Ligue-se a nós

Paranaguá

Apatia da população faz Saúde ampliar ações contra a dengue

Somente 30% dos parnanguaras tomou a segunda dose da vacina

Publicado

no

Equipes volantes estão aplicando as doses em escolas, empresas e locais onde a circulação de pessoas é frequente

Paranaguá, PR
Agora Litoral

A Secretaria estadual da Saúde, por meio da 1ª Regional de Saúde, está intensificando a campanha de vacinação contra a dengue em Paranaguá. Além das salas de vacina nas unidades de saúde, equipes volantes aplicam as doses em escolas, empresas e locais onde a circulação de pessoas é frequente. Até esta sexta-feira (17), o município vacinou somente 30% do público-alvo da 2ª dose.

“Estamos buscando o apoio de diferentes instituições da cidade para que incentivem os cidadãos a se vacinarem contra a dengue e abram espaço para a campanha. O objetivo é reduzir a circulação viral e, indiretamente, proteger toda a população”, afirma a chefe do Centro Estadual de Epidemiologia, Júlia Cordellini.

Nos primeiros 15 dias da campanha, a aplicação das 20 mil doses de Paranaguá ocorreram em 25 grandes empresas da cidade, 25 colégios estaduais, sete supermercados, shopping, academia, terminal de ônibus, praças e no calçadão. Outra estratégia é vacinar a população nas residências com equipes que circulam por todos os bairros do município.

Posto itinerante foi montado no calçadão do centro de Paranaguá para incentivar vacinação

Paranaguá também conta com 17 pontos fixos de vacinação na Secretaria Municipal de Saúde e nas unidades de saúde Alexandra, Aline Marinho Zacharias, Argemiro de Félix, Colônia Maria Luiza, Colônia Pereira, Domingos Lopes do Rosário, Dr. Helvécio Chaves da Rocha, Dr. Simão Aisenman, Encantadas, Evanil Rodrigues, Guilhermina Mazzali Gaida, Luiz Carlos Gomes, Norberto Costa, Nova Brasília, Rodrigo Gomes e Sueli Dutra Alves.

“Estamos preocupados com a baixa adesão do público-alvo que pode ser vacinado contra a dengue. Vamos iniciar a vacinação inclusive no período noturno, com equipes itinerantes. Queremos cumprir a meta de vacinar 100% das pessoas que tomaram a primeira dose no ano passado e, ainda, aplicar a vacina nas que não tomaram em 2016”, destaca o secretário municipal de Saúde e Prevenção de Paranaguá, Paulo Henrique de Oliveira.

CASOS

O informe técnico divulgado pela Secretaria da Saúde na última terça-feira (14) confirma 566 casos de dengue no Paraná desde o início do período epidemiológico, em agosto de 2016. Em Paranaguá, são 35 casos confirmados até agora e nenhuma morte.

No mesmo período, em 2016, a cidade já havia confirmado 2.887 casos e 14 óbitos.

“O município enfrentou a pior epidemia de dengue de todos os tempos no Paraná. A população precisa lembrar todo o sofrimento causado pela doença e colaborar com as estratégias do Estado para não deixar a situação se repetir”, adverte a diretora da 1ª Regional de Saúde, Ilda Nagafuti.

PARANÁ

Até esta sexta (17), 105 mil paranaenses foram vacinados contra a dengue no Paraná, 72 mil deles correspondentes à segunda dose. A meta para a segunda fase é aplicar a segunda dose em 100% das pessoas que participaram da campanha em agosto e setembro de 2016 e, também, ampliar a cobertura da primeira dose.

 

Deixe seu comentário!

Paranaguá

Pescadores da Ilha do Teixeira concluem curso de mecânica de embarcações

Receberam o certificado de conclusão do curso e um kit de ferramentas

Publicado

no

Por

Entrega foi nesta quinta-feira (23)

A Portos do Paraná entregou nesta quinta-feira (23) a pescadores da Ilha do Teixeira o certificado de conclusão do curso de Mecânica de Embarcações.

As aulas fazem parte do Programa de Educação Ambiental, promovido pela empresa junto às comunidades pesqueiras, como medida vinculada às obras de dragagem de manutenção dos portos de Paranaguá e Antonina.

As aulas aconteceram no final do ano passado nas ilhas do Teixeira e São Miguel.

“A entrega do certificado aos pescadores representa o término e a celebração dos cursos que foram ministrados a pedido da própria comunidade. Isso demonstra o cumprimento da Portos do Paraná com a legislação, com as condicionantes que são impostas a nós pelo Ibama, mas, principalmente, demonstra nossa responsabilidade social”, destacou o diretor de Meio Ambiente da Portos do Paraná, João Paulo Ribeiro Santana.

De acordo com ele, a empresa está ouvindo as comunidades através de diagnósticos sócio-ambientais para saber o que elas gostariam de receber como medida compensatória.

“E diversas dessas comunidades solicitaram cursos em diferentes áreas. Além desse de mecânica, por exemplo, está sendo ministrado em Antonina um curso de informática”, declarou.

Santana ressalta que a dragagem é fundamental para o porto continuar funcionando.

“Sem dragagem não seria possível receber navios de grande porte, com impacto negativos nos negócios, empregos e renda de todo o Litoral”.
CAPACITAÇÃO O curso de 16 horas/aula foi ministrado pelo professor Cláudio Roberto Gonçalves, coordenador de cursos de eletromecânica do Senai. Segundo ele, a proposta é que os pescadores não dependam tanto de serviços externos de mecânica para seus barcos.

“É gratificante contribuir com conhecimento que pode ser aplicado no dia a dia deles, sem depender de outros”.

Junto com o certificado os pescadores receberam um kit de ferramentas.

“De nada adianta ensinar se não tiverem em mãos as ferramentas para executar os consertos. O kit foi a grande surpresa; possibilita que eles façam os reparos por conta própria”, salientou o professor.

De acordo com Pedro Pizacco Pereira Cordeiro, coordenador operacional na Diretoria de Meio Ambiente da Portos do Paraná, o objetivo é atender a demanda das comunidades por meio do empoderamento e da geração de renda.

“Praticamente todos os membros que moram nessas comunidades ilhadas têm embarcações motorizadas. A ideia é ensinar sobre manutenção de motores para fiquem um pouco menos dependentes de serviços de terceiros para manter barcos e motores funcionando”, afirma.

COMUNIDADE – O pescador Antônio de Paula Xavier, que há 22 anos preside a Associação da Ilha do Teixeira, elogiou a iniciativa.

“Nunca existiu essa parceria entre o porto e nossa comunidade. Só temos a agradecer ao Governo do Estado e à Portos do Paraná pela atenção e ajuda que tem nos prestado”.

Para ele, o curso vai ajudar na atividade diária. “Por várias vezes o barco parava em alto-mar e não tínhamos sequer uma ferramenta para tentar o conserto. Era necessário esperar socorro. O curso e o kit de chaves vão ajudar muito”.

Na próxima semana, 20 pescadores da Ilha de São Miguel vão receber o certificado de conclusão do curso e o kit de ferramentas.

Da AEN
Continuar Lendo

Paranaguá

Preso rapaz que cultivava pés de maconha no quintal de casa

PM chegou até ele após denúncia de vizinhos na Vila Cruzeiro

Publicado

no

Por

Pés de maconha estavam ao lado da porta de entrada da residência

Policiais militares do 9º Batalhão fizeram a apreensão de dois pés de maconha ao darem atendimento a uma denúncia da comunidade na Rua Amilton Prudêncio da Silva, Vila Cruzeiro, em Paranaguá, no final da tarde de terça-feira, 21.

Tudo começou por volta das 18h30, quando uma equipe policial, durante patrulhamento de rotina, foi abordada por populares.

Estes relataram que um morador na mesma rua estava cultivando plantas de maconha no terreno de sua residência e que ele ainda perturbava a tranquilidade da vizinhança, utilizando música alta, promovendo algazarras e reunindo pessoas para fazer uso do entorpecente em sua casa, durante várias horas do dia.

Imediatamente os policiais foram averiguar e, ao chegarem na casa denunciada, encontraram um rapaz de 21 anos no portão.

Indagado se era morador da residência, ele confirmou que sim, sendo, então, realizada abordagem.

Em seguida, os policiais identificaram dois pés de maconha, medindo 45 e 50 centímetros, que estavam plantados ao lado da porta de entrada da moradia.

Ao ser indagado, sobre as plantas, o rapaz admitiu ser o responsável. Foi preso e conduzido ao plantão da 1ª Subdivisão Policial de Paranaguá com os pés de maconha para os procedimentos cabíveis.

Plantio foi parar na DP junto com o responsável

Continuar Lendo

Paranaguá

Preso ex-marido que desrespeitou medida protetiva

Tentou forçar a ex-mulher a manter relações sexuais na frente dos filhos

Publicado

no

Por

Na manhã de terça-feira (21) a Guarda Civil Municipal prendeu mais um homem acusado de desrespeitar medida protetiva de violência doméstica na cidade de Paranaguá.

O acusado, de 36 anos, foi abordado pela equipe da Patrulha Maria da Penha depois de ter sido denunciado por invadir a casa de sua ex-companheira no Jardim Iguaçu.

De acordo com a ocorrência, por volta das 7h40, os agentes foram acionados pela vítima, de 35 anos, a qual informou que o ex-companheiro havia descumprido a medida protetiva contra ele.

Ela contou que o homem entrou em sua casa sem permissão e que, quando tentou chamar a polícia, ele a impediu.

A mulher disse ainda que o o ex-marido segurou em seu braço e quis forçar relações sexuais, na frente de seus filhos menores.

A mulher informou que conseguiu fugir, correndo para a casa de um vizinho, onde conseguiu fazer a ligação denunciando a situação.

Ao chegarem ao local, os guardas civis encontraram o suspeito a uma distância de 20 metros da residência da vítima, e, com o apoio de outra equipe da GCM, fizeram a abordagem.

O homem não reagiu. Após o registro da ocorrência, ele acabou encaminhado ao plantão da 1ª Subdivisão Policial de Paranaguá para que fossem tomadas as providências necessárias.

Continuar Lendo
Anúncio
error: Cópia proibida.