À esquerda, a área antes do aterramento do córrego e da supressão da mata nativa. À direita, o depois.(Google Maps)

Agora Litoral

Duas empresas instaladas no Km 05 da BR-277 em Paranaguá, no litoral do Paraná, estão com suas atividades suspensas. Uma decisão liminar do juiz Rafael Kramer Braga acatou em parte as alegações do Ministério Público do Paraná e suspendeu o licenciamento ambiental da Kimway e da HighFlow, empresas que utilizam o local como pátio de estacionamento de caminhões e contêineres.

A alegação do Ministério Público é que, além de aterrarem o terreno e suprimirem um córrego e uma mata nativa, as duas empresas teriam conseguido o licenciamento ambiental irregularmente, graças a alguns funcionários do Instituto Ambiental do Paraná (IAP). Cyrus Augustus Moro Daldin e Venilton Pacheco Macillo estão impedidos de atuar em qualquer processo envolvendo as duas empresas.

O IAP informou, por meio da assessoria de imprensa, que acatou a decisão judicial, que o licenciamento está paralisado e que os funcionários foram comunicados sobre a decisão de não atuar mais no processo. Sobre os demais aspectos citados na denúncia, como a acusação de interferência em licenciamentos, o IAP declarou que o prazo para defesa começou a correr nesta segunda-feira (31).

Com informações da Gazeta do Povo

>> Deixe sua opinião