Ligue-se a nós

Polícia

Assaltante de Paranaguá usa foto dele no WhatsApp da vítima

Polícia quer ajuda para identificar o ladrão de celular cara de pau

Publicado

no

Esse é o homem que teria roubado os celulares e que agora está usando o WhatsApp de uma das vítimas

Paranaguá, PR
Agora Litoral

A Polícia Civil de Paranaguá, no litoral paranaense, está às voltas com uma situação atípica. Um homem que roubou dois celulares, em abril de 2015, de um casal de namorados na avenida Belmiro Sebastião Marques, começou a usar o WhatsApp de uma das vítimas, inclusive com a sua fotografia pessoal. Passados dois anos do crime, a audácia do ladrão é tanta que chegou a espantar os policiais.

De posse da fotografia colocada na rede social da vítima, os policiais tentam agora chegar até esse homem, mas de acordo com o delegado Nilson Diniz, mesmo com a foto estampada no WhatsApp da vítima, até agora o ladrão não foi identificado. O delegado salientou que o homem em questão é muito perigoso, tanto que, após o assalto, disparou um tiro contra as costas de uma das vítimas.

Segundo o Boletim de Ocorrência feito à época, o casal de namorados foi abordado por um homem de bicicleta e este, armado com um revólver, após pegar os celulares, mandou que eles seguissem caminhando normalmente. Apesar de fazer o que o bandido ordenou, o namorado levou um tiro nas costas mesmo sem ter esboçado qualquer reação. O projétil até hoje está alojado no corpo da vítima.

AJUDA

Em entrevista à rádio Ilha do Mel FM, o delegado Nilson Diniz salientou que a ajuda da população é fundamental para a elucidação de todo tipo de crime ocorrido na cidade e que, por isso, divulgou a fotografia usada pelo ladrão no WhatsApp da vítima. Diniz lembrou que Paranaguá não é dotada de um forte monitoramento eletrônico (câmeras de vigilância) que poderiam auxiliar na identificação dos autores de delitos. Daí a importância do apoio da comunidade.

Qualquer informação sobre a identidade do homem que teve a fotografia divulgada pela Polícia Civil poderá ser repassada pelo 3420-3600 ou ainda através dos telefones 197 e 181. O nome do informante será preservado.

Deixe seu comentário!

Polícia

PM prende homem com uísque falsificado e porção de cocaína em Pontal

Ação da ROTAM foi na madrugada desta quarta-feira (15).

Publicado

no

Por

No início da madrugada desta quarta-feira (15), policiais militares do 9º Batalhão prenderam um homem que comercializava uísque falsificado, durante uma abordagem a um veículo em Pontal do Paraná.
A ação ocorreu durante a averiguação de uma denúncia repassada de dinheiro falso em um posto de combustível e resultou, ainda, na apreensão de uma porção de cocaína.

De acordo com informações da PM, uma equipe da ROTAM do 9º BPM patrulhava pela região de Matinhos e Pontal do Paraná, quando recebeu a denúncia de que quatro ocupantes de um VW Golf, de cor preta, teriam abastecido o automóvel em um posto de combustível do balneário Caiobá, pagando pelo serviço com uma nota falsa de R$ 100.

Segundo informações, após a situação no posto, os suspeitos embarcaram no veículo e se deslocaram sentido Pontal do Paraná.

Os militares, munidos das características dos suspeitos, patrulharam pelo balneário Praia de Leste e localizaram os indivíduos transitando pela Rua Baronesa do Cerro Azul, principal via da localidade.

De imediato foi realizada a abordagem, busca pessoal e veicular. No automóvel, os militares encontraram uma pequena porção de cocaína e 12 garrafas de uísque adulteradas, o que configura crime previsto no Artigo 272, da Lei nº 9677, de 02/07/1998. Indagado, o condutor do automóvel relatou que compra e revende as bebidas na região.

Como consequência da infração penal, o suspeito, de 33 anos de idade, recebeu voz de prisão e foi encaminhado até a Delegacia de Polícia Civil de Ipanema, a fim de ser apresentado à autoridade de Polícia Judiciária.

Os demais envolvidos foram liberados no local. Não foi encontrado dinheiro falsificado com os abordados, nem no automóvel.

Continuar Lendo

Polícia

Casal é preso em flagrante por tráfico de drogas em Pontal do Paraná

Ação da ROTAM foi sexta-feira na Vila Progresso.

Publicado

no

Por

Na noite de sexta-feira (10), policiais militares do 9º Batalhão prenderam um casal acusado de tráfico de drogas em Pontal do Paraná.

A ação foi realizada por uma equipe da ROTAM (Rondas Ostensivas Tático Móvel), na Rua São Miguel Arcanjo, na Vila Progresso.

Na ocasião, os militares realizavam patrulhamento de rotina quando avistaram dois homens e duas mulheres se comportando de forma suspeita.

Ao enxergarem a viatura, o grupo tentou se dispersar indo para direções opostas. Contudo, a ação dos PMs foi mais rápida.

Uma policial feminina deu apoio durante a averiguação pessoal nas abordadas. Com uma das mulheres, os policiais localizaram 20 pedras de crack, prontas para a comercialização.
CONFISSÃO
Indagada, a jovem de 22 anos relatou que ela e o seu cônjuge, de 20 anos, um dos homens abordados, estavam comercializando o entorpecente na região.

Em virtude do flagrante, o casal recebeu voz de prisão e foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Pontal do Paraná onde ficou à disposição da Justiça.

Continuar Lendo

Polícia

Policial aposentado é assassinado em Pontal do Paraná

Corpo dele foi encontrado dentro de casa, em Ipanema.

Publicado

no

Por

O policial rodoviário federal aposentado Mauri José Stocco Carneiro, de 75 anos, foi assassinado em Pontal do Paraná.

O corpo do idoso foi encontrado embaixo de um colchão, em um quarto, dentro da casa onde morava sozinho, na Rua Mergulhão, no balneário Ipanema.

Mauri teria sido estrangulado com uma corda e atingido por diversos golpes, provavelmente de faca.

A descoberta do cadáver do policial ocorreu na tarde de quinta-feira (8) e foi feita por familiares dele, que haviam estranhado o sumiço e a falta de contato dele desde segunda-feira.

A última vez que Mauri Stocco Carneiro foi visto caminhando pela rua aonde morava foi na terça-feira (6).

Tudo indica que o policial aposentado tenha sido vítima de latrocínio (roubo seguido de morte) já que, segundo os parentes, um televisor e outros objetos haviam desaparecido da residência da vítima.

Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.