Ligue-se a nós

Paraná

Quatro cidades paranaenses voltam às urnas neste domingo

Foz do Iguaçu, Piraí do Sul, Nova Laranjeiras e Quatiguá escolhem novos prefeitos

Publicado

no

Paranaguá, PR
Agora Litoral

Os eleitores de quatro municípios do Paraná voltam às urnas neste domingo (2) para eleger prefeitos e vice-prefeitos em novas eleições. Os pleitos serão realizados nas cidades de Foz do Iguaçu, Piraí do Sul, Nova Laranjeiras e Quatiguá. Em todas elas, houve problemas nas candidaturas que ganharam em outubro de 2016. Por isso, o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) determinou que ocorressem novos pleitos nesses municípios.

De acordo com o artigo 224 do Código Eleitoral, que sofreu algumas mudanças com a Reforma Eleitoral de 2015, novas eleições devem ser realizadas sempre que houver, independentemente do número de votos anulados e após o trânsito em julgado, “decisão da Justiça Eleitoral que importe o indeferimento do registro, a cassação do diploma ou a perda do mandato de candidato eleito em pleito majoritário”.

Segundo o TRE-PR, 199.413 eleitores devem comparecer às urnas. A nova eleição deve custar R$ 600 mil aos cofres públicos.

 

Clique para comentar

Deixe seu comentário!

Paraná

Sesa capacita profissionais do Litoral para operações do Sistema de Regulação de Leitos

Como medida de auxílio aos municípios da 1ª Regional de Saúde devido ao aumento de casos de Covid-19 e H3N2.

Publicado

no

Por

Nesta semana, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) realizou um treinamento presencial com servidores da saúde do município de Paranaguá, visando instruir os profissionais para operarem o Sistema Estadual de Regulação de Leitos. A capacitação é uma medida de auxílio aos municípios da 1ª Regional de Saúde devido ao aumento de casos de Covid-19 e H3N2 desde o início do ano.

O curso, que também está disponível em formato digital no Ambiente Virtual de Aprendizagem do Sistema Único de Saúde (AVASUS), foi ministrado por três técnicos da Sesa nos dias 18 e 19 e teve como finalidade treinar os profissionais para operarem o sistema de maneira ainda mais qualificada.

No início deste mês, o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, recebeu os prefeitos da 1ª RS para discutir sobre ações de apoio à região.

“A Sesa reconhece a importância da capacitação dos profissionais de saúde. Neste início do ano, os municípios do Litoral têm sentido maior pressão nos serviços de saúde. Por isso, após diálogo com os prefeitos, tomamos a decisão de ofertar esse curso para expandir ainda mais a qualificação dos servidores e dos serviços como um todo”, afirmou o secretário.

Foram capacitados cinco médicos e oito enfermeiros das UPAs, três técnicos do Litoral, um técnico de enfermagem e um administrador hospitalar.

Nota conjunta sobre a vacinação de crianças e adolescentes

Sobre a informação de que crianças e adolescentes foram imunizados em desacordo com a vacina autorizada pela Anvisa, a Sesa e o Cosems entendem a necessidade de uma verificação mais apurada e sóbria acerca dos dados no sistema do Ministério da Saúde (MS), que sofreu instabilidade nas últimas semanas, o que pode impactar a informação, assim como possíveis erros na alimentação de dados. Tal medida já está sendo analisada pelas equipes técnicas.

O Estado do Paraná tem expertise comprovada e eficiência histórica na vacinação, fruto de um trabalho comprometido de vacinadoras e vacinadores nos 399 municípios ao longo dos anos.

Da mesma forma, a Sesa também vai responder aos questionamentos do Supremo Tribunal Federal sobre a demanda da Advocacia Geral da União (AGU) nas ADPFs 754 e 756, dentro do prazo previsto.

A Sesa e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná (Cosems) reafirmam a importância da campanha de vacinação dos paranaenses contra a Covid-19.

Da Sesa
Continuar Lendo

Paraná

Informe semanal da dengue registra 673 casos da doença no Paraná

Boletim apontou mais nove casos no Litoral.

Publicado

no

Por

O boletim semanal da dengue publicado nesta terça-feira (18/01) pela Secretaria de Estado da Saúde, registra 673 novos casos confirmados. São 60 casos a mais da doença em relação ao informe anterior, cerca de 4,49% dos 14.996 casos suspeitos no Paraná. Os dados são do 21º Informe Epidemiológico, do novo período sazonal da doença, que iniciou no dia 1º de agosto e deve seguir até julho de 2022.

Litoral
O novo boletim apontou nove casos confirmados e 232 suspeitos no Litoral, sendo:

Município                     Suspeitos       Confirmados

Antonina:                           13          –          0

Guaraqueçaba:                    3          –          0

Guaratuba:                        16          –          2

Matinhos:                            2          –          0

Morretes:                             1          –          0

Paranaguá:                       163          –          3

Pontal do Paraná:              34          –          4

Ao todo, 306 municípios registraram notificações de dengue até o momento, destes 112 confirmaram a doença, sendo que 80 municípios com casos autóctones, ou seja, a dengue foi contraída no município de residência. Há ainda, 2.329 casos em investigação e nenhum registro de óbito neste período.

Segundo informações do boletim, os sorotipos Denv1 e Denv2 circulam no Paraná, mantendo a mesma tendência observada no período epidemiológico anterior.

De acordo com a coordenadora de Vigilância Ambiental da Sesa, Ivana Belmonte, é imprescindível que nesse período de intensificação das chuvas e aumento das temperaturas, a população colabore na eliminação de potenciais criadouros.

“Um levantamento entomológico realizado pelos municípios no período de setembro até novembro de 2021, mostrou que lixo, pneus e demais materiais que acumulam água, representam 74% dos recipientes utilizados pela fêmea do Aedes aegypti para depositar seus ovos”, enfatizou.

Confira o informe completo AQUI.

Da Sesa
Continuar Lendo

Paraná

Ações com cães da Polícia Civil apreenderam 7,8 toneladas de drogas em 2021

Animais colaboraram na prisão em flagrante de 228 pessoas.

Publicado

no

Por

Os cães da Polícia Civil do Paraná (PCPR) colaboraram na prisão em flagrante de 228 pessoas e na apreensão de 7,8 toneladas de drogas em 2021. A participação dos animais nas ações contribui para o sucesso das operações.

Catorze animais fazem parte do Núcleo de Operações com Cães da PCPR. Eles se dividem em cinco bases no Estado, localizadas em Curitiba, Cascavel, Maringá, Pato Branco e Londrina.

A maior parte das drogas apreendidas foi maconha – 7 toneladas. O restante soma 730 quilos de cocaína, 14,7 quilos de crack e 20,2 mil unidades de drogas sintéticas. As operações também resultaram na apreensão de 50 armas de fogo e 1,1 mil munições.

A delegada da PCPR Ana Cristina Silva afirma que os cães atendem as demandas de polícia judiciária em todo o Estado. No ano passado eles tiveram papel fundamental em interceptações de grande montante de entorpecentes.

“É extremamente importante o uso de cães farejadores nas ações policiais, pois temos economia de efetivo, aumentamos a segurança do policial e a possibilidade de êxito nas apreensões”, disse. PRODUTIVIDADE – O Núcleo de Operações com Cães da PCPR integrou 541 operações no ano passado e atuou no cumprimento de 628 mandados de busca e apreensão. Os cães policiais ainda participaram de outras 1,1 mil ações de fiscalização, e também apoiaram outras forças de segurança como Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Civil de Santa Catarina (PCSC), além do Ministério da Justiça e da Segurança Pública (MJ).

O investigador Juliano Riboli é um dos nove policiais civis habilitados em curso técnico de cinotecnia pela Escola Superior da PCPR. Ele afirma que a presença dos cães farejadores nas fiscalizações e operações otimiza e aumenta o nível de assertividade do trabalho de polícia judiciária.

“Uma equipe formada por quatro policiais leva cerca de 30 minutos para fazer busca em uma casa de 50 metros quadrados. Com o cão essa busca cai para cinco minutos”, compara o investigador. Riboli destaca a eficácia do trabalho da matilha nas buscas por armas, munições e entorpecentes. Em determinadas situações, em que houve dificuldade de acesso aos ilícitos, apenas com o emprego de cães policiais foi possível fazer a localização. Os animais já encontraram droga enterrada, escondida em tubulação de água e em fundos falsos de móveis e veículos.

Policiais civis que concluem o curso técnico de cinotecnia são habilitados em treinamento e condução de cães. Em um processo de investimento no emprego de cães farejadores no trabalho da PCPR, a instituição planeja para este ano o lançamento de um curso de pós-graduação em cinotecnia pela Escola Superior da PCPR.

Da PCPR
Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.