Ligue-se a nós

Paraná

Saúde alerta para acidentes com águas-vivas e caravelas no Litoral

Tipo mais comum provoca queimadura leves

Publicado

no

A chegada de temperaturas mais elevadas e a proximidade do verão atraem cada vez mais pessoas para o litoral paranaense. A Secretaria de Estado da Saúde alerta a população para cuidados em casos de acidentes com águas-vivas e caravelas nesta época.

Águas-vivas e caravelas não atacam as pessoas. Os acidentes acontecem quando, por algum motivo, encostam-se nos banhistas e neste momento liberam substâncias na pele que causam o envenenamento, popularmente conhecido como “queimadura”.

Na temporada de 2016/2017 o Paraná registrou mais de 27 mil casos de acidentes. Já em 2017/2018, entre 21 de dezembro a 18 de fevereiro, o número reduziu significativamente para 1.188 casos. Na última temporada, 2018/2019, foram 1.469. Os dados são do Corpo de Bombeiros.

O chefe da Divisão de Vigilância de Zoonoses e Intoxicações (DVVZI) da Sesa, Emanuel Marques da Silva, explicou o possível motivo para o aumento destes casos nesta época.

“Durante este período elas se aproximam mais da costa do nosso litoral, pois estão em trânsito sendo levadas por correntes marítimas. As caravelas e as medusas (ou águas-vivas) são seres que estão no mar, e este é seu ambiente natural. Somos nós humanos que neste período de verão fazemos uso das praias, invadindo então o espaço delas, onde o acidente provocado pelo contato homem/animal acaba acontecendo”, disse.

A grande maioria dos acidentes com águas-vivas ocasiona quadros leves, quando a vítima relata apenas dor em queimação no local de contato com o animal. Neste tipo de caso clássico, a assistência é feita na beira da praia, pela equipe de guarda-vidas do Corpo de Bombeiros.
“Recomendamos que antes de entrar na água, o veranista pergunte ao guarda-vidas como está a situação do mar e qual o melhor lugar para se banhar. O atendimento feito pelos bombeiros na praia consiste na aplicação de vinagre na região da pele que teve contato com a água-viva para aliviar a dor e parar a ação da toxina do animal”, informou Tatiane Brites Dombroski, enfermeira da DVVZI.

CARACTERÍSTICAS – O tipo mais comum de água-viva encontrado no Paraná mede cerca de treze centímetros com os tentáculos, tem consistência gelatinosa e a aparência de um guarda-chuva. Provoca queimadura leve, não considerada grave.A caravela por sua vez, chama a atenção pela cor roxa e azul e é semelhante a uma bexiga boiando no mar. Pode chegar a dois metros de comprimento com os tentáculos. Os tentáculos grudam na pele e liberam substâncias que causam o envenenamento, que pode ter uma manifestação sistêmica, ou seja, capaz de afetar todo o organismo. Neste caso, é necessário buscar atendimento médico hospitalar.CUIDADOS – Não se deve tocar em águas-vivas e caravelas, mesmo que pareçam mortas na areia. Se a pessoa for queimada, deve lavar o local apenas com a água do mar e não esfregar a região atingida. Em seguida, deve-se procurar um posto de salva-vidas para colocar vinagre e neutralizar a ação da toxina.

Não pode passar água doce e nenhuma outra substância, como bebida alcoólica ou urina.

DÚVIDAS – Em caso de dúvidas sobre acidentes a população pode entrar em contato com o Centro de Controle de Envenenamentos do Paraná pelo número: 0800-410148 (CCE/PR).

Da Sesa Pr

Paraná

Remoções mantêm unidades prisionais do Litoral seguras

O objetivo é manter as delegacias e cadeias com número baixo de presos

Publicado

no

Por

Foto: SESP

O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) está fazendo remoções, transferências e apresentações à Justiça de presos das unidades prisionais litorâneas. O objetivo é manter nesta temporada as delegacias e cadeias com número baixo de presos, para dar mais segurança aos servidores atuantes do Verão Maior e, principalmente, aos moradores e veranistas.

Desde o dia 20 de dezembro foram feitas 230 movimentações de detentos e duas revistas estruturais em delegacias do Litoral. Além disso, agentes penitenciários do setor de monitoramento instalaram 10 tornozeleiras e retiraram 21, conforme determinação judicial.
“Para fazer a transferência dos presos às audiências de custódia, remoções entre as delegacias, e demais demandas, o Depen disponibiliza toda a logística necessária, ou seja, veículos e servidores capacitados. De forma integrada, as polícias Militar e Civil estão encarregadas da escolta”, explicou o coordenador do Verão Maior do Departamento Penitenciário, Josielson Fabrício.

Antes do lançamento da operação, entre os dias 11 e 20 de dezembro, o Depen retirou 330 presos das carceragens do Litoral. Após o lançamento oficial, as movimentações continuaram ocorrendo, porém, conforme demanda e necessidades.

Nestes 31 primeiros dias de Verão Maior, foram feitas mais 194  transferências e 36 encaminhamentos de detentos para audiências judiciais, nos municípios de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná.

“Essas transferências podem ser feitas somente para manter um baixo número de detentos nas unidades prisionais litorâneas ou também por alguma necessidade emergencial e, em ambos os casos, os presos das delegacias vão diretamente para o sistema penitenciário”, explicou.

O primeiro acionamento da equipe do Depen ocorreu na madrugada do dia 27 de dezembro, quando os agentes penitenciários encaminharam um detento da Delegacia de Ipanema para a Casa de Custódia de Piraquara.

No mesmo dia, a equipe de agentes penitenciários atuantes em Matinhos também prestou apoio para retirar outro preso da cela. O homem, que sofreu uma queda e lesionou o joelho, precisou de atendimento médico na Unidade de Pronto Atendimento da cidade.

Os servidores do Depen fizeram o encaminhamento à UPA e, depois, retornaram à Delegacia Cidadã.

Já no dia 03 de janeiro, 20 presos que estavam na Cadeia Pública de Paranaguá foram encaminhados para a Casa de Custódia Curitiba e para o Complexo Médico Penal, em Pinhais. No dia 15, outros 36 presos também foram transferidos de Paranaguá para unidades penais da Região Metropolitana de Curitiba.

“As remoções ocorreram tranquilamente, sem alterações e com o apoio da Polícia Militar, após alinhamento dos trâmites legais”, disse Fabrício.
VISTORIAS – Além das movimentações de presos, as equipes ainda têm feito operações de revista e vistoria nas unidades prisionais do Litoral. Neste primeiro mês de Verão Maior, foram desencadeadas duas operações de revista, sendo a primeira na Delegacia Cidadã de Matinhos.

“Neste caso, retiramos os presos dos cubículos, fazemos toda a verificação estrutural e pessoal neles, mantendo a segurança e a disciplina necessária nas carceragens”, destacou o coordenador.

Os motivos para as vistorias variam conforme a unidade. “Na Delegacia de Matinhos, a primeira revista foi motivada por uma denúncia de que um preso estaria sendo ameaçado por outros detentos da carceragem. Porém, após toda a verificação, nada de irregular foi encontrado, assim como na segunda vistoria feita a pedido do próprio delegado”, disse Fabrício.

No dia 19 deste mês, o Departamento Penitenciário fez uma revista estrutural na carceragem da Delegacia de Pontal do Paraná, para atender uma solicitação da Polícia Civil.

Durante o procedimento, segundo Fabrício, foi encontrado um parafuso de aproximadamente 10 centímetros dentro de uma das celas. Porém, nenhuma alteração foi constatada na estrutura da cela.

Nos momentos de remoções e transferências, as unidades de Pontal do Paraná e Ipanema também passaram por revista e não foram encontradas alterações ou irregularidades.

“Essas vistorias são necessárias para manter a ordem e a segurança das delegacias. A equipe comparece ao local e faz as inspeções, tudo de acordo com os protocolos. Se, por algum motivo, há a necessidade de retirada desses presos, eles já são direcionados ao sistema prisional de Curitiba e Região Metropolitana”, afirmou Fabrício.

Da AEN
Continuar Lendo

Paraná

Novo salário mínimo regional entra em vigor hoje

Valores virão com data retroativa ao dia 1º de janeiro

Publicado

no

Por

Assinatura foi no Palácio Iguaçu

O salário mínimo regional para 2020 entrou em vigor nesta sexta-feira (24), com data retroativa para 1º de janeiro. O decreto que oficializa os novos valores foi assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e pelo secretário da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), Ney Leprevost, no Palácio Iguaçu.

“É o maior reajuste do Brasil graças ao bom trabalho que a nossa equipe tem realizado e, claro, é também um reconhecimento à dedicação dos trabalhadores paranaenses. Fazemos o possível para melhorar a renda de cada uma dessas pessoas”, afirmou o governador Ratinho Junior.

As novas faixas salariais variam de R$ 1.383,80 na categoria 1 (o maior do país), podendo chegar a R$ 1.599,40 de acordo com a categoria. O reajuste do mínimo regional, aprovado pelo Conselho Estadual do Trabalho, é de 5,86% – 1,75 ponto percentual acima do reajuste nacional.

O secretário Ney Leprevost reforçou o compromisso da gestão em atuar de forma conjunta com as empresas.

“O Governo do Paraná trabalha com a parceria dos empresários e dos trabalhadores, dialoga e atua de forma conjunta. Foi graças ao esforço da nossa equipe do Departamento do Trabalho em conduzir ao Conselho Estadual do Trabalho o aumento do salário mínimo dentro do que prevê a Lei, para que o Paraná cumprisse o seu compromisso com os trabalhadores paranaenses”, ressaltou.

Participaram da assinatura, o diretor do Departamento do Trabalho e Estimulo à Geração de Renda da Sejuf, Eder Colaço, o presidente do Conselho Estadual do Trabalho, Emprego e Renda do Paraná, José Toaldo Filho e a economista da Sejuf, Suelen Glisnki.

CATEGORIAS  O novo piso tem quatro faixas. Na categoria dos trabalhadores agropecuários, florestais e da pesca, o piso sobe para R$ 1.383,80.

Para o setor de serviços administrativos, serviços gerais, de reparação e manutenção e vendedores do comércio em lojas e mercados, o salário aumenta para R$ 1.436,60. Esta categoria engloba também a classe de trabalhadores domésticos.

Para os empregados na produção de bens e serviços industriais, o piso vai para R$ 1.487,20. Para o último grupo, na categoria de técnicos de nível médio, o piso passa a ser R$ 1.599,40.

O mínimo regional não se aplica aos empregados que têm o piso salarial definido em lei federal, convenção ou acordo coletivo de trabalho, nem aos servidores públicos.

HISTÓRICO  O salário mínimo regional no Paraná foi implantado em 1º de maio de 2006.

Confira a evolução desde a sua implantação:

2006 – R$ 427,00 a R$ 437,80

2007 – R$ 462,00 a R$ 475,20

2008 – R$ 527,00 a R$ 547,80

2009 – R$ 605,52 a R$ 629,65

2010 – R$ 663,00 a R$ 765,00

2011 – R$ 708,14 a R$ 817,78

2012 – R$ 783,20 a R$ 904,20

2013 – R$ 882,59 a R$ 1.018,94

2014 – R$ 948,20 a R$ 1.095,60

2015 – R$1.032,02 a R$ 1.192,45

2016 – R$ 1.148,40 a R$ 1.326,60

2017 – R$ 1.223,20 a R$ 1.414,60

2018 – R$ 1.247,40 a R$ 1.4410

2019 – R$ 1.306,80 a R$ 1.509,20

2020 – R$ 1.383,80 a R$ 1.599,40

Da AEN
Continuar Lendo

Paraná

Litoral terá shows de Alexandre Pires e Eduardo Costa nesta sexta

Apresentações encerram a programação musical do Palco Verão Maior

Publicado

no

Por

A mistura de ritmos de Alexandre Pires e as modas sertanejas apaixonadas de Eduardo Costa encerram a programação musical do Palco Verão Maior, nesta sexta-feira (24).

Os shows são gratuitos e fazem parte da programação cultural promovida pelo Governo do Estado em parceria com a Renault do Brasil.

Alexandre Pires, ex-líder do Só Pra Contrariar, comanda o palco em Matinhos e vai cantar para cerca de 20 mil pessoas.

O show se chama O Baile do Nêgo Véio e reúne hits próprios e de bandas de pagode e samba dos anos 1990.

Eduardo Costa encerra a programação de Guaratuba com sucessos da carreira como Olha Ela Aí, Coração Pirata e Sapequinha. A arena da cidade tem capacidade para 8 mil pessoas.

O cantor mineiro chega ao Litoral depois de gravar um show para o seu quinto DVD, nesta quinta-feira (23), em Curitiba.

As pulseirinhas para o show em Guaratuba já estão esgotadas.

Para o show de Matinhos ainda há distribuição em pontos específicos da praia.

Os ingressos deverão ser trocados com antecedência nos postos autorizados. Serão restringidas duas entradas por CPF.

SEGURANÇA – A Polícia Civil estará presente no Parque de Eventos, em Guaratuba, com uma delegacia móvel.

Os policiais trabalharão durante todo o show para registrar boletins de ocorrência, flagrantes e prestar auxílio à população.

A Polícia Militar estará presente nos dois shows com módulos móveis, viaturas e motocicletas.

PALCO VERÃO MAIOR – A programação cultural de janeiro nas praias do Paraná contou com shows de Jerry Smith, César Menotti e Fabiano, Michel Teló, Pedro Paulo e Alex, e Edson e Hudson.

Mais de 80 mil pessoas frequentaram os palcos nas últimas três sextas-feiras.

VERÃO MAIOR – O Verão Maior é uma ação integrada do Governo do Estado em parceria com os municípios do Litoral, das praias de água doce no Noroeste e Oeste do Paraná.

Na região de Porto Rico e na Costa Oeste (municípios lindeiros) também são desenvolvidas ações do projeto. Serão, ao todo, 74 dias de atividades esportivas, culturais e de cidadania.

Programação de Matinhos

24/01 (sexta-feira) – Alexandre Pires

Local do show: Centro de Eventos da Rotatória de Matinhos – Av. Paranaguá com a Av. Brasil.

Pontos de entrega de ingressos:

Casa da Cultura (Rua Albano Müller, 111)

Ginásio Vicente Gurski (Avenida JK de Oliveira)

Centro de Eventos Rotatória (Av. Paranaguá com a Av. Brasil)

Balneário Gaivotas (quadra de esportes – Av. Paranaguá esquina com a rua Padre Osvaldo Gomes)

Programação de Guaratuba

24/01 (sexta-feira) – Eduardo Costa

Local do show: Parque de Eventos de Guaratuba – Rua Antonio Rocha N° 480

Da AEN
Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.