Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Notícias

Membros do Conselho de Regulação da Cagepar renunciam aos cargos

Agora Litoral
Seis dos sete integrantes do Conselho de Regulação da Central de Água, Esgoto e Serviços Concedidos do Litoral do Paraná (Cagepar) renunciaram aos cargos. A decisão ocorreu na quarta-feira (13) e foi encaminhada ao Diretor-geral da entidade, Paulo Sérgio Guedes, nesta segunda-feira (18).

O documento, assinado pelos conselheiros Amilcar Pacheco dos Santos, Claudio Glock de Souza, Claudio Nogas, Danyelle Stringari, Mario Antonio Ferrari e Ozeias Rebello Costa, elenca uma série de fatores que motivaram a renúncia quase coletiva do colegiado – apenas o ex-presidente Carlos Ferla não assinou a declaração.

Veja o teor do documento:
Em nota, Prefeito critica atuação do Conselho de Regulação

Em nota oficial, o prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, comentou a decisão do Conselho de Regulação e lamentou o fato dos conselheiros estarem se “fazendo de coitados” ao renunciarem a seus mandatos.

Segundo o Prefeito, ao longo deste ano, ele tem questionado o Conselho de Regulação da Cagepar sobre suas atividades que, por lei, deveria criar normas sobre os serviços prestados pela concessionária de água e esgoto da cidade.

Marcelo Roque lembra que tem entrado com ações judiciais e questionado a qualidade e o preço dos serviços prestados, mas que essas cobranças deveriam partir do próprio Conselho de Regulação.

“Em quase dois anos e meio de atuação”, segue a nota do Prefeito, “o Conselho (cujos integrantes foram nomeados na gestão anterior e possuem estabilidade) se reuniu várias e várias vezes (e todas as vezes recebendo quase R$ 1 mil por reunião) (…) aumentou o valor de sua própria remuneração, mas apesar das inúmeras reuniões, quase nada produziu em proveito da cidade. Neste período foram feitas pelo Conselho apenas duas ou três normas sobre saneamento, uma delas que sequer partiu do próprio Conselho. Ou seja, reuniões muito bem remuneradas, com aumentos discutíveis e pouquíssimo trabalho.”

Na nota oficial, o Prefeito de Paranaguá salienta que ao tomar conhecimento dessa situação, questionou formalmente o Conselho, na pessoa do Senhor Ozeias Rebello Costa. “O resultado? Uma renúncia coletiva daqueles que mesmo ocupando funções públicas e recebendo o dinheiro dos seus impostos se recusaram a esclarecer as acusações”, completa.

Ainda de acordo com o Prefeito, “essas pessoas [os conselheiros] se recusaram a responder o porquê de ganharem tão bem (além do valor de quase 1 mil por reunião, ainda recebiam indenização por deslocamento) e de não produzirem quase nada.”

“Colocados na parede, jogam uma carta de renúncia à imprensa fazendo-se de coitados. Uma atitude lamentável”, diz Marcelo Roque.

Na nota à imprensa, o Prefeito diz ainda que “gostaria que o Senhor Ozeias usasse a imprensa para esclarecer que normas produziram e como aumentaram suas remunerações em percentual superior à inflação.” Ele também cita o fato de Ozeias Rebello Costa ter apoiado outro candidato na última eleição a Prefeito.

Por último, Marcelo Roque afirma que processará os conselheiros para que efetuem o ressarcimento do que tenham eventualmente recebido de forma indevida.

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios