Tribunal de Justiça concede prisão domiciliar a Valdécio

ACUSADO DE CORRUPÇÃO EM ANTONINA VAI USAR TORNOZELEIRA

Segundo o Ministério Público, Valdécio foi apontado como o chefe da organização criminosa

Agora Litoral
A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná decidiu nesta quinta-feira (10) que o empresário Valdécio Antônio Bombonatto, acusado de distribuir propina a alguns políticos de Antonina, fique em prisão domiciliar. A decisão foi por maioria dos votos.

Valdécio terá que cumprir algumas medidas, como usar tornozeleira eletrônica; não poder se ausentar da Comarca e do país sem autorização judicial (ele terá que entregar seu passaporte); não manter contato com os outros corréus durante a instrução penal; e não usar nenhum meio eletrônico para não manter contato com os demais acusados. O empresário também receberá visitas quinzenais de um oficial de justiça.

Resumo da decisão. (Extraída do Tribunal de Justiça do Paraná)

OPERAÇÃO À DERIVA
Valdécio Bombonatto foi preso pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público do Paraná, no dia 14 de julho quando também foram presos o ex-diretor da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina-APPA, Luiz Carlos de Souza, o Luiz Polaco, e Rafael de Moura, o Rafael Raposão, um dos principais lobistas do grupo acusado de corromper o ex-prefeito e ex-vereadores de Antonina.

VEJA TAMBÉM

Gaeco prende Valdécio, Polaco e Rafael Raposão em Antonina

>> Deixe sua opinião