 09 – 16 – 34 – 36 – 49 – 60.

  • A quina teve 37 ganhadores, com prêmio médio de R$ 59.039,36.
  • A quadra teve 3.285 apostas ganhadoras e o prêmio médio para cada uma é de R$ 949,97.

Os detalhes do resultado foram divulgados pela Caixa na manhã deste domingo.

Próximo sorteio – O próximo concurso será na terça-feira (28), na Mega Semana da Primavera, com prêmio estimado em R$ 10 milhões.

Continuar Lendo

Notícias

Mega-Sena: Confira os números sorteados neste sábado

Caixa ainda não informou se há ganhadores ou se o prêmio acumulou.

Publicado

no

Por

O sorteio do concurso 2412 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (25), em São Paulo, teve como números sorteados: 09 – 16 – 34 – 36 – 49 – 60.

A Caixa ainda não informou se há ganhadores ou se o prêmio acumulou. O prêmio estimado é de R$ 7 milhões.

Continuar Lendo

Notícias

Turista que matou nativo na Ilha do Mel vai enfrentar o tribunal do júri

Sentença de pronúncia foi proferida nesta sexta-feira (24)

Publicado

no

Por

Ian Mattews é acusado de matar Nado Valentim

Ian Matthews Rosano Matiussi, acusado de matar Reinaldo Valentim, o Nado Valentim, na noite de 27 de dezembro de 2020, no local conhecido como “Mar de Fora”, na areia da praia em Encantadas, na Ilha do Mel, vai a julgamento popular.

A sentença de pronúncia foi proferida na sexta-feira (24/9) pelo Juiz de Direito Substituto Leonardo Marcelo Mounic Lago, após ficar convencido da materialidade do fato e da existência de indícios suficientes de autoria ou de participação de Ian no crime.

Na decisão, o magistrado considerou que o acusado está incurso no artigo 121, §2º, inciso IV, do Código Penal [matar alguém – à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido]. O homicídio também foi considerado pelo juiz Leonardo Lago como crime hediondo.

Posteriormente, após serem preenchidas todas as formalidades legais, a data para a realização do júri popular será anunciada. A decisão de pronúncia ainda pode ser objeto de recurso.

CLIQUE AQUI e veja a sentença de pronúncia

Justiça sendo feita, dizem familiares

Em entrevista ao Agora Litoral, familiares de Nado Valentim disseram ter ficado animados com a decisão judicial. “A condenação desse monstro não vai trazer o Nado de volta, mas é o primeiro passo para que a Justiça seja feita”, afirmou uma sobrinha da vítima.

RELEMBRE O CASO
Em 27 de dezembro de 2020, Nado Valentim foi morto – provavelmente com socos e chutes – por Ian Matheus, residente em Guarulhos-SP, que estava em uma excursão na Ilha do Mel.

SELVAGERIA: Morador da Ilha do Mel é espancado até a morte por turista

Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.