Carlos Antônio estava sumido desde sábado. Foto: colaboração WhatsApp

Matinhos, PR
Agora Litoral

Fim do mistério: Carlos Antônio Bemben de Azevedo, de 44 anos, que estava desaparecido desde o dia 20, após sair de uma reunião de condomínio em Caiobá, foi assassinado na noite de sábado e seu corpo enterrado em uma vala na Travessa Henrique Freire, em Matinhos. Ele era o proprietário do automóvel encontrado em chamas no domingo pela manhã na rodovia PR-508, a Alexandra-Matinhos.

A descoberta ocorreu após a mãe da vítima ter ido até a Delegacia de Polícia de Matinhos, na terça-feira (23) e relatado o desaparecimento dele. A mãe de Carlos Antônio contou também aos policiais ter ouvido falar que seu filho havia sido morto por traficantes logo após comprar drogas, e que o corpo dele havia sido jogado em um matagal da cidade.

A partir dessas informações a Polícia começou a juntar os fatos e chegou até Márcio Ferreira de Alcântara Júnior, de 18 anos, morador no bairro Vila Nova em Matinhos. Márcio era um dos homens que foram vistos no domingo em atitude suspeita perto de onde um automóvel estava em chamas – no Km 18 da Alexandra-Matinhos, na região da Colônia Pereira.

Na oportunidade, a Polícia Militar abordou Márcio e outro homem que o acompanhava e os encaminhou até a Delegacia de Polícia. No entanto, como não havia ligações deles com o carro incendiado (um Suzuki Gran Vitara de cor prata e placas ARR-8752), a dupla foi liberada. Ainda no domingo, os policiais tentaram entrar em contato com o dono do veículo, mas não conseguiram.

CORPO ENCONTRADO

Ao abordar alguns indivíduos em atitude suspeita na avenida Paraná, no bairro Tabuleiro, em Matinhos, próximo de um local conhecido como ponto de venda de entorpecentes, os policiais deram sorte e chegaram à solução do desaparecimento de Carlos Antônio Bemben de Azevedo.

Entre os indivíduos abordados estava Márcio Ferreira de Alcântara Júnior. Em contato com o Centro de Comunicação os PMs souberam que Márcio era um dos homens que estava próximo ao veículo em chamas na PR-508 no domingo e que o proprietário do automóvel estava sumido.

Ao perguntarem a Márcio sobre o desaparecimento de Carlos Antônio Bemben, ele contou o que realmente havia acontecido no sábado à noite. Disse que Carlos Bemben e outro homem que ele desconhece e não sabe o nome, adquiriram drogas dele (numa rua onde ele comercializa entorpecente) e que horas depois o indivíduo que ele jurou não conhecer teria retornado com o carro de Carlos querendo mais drogas, com a vítima já morta no interior do automóvel.

Ainda de acordo com Márcio Júnior, o homem deixou o carro como pagamento pelas drogas compradas. Os dois se dirigiram até a Travessa Henrique Freire e jogaram o corpo de Carlos em uma vala e o cobriram com folhas e sacos plásticos.

Segundo Márcio, após isso o homem tomou rumo ignorado. Disse também que, na manhã seguinte, teria incendiado o veículo temeroso de que pudesse ter deixado no interior alguma prova contra ele.

Márcio Ferreira de Alcântara Júnior foi preso e encaminhado até a Delegacia de Matinhos. Até o fechamento dessa reportagem, o homem que ele disse ter matado Carlos Antônio Bemben de Azevedo ainda não havia sido localizado.

>> Deixe sua opinião