Ligue-se a nós

Paraná

Polícia Científica usará robô de DNA para elucidar casos de estupros

Paraná é o primeiro da região Sul a contar com essa tecnologia.

Publicado

no

Fotos: SESP

Uma nova tecnologia que será usada pela Polícia Científica do Paraná vai ajudar a elucidar os cerca de dois mil casos de crimes de estupros ocorridos no Estado e que ainda não foram solucionados.

Trata-se da Plataforma de Automatização Starlet ID: um “robô” que acelera a extração de amostras dos materiais genéticos relacionados a crimes, otimizando tempo na obtenção de perfis genéticos dos possíveis autores. A tecnologia foi apresentada na quarta-feira (04), em Curitiba.
O equipamento, que amplia a capacidade prática de exames de DNA do Laboratório de Genética Molecular Forense, foi doado pela Secretaria Nacional da Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ), devido ao fato de a Polícia Científica paranaense apresentar bons resultados a nível nacional e cumprir todos os requisitos exigidos. Isso coloca o Paraná entre os seis estados, e o primeiro da região Sul, a contar com essa tecnologia contra o crime.

O secretário Nacional de Segurança Pública, Carlos Renato Machado Paim, conta que a entrega do equipamento é fruto de uma parceria entre o governo federal e o governo estadual, em que o Paraná assumiu o compromisso de coletar DNA e inserir na Rede Integrada de Banco de Perfis Genético (RIBPG).

“Isso é uma ação estruturante, que visa atingir todo país, para formar um grande banco de DNA e valorizar os profissionais. É incentivador ver as pessoas trabalhando com capacidade para desenvolver as suas atribuições”
, disse ele.
A nova tecnologia possibilita fazer mais em menos tempo e isso é mais que importante para segurança pública como um todo, destaca o secretário estadual da Segurança Pública, coronel Romulo Marinho Soares.

“Ainda mais ao Instituto Médico Legal e ao Instituto de Criminalística, que apontam fatos por meio da ciência. Poder contar com a automatização dentro do nosso Laboratório de Genética é mais um grande passo para transformarmos a Polícia Científica do Paraná em uma das melhores do Brasil”, afirmou o secretário.

REDE INTEGRADA – A inovação tem o objetivo de atender as demandas da Rede Integrada de Banco de Perfis Genético (RIBPG), que é alimentada por 18 instituições estaduais, incluindo a Polícia Científica paranaense, além de um laboratório distrital e um laboratório da Polícia Federal.

A diferença é que, agora, a rede poderá ser abastecida com os dados do estado de forma mais ágil e em mais quantidade, otimizando o tempo na elucidação de diversos crimes por meio do confronto de perfis genéticos.
O ROBÔ – Na prática, o robô permite que o DNA de mais de 80 amostras diferentes seja extraído, simultaneamente, no mesmo período que antes um único fragmento poderia ser processado.

Com isso, a Polícia Científica visa analisar, em um ano, cerca de dois mil vestígios de crimes sexuais ocorridos no estado, cujas investigações ainda não puderam ser concluídas por não haver suspeitos para o confrontamento de DNA, de acordo com o diretor-geral da Polícia Científica do Paraná, Luiz Rodrigo Grochoki.

“A plataforma vai contribuir para a melhoria do processamento de amostras de vestígios de violência sexual no Paraná. Neste primeiro momento planejamos para cumprir a meta estipulada pelo Ministério da Justiça extrair amostras de DNA de vestígios de estupros e mapear milhares de perfis genéticos de autores. Muitos desses crimes seguem em investigação há anos por não ter o DNA de suspeitos para uma comparação. A Plataforma de Automatização pode mudar isso e esse é o nosso foco: dar uma resposta significativa à sociedade em relação a essas amostras”, disse o diretor-geral.

Com os perfis genéticos mapeados e incorporados à Rede Integrada de Banco de Perfis Genético, o autor do estupro poderá ser identificado, de maneira rápida, caso ele já tenha tido sua amostra de DNA colhida em outras situações ou estados.

Foi um cruzamento de dados de perfis genéticos como esse que, no ano passado, elucidou o homicídio da menina Rachel Maria Lobo Oliveira Genofre, que tinha nove anos quando seu corpo foi encontrado dentro de uma mala na Rodoferroviária de Curitiba, em 2008.

O coordenador do Laboratório de Genética Molecular Forense e Científica da Polícia Científica do Paraná, Marcelo Malaghini, lembra que, por ser uma plataforma de automatização, ela permite acelerar grande parte do processo técnico-analítico e isso é um grande diferencial para todos os peritos criminais do Laboratório de Genética.

“Com esse ganho de tempo, conseguiremos fazer as tratativas do que chamamos de backlog, que são os casos de vítimas de violência sexual que ainda não foram solucionados, como já aconteceu em algumas situações específicas como o caso da menina Rachel”, disse ele.
ACIDENTES – Além de indicar a autoria de estupros e também de outros tipos de crimes onde vestígios com amostras de DNA sejam coletadas, o robô também amplia a capacidade de identificação humana do Laboratório de Genética. Em casos de acidentes e desastres com múltiplas vítimas, por exemplo, a tecnologia poderá ser utilizada para identificar, de maneira célere, cada vítima.

“Contar com uma plataforma com esse porte grande de processamento de amostras, também é muito importante em casos de acidentes com múltiplas vítimas, visto que são muitos vestígios e um grande número de amostras para serem analisadas e por fim, identificar as vítimas. Isso quer dizer que a tecnologia também pode ser usada caso aconteça um grande desastre no Paraná, ou até mesmo em estado vizinhos”, completou Luiz Grochoki.

BANCO DE PERFIL GENÉTICO – A Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG) foi criada com o objetivo de manter, compartilhar e comparar perfis genéticos para ajudar na apuração criminal e no processo de investigação.

Até a divulgação do último relatório, em maio de 2020, o Banco Nacional de Perfis Genéticos contava com mais de 82 mil perfis genéticos cadastrados, sendo mais de 5,4 mil mapeados pela Polícia Cientifica do Paraná. O dado coloca o estado na quinta colocação com a maior contribuição absoluta de perfis genéticos no Banco Nacional.

No Paraná, de acordo com o mesmo relatório, 65 coincidências de vestígios e nove coincidências de indivíduos confirmadas no Banco Nacional de Perfis Genéticos auxiliaram em investigações criminais no país, até maio de 2020.

Dentre os perfis genéticos mapeados no estado, condenados, vestígios de crimes e restos mortais identificados e não identificados são as situações mais recorrentes em que os materiais genéticos foram analisados.

A obrigatoriedade da identificação do perfil genético de condenados por crime praticado, dolosamente, com violência de natureza grave contra pessoa, está prevista desde 2012.

Da Agência Estadual de Notícias

Deixe seu comentário!

Paraná

Paraná terá toque de recolher para conter alta nos casos de coronavírus

Novas medidas devem ser anunciadas na quarta-feira (2)

Publicado

no

Por

Para conter o avanço da Covid-19, o Governo do Paraná irá implantar um toque de recolher e estuda fechar praças e parques em todo o estado. As novas medidas devem ser publicadas até quarta-feira (2).

De acordo com boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) de segunda-feira (30), o Paraná registrou 277.424 casos e 6.099 óbitos pela infecção desde o início da pandemia do novo coronavírus.

O secretário de Saúde, Beto Preto, afirmou nesta terça-feira (01/12) que o toque de recolher deve funcionar das 23h às 5h para evitar a circulação do vírus. Apesar disso, o horário ainda não foi confirmado.

“É necessário que possamos interromper em alguns momentos a circulação de pessoas. Uma das hipóteses que está sendo colocada a partir de hoje ou amanhã é o toque de recolher. Há hipótese até de fechamento de praças, parques, diminuição de festejos de Natal e ano novo por parte dos entes públicos”, afirmou.

Beto Preto confirmou toque de recolher

Beto Preto salientou ainda que os servidores que atuam nas repartições públicas estaduais devem voltar a trabalhar no regime de home office. Além disso, o governo irá recomendar que os municípios e outras esferas do poder adotem a mesma medida.

“Queremos diminuir o trânsito de pessoas. Precisamos tentar mais uma vez o isolamento social, uso de máscara e principalmente o distanciamento”, disse.

Segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), o estado somou mais 56.156 casos e 628 mortes provocadas pelo coronavírus no mês de novembro.

Enquanto o número de mortes sofreu queda na comparação com outubro, o número de casos dobrou, conforme o levantamento.

LEITOS NOS HOSPITAIS

Em entrevista ao Bom Dia Paraná, da RPC TV, Beto Preto afirmou que a rede estadual de saúde está reativando leitos nas alas Covid-19 dos hospitais para atender a demanda.

O secretário estadual de Saúde reforçou que não há falta de assistência, mas disse que a rede pública está chegando ao limite da capacidade de atendimento.

“Estamos trabalhando para ampliar leitos. Estamos negociando com os hospitais e vamos colocar mais leitos. Vamos ampliar ou garantir a transferência de pacientes. Se não fizermos o nosso dever de casa é muito possível que falte leito no hospital. E não é porque deixamos de ofertar, mas é porque a rede está no limite”, afirmou.

Continuar Lendo

Paraná

Estado disponibilizará curso gratuito de inglês para 500 estudantes

Programa de Intercâmbio Internacional será lançado em breve

Publicado

no

Por

A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte do Paraná disponibilizará aulas gratuitas de inglês para 500 estudantes do Ensino Médio da rede estadual que forem selecionados para participar do Programa de Intercâmbio Internacional Ganhando o Mundo, que será lançado em breve pela pasta.

A oferta do curso é resultado de um convênio entre a secretaria e a Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, responsável pela disponibilização das aulas.

O curso, que acontecerá ao longo do primeiro semestre de 2021, será na modalidade a distância (EaD) e em formato autoinstrutivo, baseado em desafios que consideram a perspectiva da aprendizagem por vivência social e cultural.

Assim, os estudantes poderão estar preparados para as experiências reais que vivenciarão durante o intercâmbio. O curso tem, ao todo, seis módulos de 40 horas cada um, totalizando 240 horas.

GANHANDO O MUNDO  Em sua primeira edição, o programa de intercâmbios Ganhando o Mundo selecionará, por meio do critério de notas, 500 estudantes do Ensino Médio da rede estadual para estudar durante um semestre em um país de língua inglesa: Estados Unidos, Canadá, Austrália ou Nova Zelândia.

Entre os 500 aprovados haverá pelo menos um de cada município dos 399 municípios paranaenses, além de vagas para estudantes beneficiários do Bolsa Família.

Todos os selecionados terão, obrigatoriamente, que concluir e serem aprovados no curso de língua inglesa ofertado pela Secretaria da Educação.

Além do desenvolvimento das habilidades linguísticas, outros objetivos previstos pelo programa são a contribuição com a formação integral dos estudantes e a consequente transformação social.

Da AEN
Continuar Lendo

Paraná

Provas do concurso da Polícia Civil serão aplicadas em fevereiro de 2021

São 400 vagas ofertadas

Publicado

no

Por

O edital publicado no Diário Oficial do Estado, na quinta-feira (19), confirma as novas datas do concurso da Polícia Civil do Paraná (PCPR), que oferta 400 vagas. As primeiras provas serão aplicadas em 21 de fevereiro de 2021 e o exame de conhecimento específico para delegado será em 11 de abril.

São ofertadas 50 vagas para delegado de polícia, 300 para investigador de polícia e 50 para papiloscopista. O edital com o novo cronograma, que foi definido em conjunto pela comissão do concurso e a banca examinadora da Universidade Federal do Paraná (UFPR), pode ser acessado AQUI.

O calendário foi finalizado após a provação de um plano de biossegurança junto à Secretaria de Estado da Saúde, em 9 de novembro. O plano foi desenvolvido pela UFPR e normatiza as regras sanitárias que deverão ser seguidas no certame.

Da Agência Estadual de Notícias
Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.