Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
PUBLICIDADE
ParanaguáPolícia

Polícia Civil investiga morte de mulher em academia de Paranaguá

Paranaguá, PR
Agora Litoral

A morte de Luciane Pratezzi, de 32 anos, vítima de um aneurisma cerebral numa academia de ginástica de Paranaguá na tarde de segunda-feira (16), pode ter sido causada pela ingestão de componentes químicos utilizados para ganho de massa muscular.

Em vista disso, a Polícia Civil da cidade abriu inquérito para apurar as circunstâncias  em que ocorreu a morte dela.

O delegado Nilson Diniz explicou que, se realmente Luciane Pratezzi estivesse fazendo uso de algum medicamento prescrito por alguém que não tem habilitação técnica para tal, essa pessoa deverá responder por homicídio culposo.

O delegado esclareceu que são apenas hipóteses, já que foi ventilado que Luciane estaria fazendo dieta para ganhar massa muscular e utilizando suplementos alimentares.

A Polícia Civil pretende ouvir os familiares da vítima, e também as pessoas que se encontravam na academia no momento em que Luciane passou mal.

“Ainda é muito cedo para se dizer se existe a responsabilidade penal de alguém”, afirmou Nilson Diniz à rádio CBN Curitiba.

Ainda de acordo com o delegado, se de fato existir a responsabilidade de alguém no fato, essa pessoa será responsabilizada. Caso contrário, o procedimento será encaminhado ao Ministério Público para arquivamento.

COMOÇÃO

O falecimento de Luciane comoveu a população litorânea. Contudo, a possibilidade da morte da moça ter sido motivada pela ingestão de anabolizantes não é um fato isolado.

Dados do mercado de anabolizantes revelam que o número de usuários não para de crescer. A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) indica que no Brasil, um de cada 16 estudantes adolescentes já fez uso desse tipo de hormônio.

É um número alarmante, de um submundo que envolve vendas em academias, laboratórios caseiros piratas, produtos falsificados no mercado vendidos pela internet e o consumo sem orientação médica.

Endocrinologistas consultados pelo Agora Litoral afirmam que os usuários ávidos por anabolizantes ignoram riscos de efeitos colaterais sérios, como tumores no fígado, impotência sexual, infarto, arritmias, derrame cerebral e até mesmo a morte.

ARMADILHA

Em busca da beleza escultural, homens e mulheres não têm limites. Injetam e ingerem substâncias que, aparentemente, seriam capazes de realizar verdadeiros milagres.

Se por um lado deixam o corpo aparentemente saudável num curto espaço de tempo, esses produtos funcionam como uma armadilha porque podem causar doenças graves e até mesmo a morte.

Num mundo globalizado, onde a informação é acessível a (quase) todos, alguns especialistas afirmam tentar convencer algumas pessoas sobre os riscos de anabolizantes e suplementos alimentares sem orientação médica. Em vão.

Não há comprovação de que Luciane Pratezzi tenha sofrido o aneurisma em consequência da ingestão de suplementos para ganhar massa corporal.

Porém, fica o alerta para quem busca a beleza a qualquer custo, principalmente os mais jovens.

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios