Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Matinhos

Atriz paranaense será homenageada no lançamento da Operação Verão

ANALIS SERÁ REVERENCIADA COM UM MARCO CULTURAL EM MATINHOS

Agora Litoral
A atriz, produtora cultural e turismóloga Analis Ohara, falecida aos 24 anos vítima de um tumor cerebral em julho de 2017, será homenageada pela governadora Cida Borghetti durante o lançamento da Operação Verão Costa Leste, na sexta-feira (21) em Matinhos, no litoral do Estado.

A memória de Analis será reverenciada ainda com a instalação de um marco cultural na praça localizada em frente ao colégio Dom Bosco, na área central da cidade, onde a jovem estudou na adolescência. A homenagem é um reconhecimento ao trabalho da atriz na divulgação da Cultura e preservação da Natureza no Estado e uma forma de incentivo aos jovens paranaenses.

Em Campo Mourão, no Centro-Oeste do estado, cidade onde vivia quando morreu, a concha acústica da cidade recebeu o nome de Analis através de projeto de lei municipal. O local foi batizado com seu nome em julho deste ano com um show gratuito do cantor Kiko Zambianchi, amigo pessoal da jovem.

Em Matinhos, Analis morou no período entre 2007 e 2010. Nessa época, na fase adolescente, era conhecida por suas ações de conservação do Meio Ambiente. Moradora da cidade litorânea, Sauane Buenos, que conviveu com Analis, lembra que a amiga “ainda era pré-adolescente e já tinha grande conscientização ambiental. Durante os luaus realizados na praia sempre falava que a queima de madeira produzia dióxido de carbono e contribuia para o aquecimento global, através do efeito estufa”.

Amor à Arte
Em 2011, se mudou para Campo Mourão. Frequentadora assídua de cursos e eventos culturais na capital paranaense, Analis encontrou na cidade o ambiente propício para o desenvolvimento do setor no município. Frequentou a Escola Municipal de Circo de Campo Mourão e desenvolvia técnicas da arte da palhaçaria e acrobacias, integrando a Trupe de Circo da Fundação Cultural de Campo Mourão.

No teatro, encenou várias peças, subindo ao palco em diversas cidades paranaenses com as peças “Dos Muros da Cidade, Eu Vi Seus Olhos” (2012), dirigida por Carlos Soares; “Politiko´s” – da Cia Zetetikós de Teatro (2013) -; “Entre os Trilhos do Trem” – do Projeto Embrião – (2014); e “Eu Chovo,Tu Choves, Ele Chove”- do Núcleo 5 de Teatro (2015). Interpretou personagens importantes no Auto da Paixão (2013, 2014 e 2015), espetáculo tradicional encenado na cidade durante a Semana Santa.

Incomodada com a ausência de opções culturais na concha acústica da cidade – localizada no interior do Parque do Lago, atração de lazer do município – ela desenvolveu o projeto “Domingo no Lago” com o propósito de incentivar a exposição do trabalho de artistas locais e da região.

O projeto foi aprovado por uma lei municipal de incentivo cultural e ocorreu durante o ano de 2015, levando cultura aos frequentadores do parque e valorizando o trabalho de artistas locais com apresentações de teatro, circo, dança, música e contação de histórias. A concha acústica da cidade lotava durante as apresentações.
Defesa do Meio Ambiente
Estudante do curso de Turismo e Meio Ambiente da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), Analis era bolsista da Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná e seu trabalho de Iniciação Científica, defendido em Paranavaí (2016), abordava o trabalho de pesquisa in loco de três meses, analisando os danos ambientais praticados pelos visitantes do Parque Ingá, em Maringá, e propondo iniciativas para garantir a sustentabilidade do local.

Estagiou na Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Campo Mourão, onde apresentou um projeto abordando aspectos importantes para o desenvolvimento sustentável do Parque do Lago, através de iniciativas turísticas e culturais e a instalação de uma biblioteca infantil no local, com ênfase no Meio Ambiente.

No final de 2015, foi estagiária da Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Paraná. No verão 2015/2016, desenvolveu na sede do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), na Ilha do Mel,durante dois meses, uma pesquisa para embasar um projeto de sustentabilidade do local. O projeto não foi finalizado devido à doença.

Glioblastoma
Ao concluir a pesquisa, no final de fevereiro de 2016, Analis voltou para Campo Mourão apresentando pequenos espasmos no rosto. Submetida a exames de ressonância, foi constatada a presença de um glioblastoma multiforme, um tumor cerebral na maioria das vezes letal. Foi operada em Maringá em maio de 2016.

De outubro de 2016 a março de 2017 ficou em tratamento no Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Rio de Janeiro. Passou por quatro outras cirurgias no crânio.

Reconhecendo a gravidade da situação, os profissionais da instituição aconselharam os pais a levá-la de volta para o Paraná, pedido insistente apresentado por ela no hospital. Mesmo tendo nascido em Joinville (SC), Analis amava o Paraná onde viveu a maior parte de sua existência.

Em abril, foi transferida em UTI Aérea do Rio de Janeiro para sua casa em Campo Mourão. Faleceu em 29 de Julho de 2017, ao lado de amigos e familiares.

Três meses depois, em novembro, Cassiandra Costa, 40 anos, mãe de Analis, também faleceu vítima de um tumor cerebral deixando o filho Gabriel Ohara, 19 anos, e o marido Carlos Ohara, jornalista paranaense com longa experiência na imprensa nacional.

O drama de Analis e Cassiandra, ainda em vida, foi acompanhado pela então vice-governadora Cida Borghetti. Mãe e filha mantinham em seus pertences, quando faleceram, medalhas de Nossa Senhora Aparecida, presenteadas por Cida.

Fotos: arquivo pessoal. Texto: Carlos Ohara

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios