Ligue-se a nós

Notícias

Litoral tem 4 novos casos de Covid-19; Paranaguá registrou mais um óbito.

Novos casos são em Matinhos, Pontal do Paraná e Paranaguá (2).

Publicado

no

O boletim da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) desta quinta-feira (21) confirma que o Litoral do Paraná tem 4 novos pacientes de Covid-19.

Os novos casos são em Matinhos (1), Pontal do Paraná (1) e Paranaguá (2). Nesta última foi confirmado um óbito no dia de hoje, mas não consta no informativo da Sesa.

Com esses novos números, o Litoral do estado tem agora oficialmente, segundo a Sesa, 59 casos confirmados e 4 óbitos – 1 em Guaraqueçaba e 3 em Paranaguá (mais 1 nesta quinta-feira que ainda não foi contabilizado pelo governo estadual).

São 43 em Paranaguá (14 recuperados), 6 em Guaratuba (4 recuperados); 4 em Pontal do Paraná; 3 em Matinhos (mais 1 que não consta no Boletim da Sesa de hoje e 2 recuperados); 2 em Morretes (1 recuperado); 1 em Guaraqueçaba.

NOVOS CASOS

Matinhos – O terceiro caso confirmado pela Sesa em Matinhos é de uma senhora de 66 anos, moradora no bairro Tabuleiro. Ela teria viajado para São Paulo e retornado à cidade. Todos seus parentes e pessoas próximas estão sendo monitorados pela secretaria de Saúde do Município.

O quarto caso em Matinhos, que não consta ainda no informativo da Sesa, é de uma senhora de 74 anos, moradora no Sertãozinho, que está hospitalizada no Hospital Paranaguá.

Recentemente ela teria viajado para Santa Catarina. Todas as pessoas que tiveram contato com a nova paciente estão em quarentena sob monitoramento.

Pontal do Paraná – O quarto caso confirmado de Covid-19 em Pontal do Paraná é de uma senhora de 53 anos, moradora do Jardim Canadá.

Paranaguá – Os dois novos pacientes de Paranaguá são um homem de 82 anos e uma mulher de 78 anos, ambos moradores do Jardim Eldorado.

VEJA O BOLETIM DA PREFEITURA DE PARANAGUÁ

Mais um óbito em Paranaguá
A cidade de Paranaguá também registrou mais um óbito nesta quinta-feira (21). O falecimento não consta no Boletim oficial da Secretaria Estadual de Saúde.
A vítima, Valdemar Alves, de 76 anos (foto), estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional do Litoral.

Morador da Rua Hermínio Valinas, no bairro Cominese, Valdemar era diabético e hipertenso.

O falecimento de Valdemar Alves é o quarto ocorrido de moradores da cidade (um outro, o quinto, foi contabilizado na cidade de origem, no Rio Grande do Norte).

Deixe seu comentário!

Notícias

Saúde confirma mais 40 óbitos e 1.403 novos casos de Covid-19 no Paraná

Estado soma agora 170.118 casos e 4.275 mortos pela infecção.

Publicado

no

Por

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou nesta sexta-feira (25), 1.403 novos casos e 40 óbitos pela infecção causada pelo novo coronavírus. O Paraná soma agora 170.118 casos e 4.275 mortos em decorrência da doença.

INTERNADOS –  1.094 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados hoje. Há outros 857 pacientes internados, que aguardam resultados de exames.

ÓBITOS – A secretaria estadual informou também a morte de mais 40 pacientes. Todos estavam internados. São 19 mulheres e 21 homens, com idades que variam de 35 a 95 anos. Os óbitos ocorreram entre os dias 01 de julho a 25 de setembro.

Os pacientes que faleceram residiam em: Curitiba (10), Paranaguá (3), Clevelândia (2), Fazenda Rio Grande (2), Foz do Iguaçu (2), Maringá (2), Ponta Grossa (2), Toledo (2) e um caso em cada um dos seguintes municípios: Apucarana, Atalaia, Bandeirantes, Campo Mourão, Capitão Leônidas Marques, Cornélio Procópio, Francisco Beltrão, Guaratuba, Loanda, Pinhais, Rolândia, Santa Fé, São Miguel do Iguaçu, Sarandi, Três Barras do Paraná.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Sesa registra 1.814 casos de residentes de fora. Desses 43 foram a óbito.

NOTA DA REDAÇÃO: Pelo segundo dia consecutivo, a Secretaria estadual de Saúde não tem divulgado o boletim detalhado da Covid-19 no Paraná alegando problemas técnicos. Por isso a falta de atualização dos dados das cidades do Litoral do Paraná.

Da Sesa
Continuar Lendo

Notícias

Portos do Paraná incentiva a navegação de cabotagem

Nos portos de Paranaguá e Antonina, as taxas para a modalidade são até 50% menores.

Publicado

no

Por

A navegação de cabotagem, feita entre portos de um mesmo país, é importante para a economia nacional. Por isso, nos portos do Paraná, as taxas cobradas para esta modalidade são até 50% menores. Neste ano, cerca de 1,18 milhão de toneladas de cargas foram movimentadas pelo Porto de Paranaguá com destino a outros estados brasileiros.

O volume representa 3% do total movimentado nos portos paranaenses entre janeiro e agosto de 2020 (38,6 milhões de toneladas). O objetivo é aumentar a participação.

“Oferecemos descontos especiais em três tarifas. A dedução é uma forma de incentivar a cabotagem. Acreditamos que essa é uma alternativa logística importante, não apenas para reduzir os custos, mas também para desafogar os demais modais, principalmente o rodoviário”, afirma o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

As vantagens oferecidas pela empresa pública paranaense são nas tarifas Inframar (paga pelo armador pela utilização da infraestrutura de acesso e abrigo), Infraport (paga pelo operador portuário sobre a utilização da infraestrutura terrestre ou portuária) e Infracais (paga pelo armador para ocupação do cais de acostagem).

Os valores consideram a mercadoria e o tipo de embarcação, entre outras variáveis.

BR DO MAR – Outra maneira de incentivar a navegação de cabotagem é o apoio público ao Projeto de Lei 4199/2020, apresentado em agosto pelo Governo Federal. Tramitando no Congresso em regime de urgência, a proposta institui o Programa de Estímulo ao Transporte por Cabotagem – BR do Mar.

Segundo o Ministério da Infraestrutura, o objetivo é estabelecer novas condições para ampliação de frota dedicada.

“O projeto foi dividido em quatro eixos fundamentais para incentivar a cabotagem – frota, indústria naval, custos e portos. O programa trará menores custos logísticos através de maior oferta e a qualidade do transporte de cabotagem, ampliando em 40% a capacidade da frota marítima destinada à cabotagem nos próximos três anos”, divulga o órgão.

PRODUTOS – As mercadorias mais transportadas entre os Portos do Paraná e os demais portos brasileiros são os granéis líquidos e cargas conteinerizadas. No Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), a navegação de longo curso – para portos internacionais – representa 97%. Apesar da participação da cabotagem ser pequena, o transporte tem aumentado.

De janeiro a agosto, nessa modalidade, foram 193,5 mil toneladas de produtos movimentados em contêineres. O volume é 1% maior que o registrado no mesmo período de 2019 (191.806 toneladas).

“O aumento é reflexo de nossa atuação comercial sobre o modal e tem como base os segmentos alimentícios e congelados, para os quais os benefícios do serviço ficam cada vez mais evidentes”, explica o vice-diretor comercial do TCP, Thomas Lima.

Entre os principais produtos movimentados pelo modal estão os químicos, eletrodomésticos e produtos refrigerados. A linha de cabotagem que passa pelo terminal do Porto de Paranaguá é a “Braco”, que vai de Norte a Sul do País. Com escala semanal, o serviço atende os portos de Manaus (AM), Pecém (CE), Suape (PE), Santos (SP) e Paranaguá.

Segundo Lima, as principais vantagens da cabotagem são custo, cadência e segurança.

“O Brasil precisa descentralizar o transporte que hoje é, majoritariamente, realizado por caminhões e expandir para outros modais, como a cabotagem. Nesse sentido, a BR do Mar visa desburocratizar e regulamentar a atividade dos armadores na costa brasileira, abrindo esse mercado para novos players internacionais e incrementar a frota de navios no País”, destaca.

Da Agência Estadual de Notícias
Continuar Lendo

Notícias

FUNEAS contratará profissionais de saúde para o Hospital Regional do Litoral

Chamamento Público é para médicos, fisioterapeutas, enfermeiros e técnicos de enfermagem

Publicado

no

Por

A Fundação Estatal de Atenção em Saúde do Paraná–FUNEAS está lançando um Chamamento Público para o credenciamento de pessoas jurídicas, prestadoras de serviços assistenciais em saúde, para atender a demanda em razão da pandemia Covid-19.

O chamamento refere-se às unidades hospitalares que dispõe de alas específicas para o enfrentamento da pandemia Covid-19 – Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá, Hospital Regional do Sudoeste, em Francisco Beltrão, e Hospital Regional do Norte Pioneiro, em Santo Antônio da Platina.

Poderá participar do credenciamento toda pessoa jurídica que atenda aos requisitos previstos constantes no Edital de Credenciamento COVID-19 N°. 006/2020. O prazo de vigência do credenciamento é de até 12 meses, contado a partir da data de publicação no sítio eletrônico da Funeas (www.funeas.pr.gov.br), e posteriormente no Diário Oficial do Estado.

As categorias profissionais especializadas deste credenciamento são para as funções de médico, fisioterapeuta, enfermeiro e técnico de enfermagem. No total, serão investidos R$ 1,3 milhão mensais com as contratações, com recursos da Funeas.

A primeira Sessão Pública de abertura dos envelopes, para análise da documentação de habilitação e classificação, será feita na sede da Funeas, em Curitiba, no dia 02 de outubro de 2020, às 14h. Os interessados deverão apresentar toda a documentação necessária, conforme Edital.

O chamamento faz parte dos esforços do Governo do Estado do Paraná, através da Secretaria de Estado da Saúde–Sesa, e da Fundação Estatal de Atenção em Saúde do Paraná–Funeas, para que a assistência aos pacientes afetados pela Covid-19 não seja descontinuada, garantindo assim a qualidade e segurança aos usuários do SUS.

O diretor Presidente da Funeas, Marcello Machado, acredita que, com as contratações, as unidades hospitalares continuarão aptas para atender com segurança os pacientes que buscam atendimento destes profissionais.

“Desde o início da pandemia da COVID-19 a Funeas atendeu aos pedidos da Secretaria Estadual de Saúde e instalou mais leitos exclusivos para a Covid-19 e organizou os atendimentos de forma que atendam toda a demanda encaminhada pela regulação de leitos do Estado, com equipes de médicos e de enfermagem, equipamentos hospitalares adequados, ambientes propícios, seguros e equipamentos de proteção individual – EPI’s garantidos às suas equipes de trabalho”, finaliza.

Para ler o edital completo, CLIQUE AQUI
Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.