Ligue-se a nós

Paranaguá

Começa a dragagem no Porto de Paranaguá

Serviço começou a ser feito na quarta-feira (13)

Publicado

no

A empresa pública Portos do Paraná iniciou a dragagem dos berços do cais comercial e píer público de inflamáveis do Porto de Paranaguá.

Com a obra, que é de manutenção, a profundidade mantida nos berços é de 13,5 metros. Para o berço interno do píer de inflamáveis, são 11 metros.

Os primeiros berços já começaram a ser dragados na última quarta-feira (13). Os trabalhos começaram pelos dois berços do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), o 217 e 218. Nesses, a obra deve ser concluída até amanhã (15).

“No total, serão cerca de 150 mil metros cúbicos de sedimentos retirados no cais comercial e parte interna do píer de inflamáveis. A obra mantém o porto operacional, igualando as profundidades dos berços aos acessos aquaviários”, explicou Ricardo Delfim, oceanógrafo da Diretoria de Engenharia da Portos do Paraná.

CRONOGRAMA – Concluídos os berços de movimentação dos contêineres, os próximos a serem dragados serão os berços 204, 209, 211, 212, 213, 214 e o 141. Segundo o diretor de Operações da Portos do Paraná, Luiz Teixeira da Silva Junior, é preciso que os berços ofereçam segurança para que os navios atraquem e os operadores possam movimentar as cargas.

“Essa equalização da profundidade dos berços possibilita operacionalmente uma flexibilidade na atracação dos navios. É fundamental para a atividade portuária manter a infraestrutura marítima”, afirmou Teixeira.

Ainda de acordo com o diretor, a segurança e a viabilidade do porto estão diretamente ligadas a essa manutenção.

“É preciso ter um porto operacional para a economia do município e do Estado e, inclusive, do país”, comentou.

Outro benefício da dragagem, de acordo com Teixeira, é o recolhimento do ISS que a prestação desse serviço deixa para o município onde é realizado.

EQUIPAMENTOS – A dragagem dos berços começa a ser feita com a draga holandesa Elbe.

A embarcação tem capacidade de cisterna de 2.500 metros cúbicos e é auto transportadora (ou seja, os sedimentos são dragados e carregados pela própria draga).

Considerada de pequeno porte, a draga é bem ágil nesse transporte.

PROGRAMA – Este serviço está inserido no programa de manutenção continuada da profundidade dos Portos do Paraná, que prevê as obras para os próximos cinco anos.

O investimento público total para o programa será de R$ 403 milhões, ao longo destes cinco anos.

A campanha começou no último mês de agosto, com a dragagem do canal de acesso e da bacia de evolução do Porto de Antonina (área Delta).

Até o momento, foram retirados desta área cerca de um milhão de metros cúbicos.

O canal de acesso é o trecho que liga os berços de atracação e o mar aberto. Bacia de evolução é como é chamada a área próxima ao cais, onde as embarcações fazem as manobras de giro/atracação e desatracação em um porto.

BACIAS DE EVOLUÇÃO – Além das áreas do Porto de Antonina e dos berços do Porto de Paranaguá, as atividades do programa de dragagem de manutenção continuada também serão realizadas no canal de acesso e bacias de evolução de Paranaguá (áreas Alfa, Bravo e Charlie).

O volume total de sedimentos a serem retirados do fundo do mar, nos dois portos, será de quase 22 milhões de metros cúbicos.

O objetivo da dragagem de manutenção é manter a profundidade do canal, evitando o assoreamento, garantindo o calado operacional dos navios e a segurança da navegação pelos portos paranaenses.

FUNCIONAMENTO – Para dragar estas primeiras áreas determinadas, as embarcações usam um ou dois tubos de sucção.

Enquanto dragam, esses tubos são baixados até o fundo do mar, fazendo os movimentos de arrasto para sugar os sedimentos, através de bombas centrífugas, e soltar na cisterna do equipamento.

Com a cisterna cheia, os tubos de sucção voltam a bordo do navio e a draga faz a viagem até a área de descarte.

A área de despejo dos sedimentos dragados fica localizada a mais de 20 quilômetros da Ilha da Galheta e da Ilha do Mel. Em média, devem ser realizadas duas viagens por dia, por equipamento.

O local de descarte, regulamentado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), foi definido após estudos de correntes e outros aspectos climáticos, como a mais indicada para a dispersão do material dragado sem prejuízos ambientais.

MONITORAMENTO – Durante as campanhas de dragagens de manutenção – como determina o Plano de Controle Ambiental, aprovado pelo IBAMA – são executados programas de comunicação, educação e monitoramentos ambientais.

Para esta campanha, a empresa pública desenvolve: programa de comunicação social; programa de educação ambiental, programa de monitoramento da qualidade das águas; programa de monitoramento da qualidade dos sedimentos; e programa de monitoramento do volume dragado.

Da AEN

Paranaguá

Caminhoneiros são assaltados em pátio de empresa na Vila Portuária

Foi na noite de terça-feira, na Avenida Bento Rocha.

Publicado

no

Por

Dois motoristas de caminhão foram assaltados, na noite de terça-feira (30/06), quando estavam com seus veículos parados no pátio de uma empresa na Avenida Bento Rocha, Vila Portuária, em Paranaguá. O crime foi praticado por dois indivíduos portando armas de fogo e foi registrado pela Polícia Militar.

Em suas declarações aos militares, as vítimas, de 38 e 39 anos, com endereço em Cambé e Apucarana, relataram estavam dentro de seus caminhões no pátio de estacionamento da empresa, quando dois indivíduos, ambos armados, fizeram a abordagem e roubaram celulares, dinheiro, cartão bancários, corrente, pulseira e aliança, fugindo em seguida, tomando rumo ignorado.

Os motoristas relataram que os bandidos eram magros e morenos e estavam usando máscaras, tipo lenço, com desenho de caveira. Eles contaram ainda que um dos assaltantes vestia uma calça camuflada. No local, ninguém soube passar informações que pudessem levar aos autores do assalto.

Continuar Lendo

Paranaguá

Mulher é presa com 226 pedras de crack e buchas de cocaína no Porto Seguro

Flagrante da ROMU ocorreu no final da tarde de domingo (28).

Publicado

no

Por

Agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) prenderam, no final da tarde de domingo (28), Samira Cândido, de 18 anos, acusada de tráfico de drogas no bairro Porto Seguro, na cidade de Paranaguá.

Na ação foram apreendidas porções de cocaína e crack, além de dinheiro.

Uma equipe da ROMU, que realizava patrulhamento pela localidade, por volta das 18 horas, desconfiou da maneira de agir da jovem quando ela avistou a viatura na Rua Júlio Bovo. Imediatamente os agentes resolveram fazer a abordagem e Samira tentou fugir para o interior de uma casa.

Os guardas civis foram atrás da moça e, depois de abordá-la, verificaram que havia drogas na casa.

Em cima de uma mesa foram encontradas duas buchas de cocaína, totalizando 13 gramas do entorpecente, além de 226 pedras de crack prontas para a comercialização. Também foram apreendidos R$ 55 e dois celulares.
Diante da situação, Samira acabou encaminhada para o plantão da Delegacia Cidadã, junto com tudo que foi apreendido, para a elaboração do flagrante.

REINCIDENTE
Não é a primeira vez que Samira Cândido é presa por tráfico de drogas.

Em 17 de março deste ano ela já havia sido presa também pela GCM com crack e maconha.

O Agora Litoral registrou:

Garota de 18 anos é presa pela GCM com crack e maconha no Porto Seguro

Continuar Lendo

Paranaguá

Rapaz é executado a tiros na São Vicente

Foi no domingo. Ele foi atingido no portão de casa.

Publicado

no

Por

Um rapaz foi executado a tiros na noite de domingo (28), na Vila São Vicente, em Paranaguá, no Litoral do Paraná.
Gabriel Tomaz Pinto (foto do facebook), de 24 anos, foi chamado no portão de sua casa, na Rua Odalício Freitas Cabral nº 550, e alvejado por três disparos de arma de fogo.

Imagens de câmeras de segurança mostram que os autores dos disparos seriam dois indivíduos, ambos com o rosto coberto, que estariam em dois veículos parados próximos ao local do crime – um que seria um Corsa Wind de cor branca e outro um Kia Soul prata.

Segundo testemunhas, Gabriel ainda teria tentado fugir dos assassinos correndo para o interior da residência, mas não resistiu aos ferimentos e caiu na porta da casa já sem vida.

Os autores da execução fugiram logo após, tomando rumo ignorado.
ARMAS E PASSAGENS
A equipe policial militar que atendeu a ocorrência encontrou no quarto de Gabriel uma arma de fogo e outra de brinquedo (simulacro).

Os PMs constataram ainda que a vítima possuía vários registros policiais – por tráfico de drogas, roubo e receptação de veículos, entre outros.

O assassinato de Gabriel Tomaz Pinto foi o 39º ocorrido em Paranaguá em 2020.

Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.