Ligue-se a nós

Paraná

Saúde libera cirurgias eletivas com condições

Resolução foi divulgada na tarde de segunda-feira (14)

Publicado

no

A Secretaria da Saúde do Paraná divulgou nesta segunda-feira (14) uma nova recomendação para procedimentos cirúrgicos eletivos no Paraná. As medidas estão sendo tomadas para contingenciamento de insumos por causa da escassez de medicamentos anestésicos e relaxantes musculares, para que sejam destinados ao tratamento de pacientes infectados pela Covid-19.

A Resolução número 1.116/2020 (que revoga a Resolução número 1.026/2020) autoriza que hospitais privados que não estejam no plano de atendimento Covid-19 ou não sejam contratualizados pela Secretaria da Saúde, realizem quaisquer procedimentos eletivos hospitalares, desde que se responsabilizem pela aquisição dos insumos anestésicos para o cumprimento destas atividades.

“Esta nova orientação tem por objetivo fortalecer os serviços de saúde, diminuir as filas de espera e, principalmente, prestar atendimento eficiente e de qualidade a todos os paranaenses”, afirmou o secretário da Saúde, Beto Preto.

Ainda segundo ele, o parágrafo único da Resolução serve como retaguarda para que os hospitais que desejem realizar estes procedimentos se responsabilizem por suas compras.

“A reposição destes insumos anestésicos não será, de maneira alguma, responsabilidade da Secretaria da Saúde ou do Governo do Estado, visto que neste momento o Paraná tem contingenciado para poder atender a demanda gerada pela epidemia de Covid-19”, afirmou.

NÃO SE APLICA – A nova orientação também recomenda que a suspensão não se aplique a procedimentos de cardiologia, oncologia, nefrologia, exames considerados necessários em caráter de urgência, procedimentos a serem realizados em âmbito laboratorial e que, a critério médico, sejam considerados de urgência ou emergência.

RECOMENDAÇÕES – As medidas de suspensão das cirurgias eletivas foram adotadas em março para o contingenciamento de medicamentos anestésicos e relaxantes musculares que estão sendo demandados aos pacientes internados com Covid-19. E também para controlar a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva no Estado.

Inicialmente a Resolução da Secretaria da Saúde número 338/2020, recomendou a suspensão temporária das cirurgias eletivas. Logo após, a Resolução 395/2020 suspendeu a realização de cirurgias bariátricas. Em julho, a Resolução número 926/2020 autorizou a realização de procedimentos cirúrgicos ambulatoriais.

No mês passado, a Resolução 1.026/2020 alterou as recomendações anteriores e restringiu somente os procedimentos cirúrgicos eletivos hospitalares com demanda de terapia intensiva no pós-operatório e/ou em pacientes sob anestesia geral.

Da Agência estadual de Notícias

Deixe seu comentário!

Paraná

Alunos indígenas produzem o próprio sabão para prevenir Covid-19

Sabão foi feito e distribuído às famílias da Comunidade da Terra Indígena Ivaí

Publicado

no

Por

Fotos: SEED

Para ensinar na prática a prevenção contra a Covid-19 aos alunos do Colégio Estadual Indígena Cacique Gregório Kaekchot, na cidade de Manoel Ribas, no Centro do Estado, professores desenvolveram o Projeto do Sabão. Além de explicar a importância da correta higienização das mãos, mostra aos estudantes como produzir esse item de limpeza.

A iniciativa é desenvolvida na Terra Indígena Ivaí.

A ideia surgiu de uma roda de conversa sobre educação escolar nas comunidades indígenas, como explica a professora Auria Nack.

“Na ocasião eu fiquei pensando no que eu poderia fazer na minha disciplina, já que sou professora de biologia e química. Pensei em algo que daria para abordar nesse momento de isolamento social que nós estamos vivenciando, algo útil que a comunidade poderia utilizar”.
UNIÃO – De acordo com diretora do colégio, Patrícia Betelli, o projeto envolve turmas desde a Educação Infantil até o Ensino Médio.

Os professores elaboraram apostilas com atividades e instruções voltadas ao projeto, reforçando questões relacionadas às áreas de educação  ambiental, cidadania e sustentabilidade. Também explicaram os conteúdos através de vídeos e áudios, material que foi disponibilizado para os alunos.

O sabão foi feito e distribuído às famílias da Comunidade da Terra Indígena Ivaí com o intuito de conscientizar sobre a prevenção da Covid-19 através da higienização das mãos.

“O objetivo geral do projeto é conscientizar a comunidade escolar sobre a necessidade de reutilizar o óleo de cozinha para amenizar os impactos causados na natureza quando descartado de forma errada. E também é uma alternativa para ajudar na prevenção do Covid-19, já que produto é usado na produção do sabão”, reforça a professora Auria Nack. O projeto, acrescenta, é um sucesso.

Continuar Lendo

Paraná

Alunos e professores terão curso de programação gratuito

Curso é gratuito e na modalidade ensino a distância

Publicado

no

Por

Durante os próximos 6 meses, 10 mil alunos e 1.000 professores da rede estadual de ensino terão a oportunidade de aprender programação em um curso profissionalizante oferecido pela Secretaria de Estado da Educação e do Esporte.

O curso é gratuito, na modalidade ensino a distância e oferecido pela parceria entre a secretaria e a Alura, maior plataforma brasileira em cursos de tecnologia. A oportunidade é umas das novidades do Aula Paraná Turbo, lançado na quinta-feira (16). As inscrições estão abertas a partir desta sexta-feira (18) e vão até o dia 23 (quarta-feira).

Serão cinco modalidades de cursos oferecidos: Programação Mobile, Programação de Back-end, Programação de Front-end, Design & UX e Data Science.

Os cursos oferecem o que há de mais moderno no momento e têm o objetivo de preparar profissionalmente os alunos da rede estadual para enfrentar os desafios do futuro no trabalho e também no desenvolvimento de projetos significativos à comunidade partindo de professores e alunos.

“Essa parceria vai oferecer cursos de alta qualidade e que vão colocar nossos alunos em uma ótima posição profissional no futuro”, destacou Renato Feder, secretário estadual da Educação.

Segundo ele, o mundo está cada vez mais automatizado, buscando programadores e profissionais da tecnologia e essa será uma grande oportunidade para os alunos que têm interesse na área iniciarem sua formação com o pé direito, desenvolvendo projetos tecnológicos para sua comunidade e mais tarde ocupando lugares de destaque no mercado de trabalho.

Gustavo Garbosa, diretor de Tecnologia e Inovação da Secretaria, explica que, entre os estudantes, o foco inicial desta parceria são os alunos do Ensino Médio, mas que a secretaria já está se preparando para oferecer as aulas de programação desde o 6º ano.

“Neste primeiro momento, como piloto, estamos buscando programação para o Ensino Médio, mas já com o plano de levar isso a todos os estudantes da rede. Buscamos uma plataforma de ensino com bastante potencial, com cursos modernos e alinhados às demandas do futuro, com dezenas de cursos disponíveis e que possam agregar na Educação”, destaca o diretor.

INSCRIÇÕES – Os alunos e professores interessados em preencher uma das 11 mil vagas nos cursos de programação devem acessar o site e preencher o formulário de credenciamento usando seu e-mail @escola.pr.gov.br.

Caso o número de interessados exceda os 11 mil nas modalidades de aluno e professor, o critério de desempate será a data/hora do credenciamento conforme registro de envio do formulário, conforme prevê o edital de credenciamento.

DURAÇÃO DO CURSO – O curso tem previsão de duração de cerca de 6 meses (de outubro de 2020 a fevereiro/março de 2020) e recomenda-se que os estudantes interessados tenham a disponibilidade de 10h semanais a serem cursadas no contra turno escolar.

Os estudantes que não acessarem e não avançarem nos cursos em um período de 15 dias consecutivos serão eliminados, dando lugar a quem ficou de fora no primeiro credenciamento devido à limitação de vagas.

No final do período, os estudantes participarão de um evento para compartilhamento dos trabalhos desenvolvidos.

PARCERIA – A parceria entre o Secretaria da Educação e a Alura é gratuita, sem custos para o Estado e para o aluno.

O currículo e trilhas oferecidas em cada um dos cinco cursos disponíveis nesta parceria podem ser conferidos na plataforma da Alura.

CLIQUE AQUI para acessar o edital.

CLIQUE AQUI para se inscrever (só acessível com usuário @escola.pr.gov.br).

Continuar Lendo

Paraná

Abertas inscrições para curso EAD sobre o autismo

Conteúdo será disponibilizado até o final do mês de setembro

Publicado

no

Por

Estão abertas desde quinta-feira (10), no site da Escola de Saúde Pública do Paraná, as inscrições para o curso de Capacitação Multiprofissional em Análise do Comportamento Voltada ao Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

Promovido pela Divisão de Saúde da Pessoa com Deficiência da Secretaria de Estado da Saúde, o curso foi desenvolvido na modalidade de ensino a distância, com conteúdo criado por uma escola especializada da Flórida, nos Estados Unidos.

É dirigido a profissionais e gestores da saúde que atuam na área e o objetivo é qualificar o atendimento de pessoas com suspeita ou diagnóstico de Autismo.

“Uma das metas do governo estadual é a capacitação e atualização profissional”, afirma o secretário Beto Preto.

O curso tem duração de 40 horas e apresenta 19 módulos. Além de aulas autoinstrucionais, é mediado por material didático e atividades aplicadas aos participantes.

O conteúdo será disponibilizado até o final do mês de setembro.

“O autismo é um transtorno que tem toda a atenção da Secretaria e nossa próxima meta é a produção de um novo conteúdo, também na plataforma online, para abranger familiares e cuidadores de pessoas com TEA”, explica o secretário.

AUTISMO – O autismo é considerado um transtorno do neurodesenvolvimento, com início na infância, podendo afetar a capacidade de comunicação e interação.

“Trata-se de um agravo crônico que requer tratamento longitudinal, envolvendo várias terapias, entre elas, comportamentais, educacionais e familiares com vistas à redução dos sintomas e melhora no desenvolvimento social e educacional. O cuidado das pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo envolve diversos profissionais como fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, psicólogo, dentista e médicos especialistas”, explica a chefe da Divisão de Saúde da Pessoas com Deficiência, Aline Jarchel de Oliveira.

CADASTRO – A Secretaria mantém um cadastro voluntário da Pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo disponibilizado no site. “O objetivo é identificar e conhecer a realidade destas pessoas, e as informações contidas no cadastro nos auxiliam nas ações de atenção e cuidados a esta população”, informa Aline. Atualmente estão cadastradas 613 pessoas.

CLIQUE AQUI para se inscrever.

Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.