Lúcia estava foragida há 22 anos pelo homicídio do marido, ocorrido em março de 1995

Agora Litoral
Em uma operação conjunta entre a Polícia Civil do Paraná e a Polícia Civil de São Paulo, uma mulher de 61 anos, conhecida como “Viúva Negra”, foi presa na tarde desta quinta-feira (5), após estar foragida há 22 anos, pelo homicídio do marido. A prisão aconteceu no bairro Nova Rússia, em Ponta Grossa, onde ela morava.

Em 12 de março de 1995, Lúcia de Fátima Dutra Weisz, com 39 anos, mandou assassinar o marido Gavril Weisz, na época com 41 anos, na cidade de Americana, em São Paulo. Para cometer o crime, a mulher contou com a ajuda da própria empregada doméstica Valdelaine Pereira.

Em 20 de dezembro do mesmo ano, a “Viúva Negra” foi resgatada da Cadeia Pública de Sumaré e estava foragida desde então. Em 22 de abril de 2010, a mulher foi condenada a 14 anos de prisão pelo crime de homicídio qualificado.

A acusada inclusive constava na lista da Interpol e é considerada a mulher que ficou mais tempo foragida no país.

>> Deixe sua opinião