Jurados decidiram por absolver um dos acusados e condenar o outro.

Agora Litoral

O Tribunal do Júri de Matinhos, no litoral paranaense, reunido no dia 26 de julho, absolveu o garçom André Pinheiro, de 25 anos. Ele ficou preso por quatro anos e nove meses acusado de vários crimes: tentativa de homicídio qualificado, tráfico de drogas, posse ilegal de arma de fogo de uso restrito e corrupção de menor. D.B.J., de 24 anos, que foi preso junto com André e era acusado dos mesmos crimes, foi condenado.

A defesa de André foi realizada por um advogado nomeado pelo juiz porque ele não tinha contratado nenhum defensor. O especialista em Ciências Penais e Criminologia pela UFPR Peter Andreas Ferenczy, com larga experiência em júri, foi o escolhido e conseguiu a absolvição do acusado.

Na defesa, entre outros argumentos, Ferenczy citou uma reportagem publicada recentemente pela maioria dos veículos de comunicação da prisão de um casal de Matinhos que estava com 760 kg de maconha e mostrou a desproporção da acusação contra André.

À época da prisão (em 2011), o garçom tinha 19 anos e foi apanhado com 4 gramas de crack – o equivalente a 10 buchas – e 20 gramas de maconha. O rapaz foi enquadrado como traficante.

CARTA  

Depois de ficar mais de quatro anos preso aguardando julgamento na Penitenciária de Piraquara, em maio de 2016 André Pinheiro escreveu uma carta em folhas de caderno ao juiz Ricardo José Lopes, da Vara Criminal da Comarca de Matinhos, contando seu drama.

Na carta, o acusado afirmou ao magistrado que era usuário de droga e não traficante e se disse inocente das demais acusações. Em julho de 2016, o juiz determinou sua soltura por excesso de prazo. Ele foi libertado em agosto do ano passado.

LEIA A CARTA ENVIADA AO JUIZ

INDENIZAÇÃO
Após a absolvição, o advogado Peter Andreas Ferenczy considerou que André Pinheiro tem direito a ser indenizado pelo longo período que ficou privado de sua liberdade.

Com informações do Correio do Litoral – http://www.correiodolitoral.com

>> Deixe sua opinião