Ligue-se a nós

Notícias

Porto de Paranaguá recebe navio de passageiros no domingo

Transatlântico é o primeiro a atracar na cidade após três anos

Publicado

no

MS Hamburg

O Porto de Paranaguá volta a entrar na rota dos navios de passageiros que cruzam a costa brasileira no verão. Após três anos sem o atracamento de transatlânticos, o litoral paranaense recebe o MS Hamburg no próximo domingo (15). A embarcação com bandeira das Bahamas é operada por uma companhia alemã e trará 244 passageiros, a maioria europeus, além de 168 tripulantes

De acordo com o diretor de Relações Empresariais da Portos do Paraná, André Pioli, a vinda do navio vai fomentar ainda mais o turismo e o desenvolvimento sustentável da região. “Temos a missão de ir em busca, de conversar com as empresas que fazem os roteiros dos navios de passageiros e trazê-los para a Baía de Paranaguá”, destaca.

Pioli adianta que existe a perspectiva de que mais navios possam atracar nos portos de Antonina e Paranaguá. “Isso gera emprego e renda. O turista gasta nos nossos hotéis, restaurantes, lojas e artesanato. Esse dinheiro gera emprego para a nossa população”.

O prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, avalia que o momento é de apresentar as belezas da cidade. “Queremos mostrar aos turistas nossa baía, os atrativos culturais e históricos”.

A equipe da Paraná Turismo, vinculada à Secretaria de Estado do Esporte e do Turismo, também participará da recepção. Nesta semana, equipes percorrem as sete cidades do Litoral do Estado para fazer uma série de palestras.

Segundo o diretor-presidente João Jacob Mehl, o objetivo é capacitar os comerciantes, ambulantes e empresários locais para o período de intenso movimento e fluxo de turistas a partir dos próximos dias, pensando também nas férias de verão.

PROGRAMAÇÃO – O MS Hamburg deve entrar na Baía de Paranaguá por volta das 5 horas, mas todo o processo de aproximação e atracação deve durar em torno de duas horas. Os primeiros desembarques devem ocorrer por volta das 7h30.

No cais do Porto de Paranaguá, onde o navio será atracado, um receptivo estará montado para que os turistas sejam atendidos com informações, enquanto aguardam o transporte para os passeios na região.

A recepção contará com um grupo de fandango, com músicas e danças tradicionais da região, guias bilíngues e materiais gráficos com informações turísticas. Toda a operação terá apoio da Guarda Portuária.

“Nós iremos auxiliar com o isolamento do local para proporcionar a melhor recepção, estadia e visitação desses turistas no litoral do Estado”, disse o chefe da Guarda Portuária, César Kamakawa.

A Guarda Municipal de Paranaguá, a Polícia Militar e a Polícia Federal também darão suporte na área externa do porto.

Um grupo de passageiros irá até Curitiba. Os demais podem aproveitar para conhecer Paranaguá ou optar por ficar a bordo. Toda a estrutura vai ser montada para que os visitantes desçam até a faixa portuária e já embarquem em ônibus ou vans para o passeio em terra.

O regresso está previsto para as 17 horas. O navio zarpa em direção ao Porto de Itajaí por volta das 19 horas.

Enquanto recebe o MS Hamburg, as demais operações no Porto de Paranaguá não param. “O Porto continua operando outros tipos de carga, sem prejuízo nenhum, mas existe no regulamento de operação e atracação do porto que um determinado berço tem prioridade para navio de passageiros, e esse berço estrategicamente é colocado bem na saída do porto”, explica o diretor de Operações Portuárias, Luiz Teixeira Júnior.

HISTÓRICO – De 1998 a 2012, houve 45 paradas turísticas (paradas técnicas) no Porto de Paranaguá. Em 2013, quatro navios escalaram em Paranaguá, trazendo cerca de 3,6 mil passageiros. Em 2014, o número foi praticamente o mesmo. Na temporada 2014-2015, mais de 8 mil turistas passaram pelo Porto de Paranaguá.

O último navio de passageiros foi o MS Midnatsol, em outubro de 2016, com 150 pessoas a bordo.

Da AEN

Notícias

Paraná já emite novo modelo de carteira de identidade

Documento possibilita a inclusão de diversos dados

Publicado

no

Por

Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) iniciou a emissão de um novo modelo de carteira de identidade. O documento possibilita a inclusão de diversos dados e oferece mais segurança contra a falsificação. O antigo Registro Geral (RG) continua válido.

De acordo com a PCPR, a nova versão é mais segura contra falsificações porque, por meio de biometria, são acessadas todas as informações de outros documentos pessoais, além de verificar se a pessoa possui outro RG no Estado, evitando fraudes.

Em caso de roubo ou extravio da carteira de identidade atual, pode ser solicitada a 2ª via rápida. Nesse caso, será emitida no novo modelo, mas apenas com as informações que já contém hoje. Quem desejar o novo layout e com a inclusão de novos dados deve seguir os passos para a emissão da primeira via.

O diretor do Instituto de Identificação da PCPR, Marcus Vinícius Michelotto, avalia o novo documento como um grande passo.

“É o Estado do Paraná se adequando a um decreto federal que dará mais sentido e valor ao RG. Além disso, a carteira de identidade vai possibilitar que o cidadão tenha um documento único”, acrescenta. Sete estados, incluindo o Paraná, já atendem o decreto.
NA PRÁTICA – O novo modelo permite a inserção de dados referentes à Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), Programa de Integração Social (PIS), Número de Identificação Social (NIS), Programa de Formação e Patrimônio do Servidor Público (Pasep), Cartão Nacional de Saúde (SUS), Certificado Militar, carteira nacional de habilitação, título de eleitor, tipo sanguíneo e fator RH.

O cidadão ainda pode incluir condições especiais de saúde e nome social, mediante requerimento por escrito e relacionado à identidade de gênero.

Para que todos esses dados constem na carteira de identidade é necessário apresentar documentos oficiais comprobatórios no momento do atendimento no posto do Instituto de Identificação.

No caso do NIS, PIS, Pasep e SUS, o requerente deve levar o cartão de inscrição original.

Para inserir CTPS, carteira de habilitação, título de eleitor e Certificado Militar é preciso fornecer o documento original ou cópia autenticada.
SAÚDE – Para acrescentar tipo sanguíneo e fator RH é necessário apresentar o resultado do exame laboratorial, caderneta de vacinação e outros documentos similares contendo os dados do requerente.

Além disso, a assinatura e registro no órgão de classe específico do profissional responsável pelo exame laboratorial ou emissão do documento.

No caso de incluir condições especiais de saúde, o cidadão deverá levar atestado médico ou documento oficial que comprove a vulnerabilidade ou condição particular de saúde. Os modelos de relatório e atestado médico, assim como informações detalhadas, estão disponíveis no portal da PCPR.

Basta acessar http://www.policiacivil.pr.gov.br, rolar a página até a ferramenta “Serviços da PCPR”, selecionar a aba Carteira de Identidade e clicar na opção de instruções.

Da AEN
Continuar Lendo

Notícias

Turista de Maringá morre afogado em praia de Matinhos

Ele entrou no mar com uma pequena prancha de surfe e desapareceu

Publicado

no

Por

João Silvério de Souza, de 48 anos, morreu afogado, na noite de terça-feira (21), após sumir no mar, na praia de Caiobá, em Matinhos, no Litoral do Paraná.

Ele teria ido à praia com os filhos, de 7 e 11 anos, por volta das 20 horas, entrado na água com uma pequena prancha de surfe e desaparecido logo após.

João chegou a ser socorrido com vida, foi encaminhado no helicóptero da Polícia Militar à Unidade de Pronto Atendimento-UPA de Matinhos, mas não resistiu.

O Corpo de Bombeiros acredita que a vítima tenha sido arrastada pela correnteza.

De Maringá, João Silvério de Souza passava férias com a família no Litoral.

O corpo dele foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba.

Continuar Lendo

Notícias

Marinha alerta para risco de ciclone subtropical em alto-mar

Fenômeno deve ocorrer entre quinta-feira e sábado (25)

Publicado

no

Por

A possibilidade de formação de um ciclone subtropical, em alto-mar, entre o norte do estado do Rio de Janeiro e o Sul do estado do Espírito Santo, nesta quinta-feira (23), poderá afetar as condições do mar no Paraná.

Segundo a Marinha Brasileira, que emitiu um alerta para o fenômeno, a atenção deve ser redobrada entre esta quinta-feira e sábado (25).

Apesar de o risco de ciclone subtropical ser longe do litoral paranaense, os ventos gerados pelo fenômeno poderão gerar agitação marítima e ondas de direção sudeste a leste com três e quatro metros de altura em alto-mar, entre o estado de Santa Catarina e Rio de Janeiro, ou seja, também no Paraná.

Segundo o Instituto Tecnológico Simepar, não há previsão de alteração no tempo no litoral paranaense por conta do risco do ciclone subtropical na região sudeste do país.

Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.