Roberto, filho do deputado Nelson Justus, adotou medidas impopulares entre o funcionalismo

Agora Litoral
A Prefeitura de Guaratuba, no litoral paranaense, está em ebulição após algumas medidas adotadas pelo prefeito Roberto Justus (DEM). Sob alegação de que precisaria reduzir despesas para se adaptar à Lei de Responsabilidade Fiscal, o filho do deputado estadual Nelson Justus exonerou aliados, trocou secretários e reduziu vantagens salariais.

Regina Torres foi substituída pela ex-vereadora Cátia Regina na Educação

Algumas decisões de Roberto Justus chamaram atenção. A principal foi a exoneração da secretária de Educação Regina Torres, que foi sua forte apoiadora na campanha eleitoral e estava no posto há quase nove anos. O Prefeito colocou no lugar dela a ex-vereadora Cátia Regina Silvana, que não se reelegeu.

Ainda no campo de pessoal, Justus cortou a insalubridade dos profissionais da saúde, reduziu vantagens salariais dos servidores e comissionados, exonerou parte da equipe que coordenava a secretaria de Esportes e trocou secretários.

EXONERAÇÕES
O Prefeito exonerou o diretor Ilson Rhoden, da Guaraprev (o Instituto de pensionistas e aposentados do Executivo), e colocou em seu lugar o ex-secretário de Administração Edilson Kalat. Este, por sua vez, foi substituído pelo sogro do prefeito, Donato Focaccia, que respondia pela secretaria de Finanças. No lugar de Focaccia entrou o vice-prefeito Jean Colbert. Segundo Justus, o enxugamento da máquina foi necessário porque caiu a arrecadação. Os cortes teriam sido feitos para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Rhodes foi exonerado da Guaraprev. Kalat entrou no lugar dele e Focaccia assumiu a Administração.

TROCO
Os servidores de carreira da Prefeitura de Guaratuba prometeram dar o troco ano que vem quando Nelson Justus, o pai do Prefeito, tentará mais uma reeleição para deputado estadual. Guaratuba sempre foi a principal base eleitoral da família Justus.

CARROS OFICIAIS RECOLHIDOS

Empresa que alugava os veículos pra Prefeitura está sem receber há quatro meses. Foto: Itamar Cidral Junior

Além dos problemas na área de pessoal, a Prefeitura de Guaratuba teve recolhidos os carros oficiais que alugava de uma empresa de Curitiba. A Cotrans veio com uma equipe e caminhões e recolheu vários veículos que estavam sem o pagamento do aluguel há mais de quatro meses, segundo informações do vereador Itamar Junior.

À medida que resgatavam os veículos estes eram levados para o Camping Municipal, onde uma carreta tipo ‘cegonha’ e um caminhão guincho/plataforma aguardavam a chegada para seguir para a sede da empresa em Curitiba.

Segundo informações, o prefeito teria dito que o atraso no pagamento do aluguel ocorreu por contenção de despesas, mas o fato foi desmentido nos meios políticos guaratubanos. O prefeito Roberto Justus não foi localizado pela reportagem do Agora Litoral para dar a versão oficial.

>> Deixe sua opinião