Ligue-se a nós

Paraná

Bens de “Pablo Escobar” brasileiro serão leiloados

ELE É DONO DE UM PATRIMÔNIO SUPERIOR A R$ 300 MILHÕES

Publicado

no

Luiz Carlos da Rocha, o ‘Cabeça Branca’, está preso na Penitenciária Federal de Catanduvas, no Paraná

Os bens de Luiz Carlos da Rocha, o ‘Cabeça Branca’, considerado por anos o maior traficante da América Latina (preso em julho no Mato Grosso), vão a leilão na próxima terça-feira (19), às 10h, em Curitiba.

A Justiça Federal autorizou a alienação judicial por meio do site do leiloeiro público oficial, Guilherme Toporoski, e a arrecadação estimada pode chegar em R$ 300 mil.

Entre as mercadorias estão carros de luxo como uma Mercedes Benz CLA, uma moto Kawasaki Z800, mais de 30 garrafas de vinhos com preços avaliados entre mil e 15 mil reais, uísques de edições especiais e bolsas das marcas Prada Milano, Salvatore Ferragamo e Louis Vuitton.

Mercedes-Benz CLA é um dos itens do leilão. (Imagem ilustrativa)

Para participar, os interessados deverão ofertar lances exclusivamente pela internet no site Topo Leilões, desde que previamente cadastrados no prazo de até 24 horas antes do início da data agendada. Os bens serão entregues livres e sem ônus, inclusive os de natureza fiscal.

No leilão serão aceitos lances de valor igual ou superior à avaliação dos produtos. Caso alguns itens não sejam vendidos, ocorrerá um segundo leilão no dia 26 de setembro, também às 10h, e os lances poderão ser de valores iguais ou superiores a 80% do valor de avaliação.

A lista completa de todos os objetos do leilão pode ser vista no site do leiloeiro oficial, definido pela 23ª Vara Federal de Curitiba.

‘CABEÇA BRANCA’
Cabeça branca, dono de um patrimônio avaliado em pelo menos R$ 325 milhões de reais, esteve no topo da lista dos criminosos mais procurados do país por mais de três décadas.

Sozinho, ele era responsável por abastecer mensalmente com pelo menos cinco toneladas de cocaína, de alto grau de pureza, países na Europa, na África e nos Estados Unidos.

Considerado pela Polícia Federal como um grande empresário do narcotráfico e chamado de ‘Pablo Escobar brasileiro’, agora está preso na Penitenciária Federal de Catanduvas, no Paraná. Sua história é contada no livro “Cocaína, a rota caipira”, do jornalista e escritor Allan Abreu.

SERVIÇO
Site: https://topoleiloes.com.br/

1º Leilão
Dia: 19/09/2017
Hora: 10h
Lance: Igual ou superior ao valor da avaliação

2º Leilão
Dia: 26/09/2017
Hora: 10h
Lance: Igual ou superior a 80% do valor da avaliação

2 Comentários

Deixe seu comentário!

Paraná

Estado recebe mais 213.480 vacinas para crianças e adolescentes

Distribuição para as Regionais de Saúde acontece nesta quarta-feira

Publicado

no

Por

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) recebeu na noite desta terça-feira (25/01) mais 213.480 vacinas contra a Covid-19, exclusivas para crianças e adolescentes. Do total são:

  • 118.280 da CoronaVac para a faixa etária de 6 a 17 anos (não imunocomprometidos),
  • 95.200 da Pfizer/BioNTech destinadas às crianças de 5 a 11 anos.

Assim que chegaram, os imunizantes foram encaminhados ao Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), para conferência e armazenamento. A distribuição para as Regionais de Saúde acontece nesta quarta-feira (26/01).

Essa é a primeira remessa da vacina CoronaVac que o Paraná recebe para a imunização do público infantil. Anteriormente, apenas a vacina pediátrica da Pfizer estava autorizada a ser aplicada nos jovens e crianças.

Somente em 21 de janeiro o imunizante foi incluído no Programa Nacional de Imunizações (PNI). Uma das diferenças entre os dois é a idade recomendada.

“Tivemos essa mudança da faixa etária. Enquanto a Pfizer se inicia aos 5 anos de idade, a CoronaVac é aos 6 anos, se estendo até aos 17, desde que não sejam imunocomprometidos. Ainda hoje, nesta quarta, essas doses chegarão aos municípios”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

VACINAÇÃO – O Paraná já aplicou 9,1 milhões de primeiras doses e 8,3 milhões de pessoas já estão com o ciclo completo. 1,9 milhão de pessoas já tomaram a dose de reforço.

Com informações da AEN
Continuar Lendo

Paraná

Polícia Civil inicia segunda fase da Operação Verão no Litoral

Efetivo regular em atuação na Região é reforçado com mais 172 policiais civis.

Publicado

no

Por

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) iniciou neste domingo (23/01) a segunda fase da Operação Verão no Litoral. Nesta nova etapa houve a mudança de equipes que irão atuar nas unidades até o dia 7 de março. Os policiais que participaram da primeira fase fizeram seu último plantão no sábado (22).

A PCPR divide sua atuação na Operação Verão em duas fases para dar oportunidade de mais policiais civis participarem dos trabalhos.

Assim é reforçada a presença policial nessa época de veraneio, com o efetivo sempre motivado.

O delegado e coordenador da Operação Verão, Gil Tesserolli, diz que o objetivo é manter o planejamento, já que a atuação tem sido exitosa.

“Os trabalhos têm fluído com bastante presteza e pretendemos manter a linha de atuação agora na segunda fase. Cremos que vamos, se não melhorar, manter o nível dos trabalhos da primeira fase”, diz o delegado.

Nesta segunda fase, o efetivo regular em atuação no Litoral é reforçado com mais 172 policiais civis, entre delegados, escrivães, investigadores e papiloscopistas.

Durante a manhã deste domingo, a equipe que assumiu o plantão recebeu orientações sobre o processo e o fluxo dos trabalhos durante a Operação Verão. Essa e outras medidas visam manter o elevado padrão dos trabalhos realizados pela PCPR na primeira fase.

Os policiais civis atuarão nos municípios de Matinhos, Guaratuba, Pontal do Paraná, Antonina e Morretes.

Além das atividades gerais de polícia judiciária, a atuação no Litoral conta com o reforço de Operações Aéreas com helicóptero, Operações Policiais Especiais, policiais especializados em investigações de desaparecimentos e crimes contra crianças, além da atuação com Delegacia Móvel e mutirões para confecção de carteiras de identidade.

Da AEN
Continuar Lendo

Paraná

Sesa capacita profissionais do Litoral para operações do Sistema de Regulação de Leitos

Como medida de auxílio aos municípios da 1ª Regional de Saúde devido ao aumento de casos de Covid-19 e H3N2.

Publicado

no

Por

Nesta semana, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) realizou um treinamento presencial com servidores da saúde do município de Paranaguá, visando instruir os profissionais para operarem o Sistema Estadual de Regulação de Leitos. A capacitação é uma medida de auxílio aos municípios da 1ª Regional de Saúde devido ao aumento de casos de Covid-19 e H3N2 desde o início do ano.

O curso, que também está disponível em formato digital no Ambiente Virtual de Aprendizagem do Sistema Único de Saúde (AVASUS), foi ministrado por três técnicos da Sesa nos dias 18 e 19 e teve como finalidade treinar os profissionais para operarem o sistema de maneira ainda mais qualificada.

No início deste mês, o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, recebeu os prefeitos da 1ª RS para discutir sobre ações de apoio à região.

“A Sesa reconhece a importância da capacitação dos profissionais de saúde. Neste início do ano, os municípios do Litoral têm sentido maior pressão nos serviços de saúde. Por isso, após diálogo com os prefeitos, tomamos a decisão de ofertar esse curso para expandir ainda mais a qualificação dos servidores e dos serviços como um todo”, afirmou o secretário.

Foram capacitados cinco médicos e oito enfermeiros das UPAs, três técnicos do Litoral, um técnico de enfermagem e um administrador hospitalar.

Nota conjunta sobre a vacinação de crianças e adolescentes

Sobre a informação de que crianças e adolescentes foram imunizados em desacordo com a vacina autorizada pela Anvisa, a Sesa e o Cosems entendem a necessidade de uma verificação mais apurada e sóbria acerca dos dados no sistema do Ministério da Saúde (MS), que sofreu instabilidade nas últimas semanas, o que pode impactar a informação, assim como possíveis erros na alimentação de dados. Tal medida já está sendo analisada pelas equipes técnicas.

O Estado do Paraná tem expertise comprovada e eficiência histórica na vacinação, fruto de um trabalho comprometido de vacinadoras e vacinadores nos 399 municípios ao longo dos anos.

Da mesma forma, a Sesa também vai responder aos questionamentos do Supremo Tribunal Federal sobre a demanda da Advocacia Geral da União (AGU) nas ADPFs 754 e 756, dentro do prazo previsto.

A Sesa e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná (Cosems) reafirmam a importância da campanha de vacinação dos paranaenses contra a Covid-19.

Da Sesa
Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.