Ligue-se a nós

Notícias

Aumentam casos de sarampo no Paraná

ESTADO TEM 13 CASOS CONFIRMADOS DA DOENÇA

Publicado

no

Agora Litoral
A Secretaria de Estado da Saúde informa que aumentou para 13 os casos confirmados de sarampo até esta quarta-feira. O Informe Epidemiológico número quatro, divulgado nesta quinta (19), indica que 147 casos estão em investigação e um grupo de 20 pacientes já tiveram os exames negativos para a doença. Dos quatro novos casos confirmados um é de Curitiba, dois de Maringá e um de Ponta Grossa, com faixa etária de todos entre 20 e 29 anos.

“Embora todos os 13 casos sejam importados, sendo que 12 pessoas viajaram para São Paulo e uma para Santa Catarina, a circulação do vírus está acontecendo e ampliando o seu território no Estado. Por isso é importante estar vacinado”, alertou o secretário de estado da saúde, Beto Preto.

Os municípios que tiveram pacientes com registros de sarampo confirmados são Campina Grande do Sul, Curitiba, Ponta Grossa, Maringá, Rolândia e Jacarezinho. Curitiba aparece no informe com o maior número de casos – são sete confirmações. Em Maringá são dois pacientes e nos demais municípios uma confirmação.

A maior incidência de sarampo incide na faixa de idade entre 20 e 29 anos, com oito casos confirmados. Na faixa etária entre 40 e 49 anos estão confirmados dois casos. Entre 10 e 19 anos, 30 e 39 anos e 50 a 59 anos foi confirmado um caso em cada faixa de idade.

Até o início de agosto, o Paraná estava há 20 anos sem registro da doença. O último caso antes de 2019 aconteceu em 1999, remanescente do surto ocorrido no ano anterior. Em 1998 houve 873 casos no Paraná e um óbito decorrente de complicações da doença.

DOENÇA – O sarampo é uma doença infecciosa, transmitida por vírus e que pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. As complicações decorrentes do sarampo são mais graves em crianças menores de cinco anos e podem causar meningite, encefalite e pneumonia, entre outras. O vírus é transmitido pela respiração, fala, tosse e espirro. As micropartículas virais ficam suspensas no ar, por isso o alto poder de contágio da doença.

Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, coriza, conjuntivite, exantema (manchas avermelhadas na pele que aparecem primeiro no rosto e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo). Podem ocorrer ainda outros sintomas como cefaleia, indisposição e diarreia. Como não existe tratamento específico para o sarampo é importante ficar atento ao aparecimento dos sintomas.
VACINAÇÃO – A vacina contra o sarampo é gratuita e faz parte do Calendário Nacional de Vacinação. A secretaria estadual orienta a população para que fique atenta às datas da carteira de vacinação e aos registros de doses.

A dose zero deve ser aplicada em crianças entre seis e onze meses. A dose número um aos 12 meses de vida com a vacina tríplice viral (que previne sarampo, caxumba e rubéola), e a dose dois aos 15 meses com a vacina tetra viral (que previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora).

A população com até 29 anos deve receber duas doses da vacina. As pessoas que estão no grupo com idade entre 30 e 49 anos são consideradas vacinadas com apenas uma dose. Acima dos 50 anos a imunização é indicada somente nos casos de bloqueio vacinal, após a exposição a casos de suspeita da doença ou confirmados.

Mulheres que estão amamentando podem ser vacinadas. Aquelas que desejam engravidar devem aguardar no mínimo 30 dias após receber a dose da vacina. Os profissionais da área da saúde devem ser imunizados com as duas doses da tríplice viral em qualquer faixa etária, independente se atuam na atenção primária, secundária ou terciária.

Não têm indicação para tomar a vacina as pessoas com a imunidade baixa, mulheres grávidas e menores de seis meses de idade.

LOCAIS – Todas as Unidades de Saúde Básica no Paraná têm doses da vacina contra o sarampo. Para recebê-la basta ir até uma delas levando um documento com foto e a carteira de vacinação, caso tenha.

Deixe seu comentário!

Notícias

Paraná tem mais 25 casos e totaliza 875 pessoas com sarampo

Campanha de vacinação continua imunizando o público de cinco até 59 anos

Publicado

no

Por

Foto: divulgação

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou o registro de  25 casos novos da doença no Paraná nesta semana, conforme o boletim epidemiológico divulgado na quinta-feira (20). Com isso, o número subiu de 850, na semana anterior, para 875.

A Região Metropolitana de Curitiba concentra  90,17%, sendo a maioria deles na capital. O público mais atingido pela doença são os jovens de 20 a 29 anos, com 458 casos, representando 52,3% das confirmações.

Na sequência, está a faixa de 10 a 19 anos, com 226 casos, representando 25,8%; e de 30 a 39 anos, com 100 casos, representando 11,4% do total de casos confirmados.

Segundo a secretaria, permanecem em investigação 1.740 casos e 454 foram descartados. O monitoramento registra as ocorrências a partir de agosto de 2019.

“Estamos em plena campanha nacional de vacinação contra o sarampo, focando especialmente os jovens, mas imunizando também de forma seletiva, de acordo com o histórico vacinal, todo o público de cinco até 59 anos”, explicou o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto.

“A vacina está disponível em todas as 1.852 salas de imunização do Estado e reforçamos que vacinar é um ato de amor ao próximo”, afirmou o secretário. O Ministério da Saúde disponibilizou ao Paraná 1,2 milhão doses da vacina para esta campanha, que começou em 10 de fevereiro e segue até o dia 13 de março.

O sarampo é uma doença infecciosa, altamente contagiosa e pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. É transmitida por um vírus por meio da fala, tosse, espirro e respiração. Pode levar a complicações como meningite, encefalite, pneumonia.

SINTOMAS
Febre alta, tosse, coriza, conjuntivite, exantema (manchas avermelhadas na pele) são os sintomas mais comuns são, além de dor de cabeça, indisposição e diarreia.

Continuar Lendo

Notícias

Homem que seduzia mulheres solitárias e tirava dinheiro delas é preso no Paraná

“Estelionatário do amor” foi detido no Centro de Curitiba

Publicado

no

Por

Um homem de 38 anos que aplicava golpes em mulheres solitárias foi preso em Curitiba. O suspeito já vinha sendo procurado pela polícia de Santa Catarina, onde há 17 boletins de ocorrência pela prática de fraude.

Na última quarta-feira (19), o “Don Juan” não deu sorte. A Polícia Civil do Paraná deu flagrante no momento em que o golpista tentava receber repasse em dinheiro de uma vítima paranaense do estelionato do amor.

OS GOLPES
A investigação identificou que os golpes eram precedidos de uma pesquisa minuciosa nas redes sociais para selecionar a vítima.

Segundo os investigadores, havia um perfil procurado pelo suspeito, composto por mulheres a partir de 45 anos de idade que aparentavam possuir patrimônio considerável.

A preferência recaía sobre pessoas solitárias, com indicativo de fragilidade emocional.

“O golpe do estelionato amoroso ocorre basicamente de duas formas.  Ele diz para a vítima que está fora do país e é um refugiado político. Geralmente, afirma que tem uma posição de poder, como médico, advogado, assessor parlamentar, mas que não está conseguindo voltar para o Brasil. Assim, pede dinheiro para a vítima, somente em meio virtual, para que ela deposite dinheiro em conta para ajudá-lo a se encontrar com a vítima”, explica o delegado Emmanoel David, responsável pela prisão do indivíduo.

“A segunda forma ocorre quando a vítima já está envolvida no meio virtual. Nesse momento, ele vai até ela pessoalmente e tenta iniciar um relacionamento, como ocorreu no caso deste flagrante”, frisa o delegado. “Nesse caso específico, em um período curto, de menos de um ano, a vítima transferiu a ele mais de R$ 70 mil. Ela vendeu carro, fez financiamentos, deixou de pagar o seu plano de saúde e até de fazer uma festa de aniversário para dar dinheiro ao estelionatário”, completa o policial.

PRISÃO
Segundo o que foi apurado na investigação policial, a própria vítima, de 44 anos, suspeitou do golpe e pesquisou sobre o histórico do suspeito na internet. Porém, mesmo depois de ter descoberto que ele mentiu sobre o nome e profissão, ela continuou mantendo o relacionamento virtual com o estelionatário por algum tempo.

Ao final, acabou procurando a Delegacia de Estelionatos, que conduziu a investigação e efetuou a prisão no momento em que o golpista receberia uma alta quantia em dinheiro da vítima.

As investigações, em conjunto com a polícia de Santa Catarina, apuraram que o suspeito já havia praticado crimes de estelionato anteriormente.

Foram identificados 17 boletins de ocorrência em seu nome, que envolviam golpes variados, desde a prática de crimes como entrada em hotéis e não pagar, até golpes maiores, falsas cartas de crédito, e outros estelionatos amorosos.

Continuar Lendo

Notícias

Número de casos de abandono de cães e gatos é alto em Paranaguá

Departamento Veterinário da Prefeitura tem vários animais para adoção

Publicado

no

Por

Foto: divulgação PMP

O número de casos de cães e gatos abandonados é alto em Paranaguá. “O Departamento Veterinário da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) atua nos mais de 50 bairros da cidade e, infelizmente, todos os dias, nos deparamos com situações de maus tratos e abandono, não somente de cães e gatos como de animais de grande porte, como cavalos”, lamentou a diretora do departamento, Thábata Cristina Nicetto Lourenço.

Ela ressalta que, quando se tem um animal, o tutor fica responsável pela qualidade de vida do cão ou gato e deve fornecer alimento, água, atenção e zelar pela saúde e bem-estar do pet, inclusive com visitas ao veterinário sempre que necessário.

“Precisamos salientar que o Departamento Veterinário socorre animais doentes e feridos vítimas de abandono e maus-tratos. Ao serem resgatados são devidamente tratados, castrados e permanecem no setor à espera de um novo lar”, observou a diretora.

ADOÇÃO
Como o número de animais doentes ou abandonados é alto, a Semma está atualmente com uma grande quantidade de cães e gatos resgatados, inclusive filhotes, aguardando adoção.

“Precisamos do apoio da população para denúncias, caso presencie alguém abandonando animais, para que as medidas cabíveis sejam tomadas. Estamos com um número elevado de animais resgatados e o auxílio dos moradores é essencial para coibir essa prática ilegal, a fim de que o abandono de animais seja extinto em nosso município. É inadmissível que atos como esse ainda ocorram”, ressaltou Thábata Lourenço.

Em decorrência do grande número de atendimentos e abandono de animais, o Departamento Veterinário da Prefeitura de Paranaguá está lotado e, por essa razão, aceita a permanência de animais gravemente feridos ou doentes.

A diretora do departamento reforça que o abandono de animais e maus-tratos são crimes previstos na Lei  9.605/98 e Lei Promulgada Municipal 580/2020. Mais informações o cidadão pode entrar em contato com o Departamento Veterinário pelo telefone 3420-6141.

A adoção é um ato de amor aos animais, e aqueles que desejarem ter um novo amigo podem procurar a sede da Semma, no Aeroparque. “Basta levar um documento original com foto e um comprovante de residência. Será feita uma pequena entrevista com o adotante. É interessante trazer uma guia no caso de cães ou caixa transporte para adoção de gatos; assim facilitará o transporte até a nova residência”, orienta a diretora Thábata.

ATENDIMENTO VETERINÁRIO
O Departamento Veterinário realiza consultas ambulatoriais a animais da população com atendimento de segunda a sexta-feira, com distribuição de 10 senhas por tarde, a partir das 12h30 e atendimento iniciando às 13h.

No período da manhã, o atendimento da equipe do setor é voltado aos animais resgatados que permanecem no local até a adoção.

Da PMP
Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.