Sem pagamento há três meses, funcionárias decidiram paralisar atividades nesta segunda-feira

MORRETES, PR
Agora Litoral

As nove funcionários da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais-APAE de Morretes decidiram cruzar os braços nesta segunda-feira (13). O motivo seria o não pagamento dos salários.

De acordo com elas, que procuraram o Agora Litoral, a situação ficou insustentável após três meses sem receber. A APAE de Morretes funciona apenas com os servidores cedidos pela prefeitura e estado. O restante entrou em greve.

Ainda segundo as funcionárias, em torno de 60 crianças são atendidas na APAE de Morretes. Apesar da falta de pagamento dos salários dos servidores, até agora não há falta de alimentos ou outro tipo de material.

A coordenadora pedagógica da Escola Professora Luciana Maria Helena Kuster Cherobim, que é mantida pela APAE, Gladys Malucelli, respondeu a nossa mensagem após a reportagem ter sido publicada.

Segundo ela, a situação da APAE de Morretes é bem complexa, mas orientou que entrássemos em contato com a diretora da instituição, Maria Victoria da Cruz, para maiores esclarecimentos. Até o fechamento dessa reportagem, a diretora não foi encontrada.

A APAE de Morretes está localizada na rua Almirante Frederico de Oliveira, nº 74, vila Santo Antônio.

>> Deixe sua opinião