Ligue-se a nós

Notícias

Preso em Guaratuba suspeito de matar menina de 14 anos

PRISÃO OCORREU NO BAIRRO COHAPAR DURANTE PATRULHAMENTO DA PM

Publicado

no

PMs chegaram até Adelson graças à informação da própria vítima

Agora Litoral
A Polícia Militar de Guaratuba, no litoral paranaense, prendeu, na noite de sábado (24) Adelson Gonçalves Rosa, de 19 anos. Ele é suspeito de ter assassinado a tiros Mariana Estival Bueno da Silva, de 14 anos, na noite de quinta-feira (22), no bairro Carvoeiro.

Os policiais chegaram até Adelson graças à informação da adolescente que, antes de morrer, falou para a soldado Maria Mendes e ao soldado Cabral que os disparos que lhe atingiram haviam sido feitos por Adelson.

A prisão de Adelson Mendes ocorreu durante patrulhamento da PM pelo bairro Cohabar. Os PMs avistaram um homem em atitude suspeita, que, ao ver a equipe, tentou fugir, mas foi alcançado poucos metros após a tentativa.

Adelson reagiu à abordagem policial e, após algemado, começou a gritar no meio da rua dizendo que os policiais iriam implantar droga nele e levá-lo “para a quebrada” para agredi-lo.

Nesse momento, segundo informações da Polícia Militar, chegou ao local o pai de Adelson e foi informado pela equipe que o filho dele seria levado à Delegacia de Polícia Civil e que ele poderia se deslocar até o local.

CONFISSÃO

Ainda de acordo com os PMs, durante o deslocamento até a DP, foi perguntado a Adelson o motivo pelo qual ele teria atirado contra Mariana, e o mesmo teria informado que a jovem havia lhe roubado e que teria decidido cobrar tirando a vida da adolescente.

Ao chegar à Delegacia de Polícia, segundo relato dos PMs que atenderam a ocorrência, Adelson Gonçalves Rosa teria dito à equipe que eles estariam “perdendo tempo” e que “amanhã mesmo” já estaria na rua.

NOTÍCIA RELACIONADA

Adolescente de 14 anos morta a tiros em Guaratuba

Anúncio
Clique para comentar

Deixe um comentário!

Notícias

Testes rápidos auxiliam no cuidado à saúde parnanguara

Paciente recebe o resultado em até 30 minutos

Publicado

no

Por

Para HIV/Aids, Sífilis e Hepatites B e C

Uma preocupação constante em todo o país é o número de casos de HIV/Aids, sífilis e hepatites B e C. Em Paranaguá essa realidade não é diferente. A desinformação e a falta de diagnóstico são inimigos do tratamento e da cura de muitas doenças.

A Prefeitura de Paranaguá por meio da Secretaria Municipal de Saúde realiza a conscientização da população com ações, campanhas e orientações repassadas nas unidades de saúde para que as pessoas procurem o Centro Municipal de Diagnóstico e realizem o teste rápido para HIV/Aids, sífilis e hepatites B e C.

Os exames são gratuitos e o resultado é apresentado em até 30 minutos. As unidades básicas também realizam o exame.

“Com relação ao HIV percebemos que ocorreu uma redução de novos casos em comparativo com anos anteriores. Paranaguá já esteve no ranking como uma das primeiras cidades no Brasil em casos da doença e hoje nos encontramos na 52ª posição nacional. É uma vitória alcançada em decorrência do trabalho árduo realizado diariamente”, destaca a psicóloga Cláudia Michelon, do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), responsável pela detecção e tratamento de pacientes com HIV/Aids em Paranaguá,
Sífilis
Por outro lado, a profissional destaca que há uma grande preocupação com o crescente número de casos de sífilis. “Aqui em Paranaguá temos um índice alto, inclusive em novembro tivemos 18 novos casos diagnosticados”, lamenta.

O CTA tem um trabalho importante que vai além do diagnóstico com uma equipe de profissionais que trabalha no atendimento com o teste, aconselhamento e a acolhida da pessoa que procura pelo serviço.

“Convidamos a todos para que venham fazer o teste, basta trazer um documento de identificação com foto. Não precisa ter encaminhamento é só vir e fazer”, garante a psicóloga.

Nos casos de resultado positivo para HIV, hepatites B e C, o paciente é tratado no próprio Hospital João Paulo. Já nos casos de sífilis, a pessoa passa por um exame confirmatório e, em seguida, é encaminhada a uma unidade básica de saúde para o tratamento da doença.
Hepatites B e C
As hepatites B e C também preocupam, mas uma novidade está sendo comemorada. “As duas têm tratamento, mas agora a hepatite C tem cura e isso é fantástico, uma importante evolução para os pacientes com essa doença. É um tratamento caro, mas custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e tem duração de três meses. Claro que não adianta ter o tratamento se a pessoa não fizer o diagnóstico para iniciá-lo; por isso reforçamos que a população deve nos procurar para fazer os exames”, salienta Cláudia.

Atualmente, a hepatite C tem o maior número de notificações dentre todas as hepatites. Em 2017, a taxa de incidência foi de 11,9 casos para cada 100 mil habitantes.

São mais de um milhão de pessoas que tiveram contato com o vírus do tipo C, o que representa 0,71% da população brasileira.

A Hepatite B é um dos cinco tipos de hepatite existentes no Brasil. É causada por vírus. Em 2018, foi responsável por 13.922 (32,8%) dos casos de hepatites notificados no Brasil.

Equipe da Saúde

Da PMP
Continuar Lendo

Notícias

Porto de Paranaguá recebe navio de passageiros no domingo

Transatlântico é o primeiro a atracar na cidade após três anos

Publicado

no

Por

MS Hamburg

O Porto de Paranaguá volta a entrar na rota dos navios de passageiros que cruzam a costa brasileira no verão. Após três anos sem o atracamento de transatlânticos, o litoral paranaense recebe o MS Hamburg no próximo domingo (15). A embarcação com bandeira das Bahamas é operada por uma companhia alemã e trará 244 passageiros, a maioria europeus, além de 168 tripulantes

De acordo com o diretor de Relações Empresariais da Portos do Paraná, André Pioli, a vinda do navio vai fomentar ainda mais o turismo e o desenvolvimento sustentável da região. “Temos a missão de ir em busca, de conversar com as empresas que fazem os roteiros dos navios de passageiros e trazê-los para a Baía de Paranaguá”, destaca.

Pioli adianta que existe a perspectiva de que mais navios possam atracar nos portos de Antonina e Paranaguá. “Isso gera emprego e renda. O turista gasta nos nossos hotéis, restaurantes, lojas e artesanato. Esse dinheiro gera emprego para a nossa população”.

O prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, avalia que o momento é de apresentar as belezas da cidade. “Queremos mostrar aos turistas nossa baía, os atrativos culturais e históricos”.

A equipe da Paraná Turismo, vinculada à Secretaria de Estado do Esporte e do Turismo, também participará da recepção. Nesta semana, equipes percorrem as sete cidades do Litoral do Estado para fazer uma série de palestras.

Segundo o diretor-presidente João Jacob Mehl, o objetivo é capacitar os comerciantes, ambulantes e empresários locais para o período de intenso movimento e fluxo de turistas a partir dos próximos dias, pensando também nas férias de verão.

PROGRAMAÇÃO – O MS Hamburg deve entrar na Baía de Paranaguá por volta das 5 horas, mas todo o processo de aproximação e atracação deve durar em torno de duas horas. Os primeiros desembarques devem ocorrer por volta das 7h30.

No cais do Porto de Paranaguá, onde o navio será atracado, um receptivo estará montado para que os turistas sejam atendidos com informações, enquanto aguardam o transporte para os passeios na região.

A recepção contará com um grupo de fandango, com músicas e danças tradicionais da região, guias bilíngues e materiais gráficos com informações turísticas. Toda a operação terá apoio da Guarda Portuária.

“Nós iremos auxiliar com o isolamento do local para proporcionar a melhor recepção, estadia e visitação desses turistas no litoral do Estado”, disse o chefe da Guarda Portuária, César Kamakawa.

A Guarda Municipal de Paranaguá, a Polícia Militar e a Polícia Federal também darão suporte na área externa do porto.

Um grupo de passageiros irá até Curitiba. Os demais podem aproveitar para conhecer Paranaguá ou optar por ficar a bordo. Toda a estrutura vai ser montada para que os visitantes desçam até a faixa portuária e já embarquem em ônibus ou vans para o passeio em terra.

O regresso está previsto para as 17 horas. O navio zarpa em direção ao Porto de Itajaí por volta das 19 horas.

Enquanto recebe o MS Hamburg, as demais operações no Porto de Paranaguá não param. “O Porto continua operando outros tipos de carga, sem prejuízo nenhum, mas existe no regulamento de operação e atracação do porto que um determinado berço tem prioridade para navio de passageiros, e esse berço estrategicamente é colocado bem na saída do porto”, explica o diretor de Operações Portuárias, Luiz Teixeira Júnior.

HISTÓRICO – De 1998 a 2012, houve 45 paradas turísticas (paradas técnicas) no Porto de Paranaguá. Em 2013, quatro navios escalaram em Paranaguá, trazendo cerca de 3,6 mil passageiros. Em 2014, o número foi praticamente o mesmo. Na temporada 2014-2015, mais de 8 mil turistas passaram pelo Porto de Paranaguá.

O último navio de passageiros foi o MS Midnatsol, em outubro de 2016, com 150 pessoas a bordo.

Da AEN
Continuar Lendo

Notícias

Paraná tem 2.631 casos de dengue e 10 municípios em epidemia

Dados estão no Boletim da Saúde divulgado nesta terça-feira

Publicado

no

Por

O boletim semanal epidemiológico divulgado nesta terça-feira (10) pela Secretaria da Saúde do Paraná registra 2.631 casos confirmados de dengue no Estado, 762 a mais que na semana anterior.

A Secretaria da Saúde informa que o aumento de 40,77% se deve, principalmente, ao acúmulo de dados de duas semanas por problemas no sistema de informação de algumas Regionais de Saúde.

“É um número preocupante, muitas cidades vivem epidemia de dengue e só com a participação da população vamos reduzir estes casos”, diz o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Ele destaca que o Governo do Estado faz uma grande campanha de orientação e prevenção, além de atividades como palestras informativas e ações de campo em busca de criadouros em todos os municípios.

“Dengue é uma preocupação latente, crônica. Temos que nos unir. O problema não é do vizinho do lado, ou da frente ou do dono do terreno baldio. O problema é de todos nós. Somente os agentes de combate às endemias distribuídos nos 399 municípios do Estado não conseguem fazer o trabalho de eliminação do criadouros do mosquito Aedes aegypti”, alerta o secretário.

“É preciso eliminar todos os criadouros do mosquito identificados no quintal de casa, no nosso vizinho, no terreno vazio, dentro da repartição pública, da escola, comércio, restaurante. O mosquito não escolhe uma localização específica. Está onde haja pouco acúmulo de água e ele possa fazer a deposição dos ovos”, reforça.

MORTE – A Secretaria da Saúde aguarda para a publicação em boletim a confirmação do segundo caso de morte por dengue no município de Nova Cantu, na região Centro-Oeste.

Uma força tarefa com profissionais da Vigilância da Secretaria da Saúde de Nova Cantu e de municípios vizinhos realiza busca ativa de criadouros.

A cidade, com cerca de 7 mil habitantes, tem 283 casos confirmados de dengue. A operação reforça a orientação sobre a limpeza de casa em casa para a eliminação dos focos.

Muitos criadouros estão sendo encontrados em fossas e poços desativados, locais que acumulam água parada e, consequentemente, se transformam em grandes criadouros de mosquito.

“No último fim de semana estivemos em Nova Cantu, onde a situação de epidemia é grave, e nos reunimos com o prefeito José Carlos Gomes e servidores, para planejar ações concentradas em forma de mutirão e de conscientização sobre a prevenção em toda a cidade. Ressaltamos que o problema só será resolvido com o envolvimento de todos os moradores removendo os criadouros do mosquito da dengue”, disse Beto Preto.

A Secretaria da Saúde destaca em Nota Técnica( 07/CVIA/DAV) que a utilização de produtos químicos para eliminação do mosquito não é recomendada pelo Ministério da Saúde. O vetor apresenta resistência aos produtos que vinham sendo utilizados e a aplicação fora da recomendação pode provocar danos saúde humana, animal e ao meio ambiente.

DADOS – O boletim semanal destaca que 10 municípios estão em situação de epidemia – dois a mais que no informativo anterior. São eles: Nova Cantu, Quinta do Sol, Inajá, Santa Isabel do Ivaí, Ângulo, Colorado, Floraí, Uniflor, Doutor Camargo e Florestópolis.

A lista de municípios em situação de alerta também aumentou: eram 10 e agora são 14: Lindoeste, Juranda, Douradina, Cianorte, Indianópolis, São Carlos do Ivaí, Flórida, Munhoz de Mello, Leópolis, Uraí, Jesuítas, Diamante do Norte, Paranacity e Sertaneja.

Dois municípios apresentam casos de Dengue Grave, a forma mais complicada da doença, e que normalmente atinge pessoas portadoras de outras comorbidades. São: Nova Cantu, com dois casos, e Foz do Iguaçu, com outros dois casos.

Além disso, outros 13 municípios apresentam 37 casos de Dengue com Sinais de Alerta, indicando que podem evoluir para casos de maior gravidade. Estão nesta lista os municípios de Foz do Iguaçu, Medianeira, São Miguel do Iguaçu, Cascavel, Nova Cantu, Quinta do Sol, Douradina, Santa Isabel do Ivaí, Floraí, Florestópolis, Guaraci, Ibiporã e Londrina.

NOTIFICAÇÕES – O boletim semanal registra 14.608 notificações para a dengue no Paraná. O monitoramento de dados compreende o período de 28 de julho a 06 de dezembro de 2019.

Da AEN
Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.