Ligue-se a nós

Notícias

Saúde confirma 192 novos casos de Covid-19 no Litoral do Paraná

Números estão no informe epidemiológico desta quarta-feira (30/12)

Publicado

no

A Secretaria do Estado da Saúde (Sesa) confirmou mais 192 casos de Covid-19 no Litoral do Paraná. Os números estão no informe epidemiológico desta quarta-feira (30/12).

Os novos casos ocorreram em Paranaguá (137); Matinhos (37); Guaratuba (17) e Antonina (1). A região litorânea acumula 13.282 casos e 269 óbitos desde o início da pandemia do novo coronavírus.

CASOS POR CIDADE – Em Paranaguá, 7.664 pessoas foram infectadas pela Covid-19. Em Guaratuba, 1.416; em Antonina, 1.130; em Pontal do Paraná, 1.047; em Morretes, 1.028; em Matinhos, 829 e em Guaraqueçaba, 168.

ÓBITOS – 269 pessoas já morreram pela infecção causada pelo novo coronavírus: 129 em Paranaguá; 34 em Guaratuba; 32 em Antonina; 27 em Matinhos; 22 em Pontal; 21 em Morretes e 4 em Guaraqueçaba.

RECUPERADOS – 9.048 litorâneos já teriam se recuperado da infecção, de acordo com a Sesa. Paranaguá (4.606); Guaratuba (1.150); Antonina (999); Morretes (828); Matinhos (662); Pontal (658) e Guaraqueçaba (145).

O Paraná soma 409.499 casos confirmados e 7.824 mortos em decorrência da doença.

VEJA AQUI o informe completo da Sesa.

Deixe seu comentário!

Notícias

Saúde registra 163 casos confirmados de dengue no Litoral

Paraná acumula 1.946 casos da doença desde agosto de 2020

Publicado

no

Por

O boletim semanal da Dengue, publicado nesta terça (26), pela Secretaria de Estado da Saúde (SESA), registra 1.946 casos confirmados da doença no Paraná. São 139 casos a mais que o informe anterior, que apresentava 1.807 confirmações.

Os dados são referentes ao atual período epidemiológico, iniciado em agosto de 2020 e que vai até o final de junho de 2021.

“A dengue continua sendo uma das prioridades da Secretaria da Saúde, que segue dando apoio técnico às suas 22 Regionais e às equipes de Vigilância Ambiental dos municípios paranaenses. Nossos profissionais monitoram diariamente as ocorrências e estão à disposição das cidades para orientações em relação ao enfrentamento da doença”, disse o secretário Beto Preto.

Comparando o total de casos desta semana com o mesmo período do ano passado houve uma redução significativa. Em janeiro de 2020 a semana epidemiológica somava 7.618 confirmações e nesta semana o Estado totaliza 1.946.

“Vários fatores estão influenciando nesta redução. O trabalho constante de orientação junto à população é um deles, mas neste momento de pandemia, acreditamos que as pessoas têm procurado os serviços de saúde com menor frequência e os casos acabam não sendo registrados. Para a Saúde Pública isso é preocupante, porque a doença pode evoluir e se agravar sem que o paciente receba assistência”, disse a coordenadora de Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde, Ivana Belmonte.

Segundo ela, apesar da redução no número de casos, a taxa de letalidade da doença aumentou neste período, o que significa que os casos registrados atualmente são mais graves.

“No mesmo período no ano passado o boletim estadual trazia dois óbitos, hoje soma seis óbitos. A taxa de letalidade saltou de 0,81 para 11,32”, explicou a coordenadora.

O boletim semanal apresenta 14 municípios com casos de Dengue com sinais de alarme e seis municípios com casos de dengue grave. São 23.043 notificações para a dengue abrangendo 329 municípios.

RECOMENDAÇÃO – “Nossa recomendação é para que as pessoas sintomáticas busquem o apoio dos serviços de saúde e, principalmente, para que a população não baixe a guarda em relação aos cuidados preventivos, eliminando os locais e recipientes que acumulem água parada nos quintais e ambientes internos das residências”, afirma.

BOLETIM DA DENGUE

O Litoral do Paraná tem 163 casos confirmados de dengue: 161 em Paranaguá, 1 em Guaratuba e 1 em Matinhos.

CASOS POR CIDADE

ZIKA E CHIKUNGUNYA

Da AEN
Continuar Lendo

Notícias

Paraná recebe comitiva do Pará e trabalha na elucidação de tragédia na BR-376

Profissionais devem chegar na tarde desta terça-feira em Curitiba

Publicado

no

Por

Instituições vinculadas à Secretaria da Segurança Pública do Paraná trabalham integradas para dar atendimento e suporte e para esclarecer o acidente com ônibus, ocorrido na manhã de segunda-feira (25/01), na BR 376, km 668+10, sentido sul, em Guaratuba, litoral do Paraná.

Neste sentido, a Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná (SESP) está em tratativas com o Governo do Pará para alinhar questões referentes ao acidente.

Nesta terça-feira (26/01), o Paraná vai receber uma comitiva vinda daquele estado composta por um médico, um perito, um bombeiro, um delegado de Polícia Civil e um major da Polícia Militar. Os profissionais devem chegar na parte da tarde em Curitiba.

“A nossa secretaria de segurança está trabalhando com a secretaria daquele estado para que a solução deste caso se dê o mais breve possível, nosso esforço está sendo total para diminuir o sofrimento destas famílias neste momento de dor, gerada por esta grande tragédia”, explica o secretário paranaense, Romulo Marinho Soares.

Segundo informações daquele estado, o proprietário da empresa também já está vindo ao Paraná, para fazer as tratativas com a seguradora, a fim de providenciar o translado dos corpos. Além disso, conforme informado, aquele governo está fazendo a contratação de uma aeronave para levar os corpos para o estado do Pará.

“Este trabalho está sendo em conjunto com nossa Polícia Científica, e com todas as diretrizes e respeito necessários”, acrescentou o secretário.

POLÍCIA CIENTÍFICA – Quando um acidente desta magnitude ocorre, a Polícia Científica do Paraná aciona a Comissão Permanente de Identificação de Vítimas de Desastres (DVI), cuja presidente é a perita Viviane Paola Zibe e Piegel para realizar o protocolo internacional de identificação das vítimas.

Neste caso em particular, foram enviados sete peritos criminais para o local a fim de periciar tanto o acidente quanto atuar na preservação dos vestígios para auxiliar a identificação de todos os envolvidos.

“Nossa participação foi para recolher dados que vão subsidiar na identificação das vítimas deste desastre. Conseguimos conversar com o pessoal da PRF e do Corpo de Bombeiros para ver para onde foram as vítimas vivas, para quais hospitais. Agora estamos trabalhando na confirmação dos nomes. No local, também organizamos a ida dos rabecões para Curitiba”, descreveu a presidente.

“A perícia verificou também as condições da pista e da sinalização naquele local e começou a reconstruir a dinâmica desta ocorrência”, completou o perito oficial e Coordenador das ações da Polícia Científica no Verão Consciente, Alex Tavares.

O Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba realizou todas as dezenove necropsias até o fim da tarde. Do total de corpos, dez são masculinos e nove femininos (três menores de 18 anos).

“De todos, quinze já foram identificados, todos por papiloscopia e, por respeito às famílias das vítimas, a Polícia Científica do Paraná vai fornecer a identidade dos óbitos aos familiares e ao Governo do Pará. Conforme o protocolo de DVI, estamos entrando em contato com as famílias e alguns até já fizeram o reconhecimento de seus entes”, explica a Dra. Viviane.

POLÍCIA CIVIL – A Polícia Civil também está atuando nos trabalhos. De acordo com o Delegado plantonista de Guaratuba, Cristiano Quintas, as investigações continuam e será instaurado um inquérito policial a cargo da Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba (DEDETRAN).

“Foi determinada que a DEDETRAN fizesse o inquérito policial, até mesmo em razão dos corpos das vítimas estarem sendo removidos para o IML de Curitiba”, disse.

O delegado também falou que já ouviu o motorista do ônibus.

“O motorista não apresentava sinais de embriaguez, e relatou que teria detectado um problema nos freios, ao entrar em uma curva, mas não conseguiu entrar em nenhuma área de escape, bateu no guard rail, tombou e caiu em um desfiladeiro”, explica o delegado. Ainda segundo ele, serão ouvidas testemunhas e vítimas sobreviventes para apurar o trágico acidente ocorrido na manhã de segunda-feira.

ATENDIMENTO ÀS VÍTIMAS – Desde os primeiros momentos equipes do Corpo de Bombeiros, da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Militar e do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), trabalharam incansavelmente no socorro das vítimas e na localização dos corpos.

A Polícia Civil e a Polícia Científica também foram acionados para os serviços de polícia judiciária e perícia, respectivamente.

De acordo com a tenente do Corpo de Bombeiros, Ana Paula Inácio de Oliveira Zanlorenzzi, o trabalho das equipes teve foco no atendimento às vítimas que estavam no local.

“Todas as vítimas foram atendidas pelo protocolo de Sistema de Comando de Incidentes (SCI) e foram triadas de acordo com a gravidade de seus ferimentos e lesões”, explicou. “Os trabalhos de identificação das possíveis causas e do que poderia ter ocasionado estão sendo verificados pelos órgãos competentes”, completou.

Todas as vítimas foram encaminhas para hospitais da região. As vítimas em estado mais grave foram encaminhadas, via aeronave do BPMOA, para o Hospital Cajuru, em Curitiba e, também, para o Hospital São José, em Joinville.

Já as vítimas leves e moderadas foram encaminhadas, por ambulâncias, a hospitais em Garuva e Joinville, no Estado de Santa Catarina. Também houve apoio de uma aeronave de Santa Catarina no transporte.

O tenente Henrique Arendt Neto, do BPMOA, conta que além dos transportes de vítimas, a aeronave também serviu para levar uma equipe especializada ao local.

“Levamos uma equipe do Grupo de Operações de Socorro Tático – GOST junto com o canil, com cão especializado em busca de vítimas, para localizar aquelas que pudessem ter sido ejetadas do ônibus para a área de mata, por exemplo”, esclareceu.

O Corpo de Bombeiros utilizou caminhões de combate a incêndio e resgate, ambulâncias e viaturas de busca e salvamento, além de duas aeronaves do BPMOA.

Também prestaram apoio, de forma integrada com o Governo do Paraná, viaturas da Concessionária Litoral Sul; Polícia Rodoviária Federal (PRF); aeronaves Águia de Santa Catarina; viaturas do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina; Polícia Militar de Santa Catarina e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

De acordo com informações preliminares, o ônibus saiu na sexta-feira (23/01) do Estado do Pará, no Norte do Brasil, com destino ao litoral de Santa Catarina, o qual tinha previsão de chegada nesta segunda-feira (25/01), por volta das 12 horas. No entanto, próximo às 8h30, ocorreu o acidente, próximo à Curva da Santa.

Continuar Lendo

Notícias

Covid-19: Secretaria de Saúde do Paraná alerta sobre variante mais transmissível

Nova variante já identificada em Manaus possui duas mutações

Publicado

no

Por

A Secretaria de Saúde do Paraná (Sesa) divulgou nesta segunda-feira (25), um alerta sobre a nova variante da Covid-19, que de acordo com pesquisas é mais transmissível. Segundo a Anvisa, a identificação de nova variante se deu por meio de sequenciamento genômico viral, após ser observado aumento de mais de três vezes na taxa de notificação de casos no Reino Unido, em uma única semana, no mês de dezembro.

Resultados preliminares de estudos sugerem que a variante é significativamente mais transmissível, com um aumento estimado de até 70%.

A Nota Orientativa nº 01/2021, que especifica procedimentos relacionados ao novo coronavírus, informa que “devido ao alto poder de transmissão da variante, ressalta-se a importância das medidas de controle e prevenção da disseminação do vírus já estabelecidas, destacando a quarentena para pessoas procedentes de locais de risco”.

A Nota Orientativa apresenta medidas para prevenção da disseminação de variantes do SARS-CoV-2; são recomendações aprovadas pelo Centro de Operações de Emergências (COE da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) com o objetivo de informar profissionais sobre estas ocorrências.

Especial atenção deve ser dada à investigação clínica de pacientes suspeitos de Covid-19, com histórico de viagem ao exterior e/ou ao território nacional nos últimos 14 dias.

A nova variante já identificada em Manaus possui duas mutações. Outras variantes também foram identificadas na África do Sul e na cidade do Rio de Janeiro.

“O Paraná está atento a estes casos, alertando e orientando os profissionais que atuam na área da saúde, principalmente em relação à busca de informações sobre procedência do paciente que busca os serviços de saúde; são dados fundamentais e que devem constar na ficha de investigação epidemiológica dos Sistemas de Informação Notifica Covid-19”, informou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Assim que o paciente é identificado como vindo de áreas onde a variante está circulando deve ser encaminhado para coleta de amostras, que são feitas separadamente e enviadas ao Laboratório da Fiocruz, no Rio de Janeiro.

Prevenção – Além de orientar sobre a investigação, a Nota Orientativa trata também das medidas de prevenção e controle da disseminação da variante genética do SARS-CoV-2, indicando condutas a serem tomadas junto a pacientes sintomáticos, assintomáticos, hospitalizados com Síndrome Respiratória Aguda Grave, contatos domiciliares e contatos próximos.

O documento ressalta ainda orientações relacionadas à prevenção que devem ser adotadas nos ambientes de trabalho. De acordo com a Nota, as empresas devem “monitorar, diariamente, a condição de saúde dos trabalhadores que se deslocam para áreas consideradas de risco para a circulação da variante”.

“As empresas devem ter protocolo para testagem e isolamento de todos os trabalhadores e visitantes viajantes brasileiros ou estrangeiros que retornarão à empresa. Estes devem apresentar teste RT-PCR negativo antes de voltar ao trabalho”.

Fonte: Sesa
Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.