Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Polícia

Mãe e filho são presos por desacato após confusão na UPA

ELES ALEGARAM DEMORA NO ATENDIMENTO

Agora Litoral
Uma mulher de 42 anos e o filho dela, de 22, foram presos na tarde de quinta-feira, 3, após confusão com funcionários da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), na Vila Itiberê, em Paranaguá. Eles acabaram detidos, acusados de ofenderem duas enfermeiras e um agente da Guarda Civil Municipal de serviço no local.

De acordo com os servidores, a confusão começou por causa do marido da mulher, o qual estava na sala de observação recebendo soro. Mãe e filho reclamaram da demora e, sem autorização, entraram no local onde o homem se encontrava em atendimento e que só é permitida a presença de acompanhantes para pacientes menores de 18 e com mais de 60 anos.

Ao ser orientada para que se retirasse do local, a mulher, que é técnica de enfermagem, teria se dirigido a toda equipe de enfermeiros da unidade de saúde como um “bando de vagabundos”. O agente da Guarda Civil Municipal em serviço no posto teve que intervir e também tentou explicar que se tratava de uma norma interna que proibia a presença de outras pessoas na sala de atendimento, que era um local restrito, mas não teve jeito.

Bastante exaltado, o filho do paciente também passou a ofender os funcionários com palavras de extremo constrangimento e ainda teria tentando agredir uma enfermeira com chutes e se negado a sair da sala com sua mãe. Como não houve acordo, uma equipe da Romu foi ao local e encaminhou mãe e filho à 1ª Subdivisão Policial, onde o caso foi registrado em um Boletim de Ocorrência pelo crime desacato, que, conforme previsto no artigo 331 do Código Penal, tem pena de até dois anos de prisão. Policiais militares também se deslocaram em atendimento à ocorrência.

Ao ser ouvida na delegacia, a esposa do paciente, que chegou ao local com dores lombares, alegou que houve demora no atendimento do seu marido. Em suas declarações, ela relatou que, após a consulta médica, o homem foi encaminhado para receber medicação e que, pelo fato de ficar esperando muito tempo, ela e o filho foram ver como ele estava e descobriram que ele não tinha recebido medicação.

No entanto, segundo a equipe de enfermagem, o homem, em nenhum momento reclamou do atendimento e que apenas a mãe e o filho ficaram alterados, causando tumulto na unidade de saúde.

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios