Categoria deve manter o estado de greve até o dia 14

Bem Paraná 
Os trabalhadores dos Correios do Paraná decidiram, ontem, adiar a deflagração de greve marcada para começar hoje por tempo indeterminado. A decisão aconteceu por decisão de 17 assembleias realizadas pela categoria em todo o Paraná. A categoria suspendeu o início da greve para avaliar a proposta oferecida pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST).

O ministro Renato de Lacerda Paiva, vice-presidente do TST, apresentou ontem a proposta de manter os termos do último acordo coletivo e assegurar a reposição da inflação no período sobre salário e benefícios. Também deve acontecer uma audiência no tribunal até o dia 14.

“Até lá os trabalhadores mantêm o indicativo de greve. O que queremos realmente e estamos em busca é de um reajuste real”, diz o Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Paraná (Sintcom).

O sindicato também criticou a postura da empresa de apresentar propostas sempre em cima da hora. No final do mês passado os trabalhadores dos Correios do Paraná rejeitaram a proposta da direção da empresa de 1,58% de reajuste, que corresponde a 60% do INPC da data-base da categoria, que é dia 1º de agosto.

Já segundo a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), nos meses de junho e julho de 2018, representantes dos Correios e dos sindicatos dos trabalhadores realizaram 15 reuniões para discutir as cláusulas do acordo coletivo da categoria. A empresa diz ter um plano de contingenciamento se necessário.

>> Deixe sua opinião