Ligue-se a nós

Notícias

Mais de 2.500 presos deixam cadeias no Paraná por causa do novo coronavírus

Estatística consta em relatório do Departamento Penitenciário do Estado (Depen).

Publicado

no

Mais de 2.500 presos em delegacias e presídios do Paraná foram autorizados pela Justiça a cumprir prisão domiciliar por causa do risco de contágio do novo coronavírus.

A estatística consta em um relatório do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), compreendido entre 16 de março até a sexta-feira (3). A maioria dos presos beneficiados no estado são do regime fechado.

Nesse período, 1.719 deixaram unidades prisionais. Outros 678 que cumpriam pena no semiaberto também foram para o regime domiciliar.

Uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), de 17 de março, orientou que os tribunais e juízes adotassem medidas preventivas à propagação da Covid-19 nas cadeias, como a liberação para a prisão domiciliar de condenados, mesmo em regime fechado, que se enquadram em grupos de risco.

MP QUESTIONA ALGUMAS DECISÕES
O Ministério Público do Paraná (MP-PR) tem questionado algumas decisões, consideradas pelo órgão como genéricas, que têm colocado em prisão domiciliar condenados por crimes graves, como homicídio e estupro, além de integrantes de facções criminosas. Isso também preocupa a Polícia Civil.

Promotores estão recorrendo de decisões favoráveis ao regime domiciliar de condenados por crimes graves ou que, na avaliação deles, podem não se enquadrar em grupos de risco.

Entre os presos com mais de 60 anos, a quantidade em unidades do estado caiu de 664 para 560, entre 16 e 29 de março. Os números devem se alterar nos próximos dias, visto que autorizações estão sendo concedidas diariamente no estado e outras sendo revertidas pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

Parte dos presos devem ser monitorados por tornozeleira eletrônica – o que é definido pelo juiz.
SUPERLOTAÇÃO
O Mapa Carcerário do Governo do Paraná indica que, até 19 de março, havia 7 mil presos a mais do que a capacidade do sistema penal, de pouco mais de 21 mil vagas.

De acordo com o diretor-geral do Depen, Francisco Alberto Caricati, novos presos estão ficando 14 dias em isolamento antes de serem levados para as penitenciárias.

Segundo ele, detentos que apresentam sintomas da Covid-19 também ficam em isolamento. “Tivemos alguns isolamentos por febre e pneumonia, por exemplo, mas não se confirmou a doença. Entre agentes penitenciários temos quase 50 de um total de 4 mil em quarentena”, disse.

Caricati também afirmou que estão sendo distribuídos materiais como álcool gel e máscaras, mas que há dificuldade em consegui-los. “Tem materiais que não se encontra mais. Não é um problema só brasileiro isso”, explicou.

Leia mais em G1 Paraná

Deixe seu comentário!

Notícias

Governo doa mais de 10 toneladas de alimentos para comunidades do Litoral

Foram 528 cestas distribuídas para pescadores, ribeirinhos e caiçaras.

Publicado

no

Por

Fotos: Cláudio Neves

O Governo do Paraná entregou 10,5 toneladas de alimentos para pescadores, ribeirinhos e caiçaras que vivem em nove comunidades do litoral do Estado.

Foram 528 cestas distribuídas, em uma ação que reuniu Portos do Paraná, Conselho dos Povos de Comunidades Tradicionais do Paraná, Superintendência Geral de Diálogo e Interação Social (Sudis), Defesa Civil de Paranaguá, Polícia Militar Ambiental e Corpo de Bombeiros.
O esforço atendeu 15 famílias da Ilha da Cotinga, 90 em São Miguel, 28 na Ponta do Ubá, 50 na Eufrasina, 25 na Europinha, 45 na Ilha do Teixeira, 125 na praia de Encantadas (Ilha do Mel), 50 em Piaçaguera e 100 no Amparo.
A participação da Portos do Paraná segue as medidas de atenção com toda a população que vive na região de atuação dos portos de Paranaguá e Antonina. “Essa ação soma-se a tantas outras que são executadas junto aos pescadores e comunidades tradicionais”, diz o diretor de Meio Ambiente da empresa pública, João Paulo Ribeiro Santana.

“Essas comunidades tradicionais dependem do comércio autônomo e artesanal, estão localizadas em lugares de difícil acesso e precisam manter o isolamento social. A Portos do Paraná faz questão de ajudar na ação, pois reforça o reconhecimento e o respeito que a empresa tem pela identidade cultural dessa população”, acrescenta.

As ações fazem parte do pacote social de atenção do Governo do Estado contra a Covid-19. Os investimentos, segundo Denilton Laurindo, presidente do Grupo de Trabalho dos Povos e Comunidades Tradicionais do Estado, somam R$ 400 milhões.

“Além dos alimentos, reforçamos para eles a importância de manter o distanciamento social e os cuidados pessoais com a higiene, lavando bem as mãos com água e sabão ou usando álcool gel quando não for possível”, enfatizou.

“Também é preciso alertar as pessoas que não pertencem a comunidade e que fazem turismo nas ilhas. O ideal é restringir a entrada”.
CUIDADO
O líder da tribo Mbyá Guarani, Dionísio Rodrigues, recebeu as cestas na Ilha da Cotinga. “Essa doação é muito importante, em um momento que temos grande dificuldade. Muitas famílias que dependem da venda do artesanato, para comprar o que falta na cidade, não podem nem se deslocar”.

Ronie Rodrigues Ferreira, presidente da comunidade de São Miguel, também agradeceu. “É muito gratificante receber essa ajuda, tem muita gente precisando. Nessa época está difícil a comercialização do pescado e aqui toda comunidade trabalha com a carne do siri. Somos em 90 famílias”.

Na praia das Encantadas, na Ilha do Mel, os alimentos também foram recebidos com alegria.

“Vai sustentar muitas famílias que estão passando dificuldade em vista do momento de pandemia que o país atravessa. Ajuda a comunidades a se organizar de forma diferente, para que possa atravessar esse momento com um pouco mais de dignidade”, conta Marcio Agostinho Farias, representante da Associação dos nativos da Ilha do Mel e das Comunidades Tradicionais da Bacia de Paranaguá.

Da AEN
Continuar Lendo

Notícias

Paranaguá tem dois novos pacientes com Covid-19

Cidade registrou também mais um óbito. Paciente de fora que estava internado após acidentar-se na 277.

Publicado

no

Por

O Boletim da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) desta quarta-feira (27) aponta dois novos casos de Covid-19 e mais um óbito ocorrido em Paranaguá, no Litoral do Paraná.

Os novos casos de são de um homem de 40 anos e de uma mulher também de 40 anos. Ambos são moradores na Vila Divinéia.

O óbito foi de um idoso de 68 anos, morador em Telêmaco Borba, que faleceu na manhã desta quarta-feira no Hospital Regional do Litoral.

Ele estava internado já há alguns dias, após ter se acidentado na BR-277 e ter sido levado para o hospital pela Ecovia.

Ao chegar no Regional foi feito o exame para detectar Covid-19 e o resultado deu positivo. Porém, pelo critério adotado pela Sesa, a morte dele foi computada para a cidade de origem, no caso Telêmaco Borba.

Com mais esse óbito, Paranaguá tem 6 casos confirmados (dois de fora da cidade) e 4 locais. A outra morte ocorreu em Guaraqueçaba.

Pelos novos números, o Litoral do Paraná tem agora 81 casos confirmados e 5 mortes.

Paranaguá 46; Guaratuba 22; Matinhos 5; Pontal do Paraná 5; Morretes 2; Guaraqueçaba 1.

O total de pacientes recuperados informado pelas prefeituras não bate com o boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde.

Paraná tem 200 novos casos confirmados e três óbitos
O boletim desta quarta-feira informa também que o Paraná registrou mais 200 casos confirmados pelo novo coronavírus. O total de pessoas contaminadas no Estado é de 3.712. Três pessoas morreram em decorrência da Covid-19. Já são 162 óbitos em todo o Paraná.

ÓBITOS – As três pessoas, duas mulheres e um homem que morreram, estavam internadas. Uma idosa, de 74 anos, que residia em Jaguariaíva, faleceu no dia 25 de maio. Os outros dois pacientes faleceram hoje (27): uma mulher, de 59 anos, que morava em Londrina, e um idoso de 68 anos, que residia em Telêmaco Borba.

As novas confirmações são nas cidades: Apucarana (6), Assis Chateaubriand (1), Boa Vista da Aparecida (6), Braganey (3), Cambé (1), Campo Largo (2), Cascavel (31), Cianorte (3), Cornélio Procópio (5), Coronel Domingos Soares (5), Curitiba (36), Douradina (1), Doutor Camargo (1), Fazenda Rio Grande (1), Florestópolis (1), Foz do Iguaçu (16), Guaporema (1), Guaraniaçu (1), Iguaraçu (1), Itambaracá (1), Itapejara D’Oeste (1), Jacarezinho (2), Londrina (17), Manoel Ribas (1), Maringá (16), Moreira Sales (1), Nova Fátima (1), Palmeira (1), Paranaguá (2), Pinhais (4), Piraquara (2), Piraquara (2), Ponta Grossa (1), Realeza (1), Ribeirão do Pinhal (5), Rolândia (3), Santa Tereza do Oeste (1), Santo Inácio (1), São José dos Pinhais (2), São Manoel do Paraná (1), Sapopema (5), Saudade do Iguaçu (1), Tamboara (1), Telêmaco Borba (1), Toledo (2), Tomazina (1), Tuneiras do Oeste (2) e Umuarama (1).

MUNICÍPIOS – 230 cidades paranaenses têm ao menos um caso confirmado pela Covid-19. Em 65 municípios há registro de óbitos pela doença.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Sesa registrou também mais um caso de fora, um paciente de Tubarão (SC). No total, cinco pessoas não residentes no Paraná foram a óbito em alguma das cidades do Estado.

Continuar Lendo

Notícias

PCPR faz operação para prender responsáveis por morte de casal em Matinhos

Ação da Polícia Civil acontece em Matinhos, Guaratuba, Pontal e cidades de SC.

Publicado

no

Por

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) está nas ruas, desde as primeiras horas desta quarta-feira (27), para cumprir 13 mandados de prisão temporária e 20 de busca e apreensão contra uma organização criminosa envolvida em duplo homicídio e incêndio a veículos, no Litoral do Estado.

As ordens judiciais estão sendo cumpridas, de forma simultânea, no Paraná, nas cidades de Matinhos, Pontal do Paraná e Guaratuba, e no estado de Santa Catarina, nas cidade de Joinville e São Francisco do Sul.
DUPLO HOMICÍDIO – Os alvos da ação são investigados pelo crime que teve como vítima Davi Luiz Salustiano Lopes e Charlene Andressa Jus Maciejwski, ocorrido no dia 13 de abril deste ano, no Balneário Gaivotas, em Matinhos.

No dia dos fatos, o filho de Davi Luiz, de 3 anos, também foi atingido por disparos de arma de fogo na perna.

Conforme apurado, Davi, Charlene e o filho de 3 anos estavam em um Fiat Uno quando foram alvejados por diversos disparos de arma de fogo de calibres variados – 12, 556 e 380. Os disparos teriam sido efetuados por indivíduos que saíram de uma Captiva e um Uno Vivace.

O veículo em que as vítimas estavam foi apreendido. No mesmo local, foi encontrado outro Fiat Uno, com alerta de furto e placas clonadas. Segundo as investigações, o crime foi motivado por “guerra” entre grupos criminosos rivais.

VEJA A POLÍCIA CIVIL EM AÇÃO

INCÊNDIO A VEÍCULOS – A organização criminosa é investigada por incendiar os veículos apreendidos no caso do duplo homicídio. A queima aconteceu na madrugada do dia 17 de abril, no pátio da Delegacia de Matinhos.

De acordo com as investigações, os suspeitos queimaram os carros na tentativa de atrapalhar as diligências acerca do crime e eliminar provas que pudessem incriminar alguém do bando.

Além desses veículos, o bando também é investigado por tacar fogo em uma Lange Rover preta logo após o duplo homicídio. Durante as investigações, a PCPR descobriu que o veículo teria vindo para o Paraná em um caminhão guincho de Santa Catarina.

ÁUDIOS
Durante as investigações que culminaram na operação desta quarta-feira, a Polícia Civil interceptou áudios da organização criminosa. Ouça:

OITO PRESOS – Até o encerramento desta reportagem, oito pessoas já haviam sido presas na operação da Polícia Civil.

NOTÍCIA RELACIONADA

Carros envolvidos em duplo homicídio são incendiados na DP de Matinhos

Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.