Ligue-se a nós

Notícias

Litoral terá Força-Tarefa para proteger crianças no Carnaval

Operação integrada conta com a participação de diferentes instituições públicas

Publicado

no

Foto: Divulgação SEJUF

A Operação Integrada de Carnaval no Litoral começou a atuar efetivamente na sexta-feira (14), e vai se estender durante todo o Carnaval. Trata-se de uma iniciativa da Força-Tarefa Infância Segura, da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, que agregou diferentes instituições públicas, com foco na prevenção de crimes e violências contra crianças e adolescentes e no combate à exploração sexual infantil.

A iniciativa conta com a participação da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Científica e Conselho Tutelar. Sua primeira ação foi feita em estabelecimentos de Guaratuba, onde ocorreu caso de flagrante delito por venda de bebida alcoólica e cigarros a adolescentes e uma autuação por posse de droga ilícita para consumo.

Também foram registradas autuações do Corpo de Bombeiros por irregularidades e uma interdição de estabelecimento. Oito menores foram encaminhados pelo Conselho Tutelar.

A Força-Tarefa integra uma série de operações que serão realizadas no Litoral no Carnaval Protegido do Paraná, lançado nesta semana pelo secretário Ney Leprevost (Justiça, Família e Trabalho). Na programação estão previstas atividades de conscientização do público e haverá distribuição de pulseiras, para evitar que as crianças se percam de pais e responsáveis durante os festejos.

Ao longo do feriado prolongado, a campanha prossegue com a orientação sobre a importância de denunciar casos de negligência, abuso, abandono, discriminação e violência contra crianças e adolescentes, idosos e mulheres pelo telefone 181.

A proposta principal da secretaria visa a constituição de uma rede de proteção, que integra os órgãos públicos e a própria sociedade. De forma inédita, a Força-Tarefa Infância Segura envolve secretarias de estado, Judiciário, Ministério Público e instituições da sociedade civil organizada para a integração das políticas públicas, com ações coordenadas e efetivas para o acolhimento e o atendimento integral às crianças vítimas de violência.

Deixe seu comentário!

Notícias

Paraná tem 44 novos casos de Covid-19; Litoral, 13 em investigação.

Estado registra 229 casos confirmados – destes, três óbitos.

Publicado

no

Por

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou nesta quarta-feira (1º) mais 44 casos de coronavírus no Paraná. São 26 homens e 18 mulheres com idades entre nove e 78 anos.

Os pacientes residem em Curitiba (11), Campo Largo (1), Maringá (1), Assis Chateaubriand (1), Cianorte (1), Ibaiti (1), Fazenda Rio Grande (1), Pinhais (1), Foz do Iguaçu (2), Londrina (17), São José dos Pinhais (1), Quatiguá (1), Arapongas (2), Campo Mourão (1), Araucária (1)  e Cambé (1).

BOLETIM  O Estado registra 229 casos confirmados – destes, três óbitos –, 3.683 descartados e 602 em investigação. Dentre confirmações, até às 12 horas desta quarta-feira, 38 pacientes estavam internados, 21 deles em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 17 em leitos clínicos.

Os dados do boletim são referentes a suspeitos que tiveram amostras coletadas e processadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) e demais laboratórios habilitados no Paraná.

O caso confirmado de um paciente da Venezuela foi transferido para o município de Goioerê. Portanto, o Paraná tem agora cinco casos confirmados de pacientes que residem fora do Estado. Um paciente de Curitiba foi transferido para Almirante Tamandaré porque reside na Região Metropolitana.

Litoral tem 13 suspeitos
O Litoral do Paraná aparece no mais recente boletim da Sesa com apenas um caso confirmado, da cidade de Matinhos, e outros 13 em investigação – 5 em Guaratuba, 3 em Paranaguá, 3 em Morretes, 1 em Matinhos e 1 em Guaraqueçaba.

Continuar Lendo

Notícias

Apreendidos mais de 88 kg de cocaína no Porto de Paranaguá

Droga estava em uma caçamba que seria exportada para a Costa do Marfim

Publicado

no

Por

Apreensão foi realizada na tarde desta quarta-feira (1º)

Mais de 88 kg de cocaína, que estavam em uma caçamba que seria exportada no Porto de Paranaguá, no litoral do Paraná, foram apreendidos em uma operação conjunta da Receita e Polícia Federal na tarde desta quarta-feira (1º).

Segundo os agentes da Receita Federal, a droga seria levada para a Costa do Marfim, na África. Ninguém foi preso durante a ação.

A cocaína foi encaminhada para a Polícia Federal.

Desde o início do ano, mais de duas toneladas da droga (2.715,5 kg) foram apreendidas no Porto de Paranaguá.

A mais recente descoberta de cocaína no porto havia ocorrido no dia 26 de março e resultou na apreensão de 325 kg da droga.

O Agora Litoral registrou:

Receita Federal faz nova apreensão de cocaína em Paranaguá

Continuar Lendo

Notícias

Prefeitura de Pontal do Paraná vai decretar toque de recolher na cidade

Medida deve ser publicada nesta quarta-feira (1º de abril) e fecha também o acesso às praias

Publicado

no

Por

A exemplo de Paranaguá, o município de Pontal do Paraná decidiu instituir o toque de recolher para combater a propagação do coronavírus.

O Agora Litoral teve acesso à minuta do decreto, que está sendo analisado pelo Departamento Jurídico e que deverá ser publicado ainda nesta quarta-feira (1º de abril) e que veda o acesso às praias e endurece o isolamento social na cidade.

O artigo 22 do decreto estipula que “fica estabelecido o toque de recolher diário, a partir de 1º de abril de 2020, sendo vedada a locomoção, permanência em qualquer espaço público, abarcando logradouros, praças e calçadão, entre às 20h e às 5h do dia seguinte, em razão do enfrentamento da pandemia decorrente do novo coronavírus – Covid-19, a fim de evitar sua propagação”.

O texto pontua ainda que será permitida a circulação nesse período apenas para prestadores de serviços na área de saúde, segurança, assistência social, delivery de alimentos (entregues em domicílio) e funcionários de empresas privadas que estejam trabalhando no período noturno ou retornando a sua residência, desde que comprovada a necessidade, urgência no deslocamento e identificação funcional.

O decreto torna compulsório o recolhimento de pessoas com mais de 60 anos à residência ou equivalente para efetivar o distanciamento social, restringindo sua circulação no território do município, com o objetivo de preservação de sua vida e saúde.

O texto também traz diversas determinações em relação ao funcionalismo público e à utilização dos serviços de saúde do município, todas elas voltadas ao atendimento do público com suspeita ou confirmação da infecção por coronavírus.

O descumprimento das determinações municipais acarreta vários tipos de sanção, que vão desde advertência, suspensão de alvarás, interdição de estabelecimentos e multas, entre cinco e dez UFMs, quando aplicadas a pessoas jurídicas.

Ainda de acordo com a minuta do decreto, a vigência da determinação é de trinta dias, a partir de 1º de abril, podendo ser estendida.

Continuar Lendo
Anúncio